Universidade estadual de campinas



Descargar 4.56 Mb.
Página75/95
Fecha de conversión03.12.2017
Tamaño4.56 Mb.
Vistas2247
Descargas0
1   ...   71   72   73   74   75   76   77   78   ...   95

Faculdade de Educação

H0591

A AVALIAÇÃO NO PROCESSO ENSINO - APRENDIZAGEM: ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO EM ENSINO ORGANIZADO EM CICLOS


Larissa Paiva Rossetti (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Agueda Bernardete Bittencourt (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Esta pesquisa estuda a proposta de avaliação de ensino e aprendizagem nas séries iniciais do Ensino Fundamental, organizado em Ciclos. A pesquisa é realizada na cidade de Mogi Mirim/ SP e o campo de observação das práticas de avaliação é a Escola Municipal de Educação Básica “Ana Isabel da Costa Ferreira”. Este estudo tem como principal objetivo descrever os significados e finalidades que as práticas de avaliação no processo de ensino e aprendizagem adquiriram com a implantação dos Ciclos de Alfabetização nas escolas básicas da cidade de Mogi Mirim. A pesquisa conta com: um levantamento bibliográfico sobre as práticas de avaliação no processo de ensino–aprendizagem; análise dos documentos oficiais da Escola “Ana Isabel da Costa Ferreira” e estudos sobre a política educacional do Município de Mogi Mirim. Com base nesse estudo inicial realizou-se um detalhado registro etnográfico nos terceiros anos do Ciclo de Alfabetização dessa Escola, durante quatro semanas em período completo de atividades de ensino. Com isso, foi possível confrontar os elementos obtidos nos registros de campo com as fontes documentais e a bibliografia selecionada para a análise. Assim, constatei nas salas de aulas a existência da avaliação informal, na qual os educadores utilizam critérios como a frequência, participação e comportamento para avaliar o aluno. Também ficou claro que os mecanismos sociais - locais de pertencimento, hábitos e cultura - constroem os “juízos” que os professores possuem dos alunos e deles mesmos, e isso possibilita a transformação de critérios de classificação social em critérios de classificação escolar.

Avaliação educacional - Reformas educacionais - Ensino em ciclos

H0592

VIVÊNCIAS DA INCLUSÃO NA ESCOLA: UM ESTUDO SOBRE OS MODOS DE PARTICIPAÇÃO DO PROFESSOR(A) E DO ALUNO(A) NA DINÂMICA DOS PROCESSOS DE INCLUSÃO


Cristina Hulshof (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ana Luiza Bustamante Smolka (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Este projeto abordou a forma como ocorre a educação inclusiva na escola. Teve como perspectivas a atuação da criança com deficiência na dinâmica de implementação das políticas publicas de inclusão, a relação destes com os alunos sem deficiências e a atuação do professor neste processo. Buscou analisar o confronto entre os discursos sobre deficiência e educação e a concretização da educação inclusiva nas escolas, considerando como importante aspecto interveniente as condições materiais, sociais e políticas nos diferentes contextos da educação. A pesquisa teve sua ancoragem teórica e metodológica na abordagem histórico-cultural, destacando a importância do estudo dos processos de inclusão como uma atividade que diz respeito não apenas aos alunos, mas a todas as pessoas que na escola participam, de algum modo, das políticas de inclusão. Assim, entendemos que além das limitações biológicas, a exclusão social dos indivíduos que apresentam deficiência torna-se também um obstáculo para seus desenvolvimentos. É preciso compreender, portanto, que os caminhos para o aprendizado destes diferem do comum, mas os objetivos educacionais devem ser os mesmos.

Inclusão social - Educação especial - Educação inclusiva

H0593

RELAÇÕES DE ENSINO E CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO: CONTRIBUIÇÕES E IMPLICAÇÕES DE UM OLHAR TEÓRICO


José Carlos Pinto Filho (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Ana Luiza Bustamante Smolka (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Nos debates teóricos embasados na perspectiva Histórico-Cultural, percebe-se a existência de leituras idealizadas no que diz respeito à relação entre os sujeitos no processo de construção de conhecimento. Esta pesquisa surgiu da necessidade de se discutir as formas como os sujeitos interagem, durante tal processo, e ancorou-se nos elementos já levantados pela pesquisadora Maria Cecília Rafael de Góes. A pesquisa pode ser entendida como um trabalho que tem dois pontos de ancoragem mais específicos: o primeiro é o estudo aprofundado do texto “Os modos de participação do outro nos processos de significação do sujeito”, da pesquisadora M. C. R. de Góes (1993), que estabelece um conjunto de categorias que delimitam formas de atuação dos sujeitos em interação, em situação de produção do conhecimentos; o segundo ponto é o acompanhamento de um grupo de crianças da primeira série do Ensino Fundamental. Dentre as questões levantadas no decorrer da pesquisa, podemos destacar: qual é a relação entre teoria e prática em um contexto A e teoria e prática em um contexto B? Constatando que as categorias não são percebidas, isso significa que elas não existem ou que elas se manifestam de outra forma? Que imagem de professor essas categorias transmitem? E, finalmente, ações e comportamentos são categorizáveis.

Relações de ensino - Construção de conhecimento - Mediação

H0594

LITERATURA, ELABORAÇÃO DE CONCEITOS E MEMÓRIA


Thaís Lago (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ana Luiza Bustamante Smolka (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Neste trabalho buscamos explorar as relações entre literatura, elaboração conceitual e memória. Diversas questões nortearam a pesquisa, tais como: Que temas e conceitos são trabalhados a partir das leituras dos textos? Como os textos mobilizam as experiências e as memórias das crianças? Que palavras e conceitos que circulam podemos destacar? No decorrer da pesquisa, outras questões foram emergindo: Como a ilustração dos livros (aquilo que não é lido, apontado ou narrado para as crianças) pode afetar a memória e a elaboração conceitual? Como a imagem contribui para a elaboração de conceitos? No que as crianças prestam atenção quando uma leitura está sendo realizada? A pesquisa fundamenta-se teoricamente na perspectiva histórico-cultural e assume uma abordagem qualitativa. O trabalho empírico foi realizado através do acompanhamento semanal de uma turma do Ensino Fundamental de uma Escola Municipal de Campinas. Os encontros foram registrados em diário de campo e através de vídeo-gravação. Os registros são, prioritariamente, de situações de leitura, realizada tanto pela professora quanto pela pesquisadora. O trabalho de análise ocorreu a partir do aprofundamento de leituras relacionadas à abordagem histórico-cultural e às suas implicações para o tema da pesquisa.

Literatura - Elaboração de conceitos - Memória

H0595

FOTOS DE FAMÍLIA. A CONSTRUÇÃO DA "AUTO-IMAGEM" EM DIFERENTES GRUPOS SOCIAIS NA REGIÃO DE CAMPINAS


Juliana Closel Miraldi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ana Maria Fonseca de Almeida (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A pesquisa teve por objetivo problematizar a maneira como diferentes grupos sociais se representam por meio do estudo de fotos de família. O estudo focalizou cinco famílias moradoras há pelo menos três gerações de Barão Geraldo, distrito de Campinas. O trabalho empírico foi dividido em duas etapas: (i) entrevistas aprofundadas com as famílias em questão para captar seus percursos sociais e os princípios que elas utilizam para definir a si próprias em relação aos outros; (ii) análise do repertório imagético destes grupos familiares contido nas fotografias já produzidas ao longo do tempo (porta-retratos, álbuns de família). A partir desse material foi possível discutir como a auto-imagem de um grupo se relaciona (i) com a maneira pela qual seus membros se posicionam no espaço social em diferentes momentos de sua história e (ii) com a maneira como definem os investimentos que vão fazer com relação às novas gerações, na medida em que as histórias dos antepassados e das vivências familiares são mobilizadas para se transmitir valores e percepções sobre a posição a ser ocupada no espaço social.

Auto-imagem - Processo educacional - Fotos de Famíli

H0596

OS PRECONCEITOS CONTRA A HOMOSSEXUALIDADE SOBRE A ÓTICA DA FAMÍLIA


Amélia Marques Pereira de Souza (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ângela Fátima Soligo (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A homossexualidade tem conquistado cada vez mais espaço na sociedade brasileira contemporânea. As ações políticas através dos movimentos sociais e das manifestações públicas têm contribuído para que os homossexuais tenham muitos de seus direitos reconhecidos perante o poder público. Porém, a discriminação e o preconceito continuam fortemente presentes. Isso se dá por fatores históricos e sócio-culturais que remetam ao Período Colonial, no qual o modelo familiar evidentemente patriarcal configurou determinados padrões de comportamento e atitudes referentes aos sexos – no caso da sexualidade, a heterossexualidade como afirmação do domínio masculino dentro do ambiente familiar e nos engenhos. Sendo assim, o reconhecimento da homossexualidade como um desvio do padrão de um comportamento que foi socialmente naturalizado dentro da sociedade brasileira nos leva a abordá-la através de suas representações sociais e dos impactos que essa quebra com a sexualidade considerada normal e saudável causa em todo o corpo social, especificamente sobre a instituição familiar.

Homossexualidade - Família - Preconceito

H0597

ANÁLISE DA FORMAÇÃO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA DOS CURSOS DE PEDAGOGIA DO ESTADO DE SÃO PAULO


Fabio Dieusis Batista (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Anna Regina Lanner de Moura (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Esta pesquisa desenvolveu três perspectivas para estudar a formação para o ensino de matemática nos cursos de pedagogia do Estado de São Paulo. 1- fez-se um levantamento da totalidade dos cursos de pedagogia do estado e das finalidades e características de suas instituições; descreveu a ocorrência, nos currículos, das disciplinas que indicam a formação para o ensino de matemática; 2- analisou as abordagens da formação manifestas nas ementas de 10 cursos tradicionais. 3 - Analisou os propósitos de formação da ementa da disciplina de Fundamentos do Ensino de Matemática do curso de pedagogia da Unicamp a partir da visão dos alunos que freqüentaram a disciplina. Usou como fonte dos dados o site do MEC, do conselho Estadual de educação do Estado de São Paulo e as respostas de questionário apresentado aos alunos da disciplina. A análise teve por referência as diretrizes curriculares para os cursos de pedagogia, as propostas curriculares nacionais para o ensino fundamental de matemática e a literatura sobre a formação inicial do professor de matemática. Como resultados, caracterizou-se os aspectos administrativos e finalidades de 272 instituições que administram 472 cursos de pedagogia. 6 das ementas analisadas, descrevem uma lista de conteúdos a serem tratados na formação inicial, sendo que 4 delas tratam, também, de aspectos teórico-metodológicos de ensino. Esta pesquisa poderá contribuir para estudos sobre a inserção das disciplinas específicas, no caso, a matemática, nos currículos de pedagogia.

Formação inicial - Ensino de matemática - Currículo

H0598

CRIAÇAÕ E (RE)SIGNIFICAÇÃO NO "DIÁRIO DE BORDO DA DOLLY"


Carolina Melania Ramkrapes (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Antonio Carlos Rodrigues de Amorim (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
As representações da Ciência pela mídia levantaram inúmeros debates, principalmente no que diz respeito à polarização de opiniões que oscilam dicotomicamente. A maneira pela qual o público interage com estas representações abre amplo espaço de pesquisa e debate. O presente trabalho tem como ponto de partida a instalação artística “Bem-me-quer, mal-me-quer: biotecnologia e contemporaneidade”, exposta no Museu da Imagem e do Som (MIS) em 2008, que levantou tais questões. Foram obtidas percepções do público visitante acerca das peças artísticas apresentadas; estas impressões tornaram-se material de pesquisa para o Blog do Museu, um dos espaços da homepage do projeto “Biotecnologias de Rua”, que potencializa discussões que relacionam biotecnologia, imagens e Percepção (criação) Pública da Ciência. No “Diário de Bordo da Dolly” (uma das categorias do Blog do Museu) constam algumas destas percepções que auxiliam o internauta a criar imagens sobre esta personagem, e novas possibilidades para sua história e sua trajetória. O presente trabalho tem por objetivo realizar uma análise acerca das representações da ovelha Dolly - imagem esta que mostra indícios de ser distinta tanto daquela construída pelos meios científicos, como pela apresentada pela mídia - utilizando como material de pesquisa as criações postadas no Diário de Bordo da Dolly, formatado para o público infantil de internautas.

Biotecnologias - Divulgação científica - Percepção pública

H0599

HUMANIZAÇÃO DAS BIOTECNOLOGIAS: EDUCAÇÃO VISUAL DE NOVAS MÍDIAS


Thiago de la Torre de Carvalho (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Antonio Carlos Rodrigues de Amorim (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Uma observação da mensagem para o entendimento dos meios.As imagens utilizadas pelas e para as biotecnologias têm uma pós produção que valoriza o desejo e sensações, assemelhando-se a obras publicitárias. É nos caminhos do desejo que a relação comunicacional pública das ciências pode ser pensada na interação entre significantes e significado.   Num primeiro momento, a notação de semelhanças de vontades encontradas nesta pós produção de imagens da ciência e tecnologia, às vontades expressas na produção imagética formal (arte contemporânea) e informal (imagens circulantes na internet), para em seguida propostas práticas de uma comunicação imersiva do sujeito ativo. A utilização do meio como mensagem ao inconsciente .Aprendizagem nas multiplicidades. A multidão e o corpo em novas interfaces, que são uma potência virtual, numa relação temporal  em que o futuro é almejado; assim como as sínteses conectivas das propostas criadas nesta pesquisa disparam-se no devir. Juntamente às atividades de pesquisa realizadas no grupo Biotecnologias de Rua, a possibilidade  de uma divulgação imanente.

Educação - Divulgação científica - Imagem

H0600

DOCÊNCIA EM ESCOLA TÉCNICA: RELAÇÕES E CONDIÇÕES DE TRABALHO


Liliane Bordignon de Souza (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Aparecida Neri de Souza (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A pesquisa Docência em escola técnica: relações e condições de trabalho procura compreender como, no Brasil, as Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB 9.394/1996) e as reformas educacionais dos governos Fernando Henrique Cardoso (Decreto 2.208/1997) e Luís Inácio Lula da Silva (Decreto 5.154/ 2004) produziram mudanças na educação profissional e no trabalho dos professores. A pesquisa também analisa as políticas educacionais realizadas no âmbito do estado de São Paulo, parte-se da transferência dos professores e escolas técnicas da Secretaria de Estado da Educação (SEE/SP) para a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico (SCTDET/SP), em 1993, durante o governo Fleury Filho (1991-1995), que vinculou professores e escolas ao Centro Estadual de Educação Tecnológica “Paula Souza” (CEETEPS), alterando a configuração do ensino técnico (nível médio) no estado. O estudo das relações e condições de trabalho dos professores empregados em escolas técnicas estaduais paulistas se fez a partir dos depoimentos orais dos professores que vivenciaram as mudanças na década de 1990. Questiona-se como os professores construíram suas carreiras no campo da educação técnica e como as políticas educacionais implementadas provocaram alterações na organização do trabalho docente. A hipótese que orienta a pesquisa é que o processo de flexibilização e precarização do trabalho vivenciado pelos demais trabalhadores do setor privado também são vivenciados pelos do setor público.

Relações de trabalho - Professores - Políticas

H0601

PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO: RELAÇÕES E CONDIÇÕES DE TRABALHO


Marcela Pergolizzi Moraes de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Aparecida Neri de Souza (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A pesquisa tem como objetivo a análise das transformações nas relações e condições de trabalho de professores a partir das políticas públicas no campo do ensino, formuladas pelo MEC e pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, desde a década de 1970 até os anos recentes (2007 e 2008). A legislação é interrogada buscando apreender qual é a concepção de trabalho docente e de carreira em cada um dos documentos. Os textos analisados, produzidos no âmbito federal são: a Lei de Diretrizes e Bases para o ensino de 1º. e 2º. Graus (Lei n° 5.692, 11/08/1971); o capítulo da Educação da Constituição Federal de 1988; a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9.394, dez/1996); Plano Nacional de Educação (PNE, Lei 10.172/2001); e o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE, 2007). No âmbito do estado de São Paulo são analisados o Estatuto do Magistério (1985) e suas reformulações; e “Uma Nova Agenda para a Educação Básica” (agosto, 2007) e seus desdobramentos legais. O trabalho de professores no ensino médio é o foco da pesquisa, pois este nível de ensino teve importantes mudanças: da profissionalização compulsória dos anos 1970 até a separação, pós LDB, entre a formação profissional e a formação geral. A hipótese que orientou a pesquisa é de que estas mudanças produziram reflexos sobre as relações e as condições de trabalho docente. Metodologicamente trabalha-se com dados secundários, estudos já realizados sobre a legislação; e com análise documental a partir das seguintes categorias: formação profissional de professores; inserção e desenvolvimento de carreira; condições de trabalho (jornada, normas e regulamentos); e relações empregatícias (formas de contratos de trabalho).

Relações de trabalho - Políticas educacionais - Professores ensino médio

H0602

A PROFISSIONALIDADE DOCENTE EM FACE ÀS POLÍTICAS PÚBLICAS NO ESTADO DE SÃO PAULO


Vanessa Moreira Crecci (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Dario Fiorentini (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Em 2008, a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo (SEESP) através do programa “São Paulo Faz Escola” enviou às escolas materiais com características de apostilas “O Jornal do Aluno” e o “Caderno do Professor”. Os professores do Ensino Médio e do segundo segmento do Ensino Fundamental foram “capacitados” através de videoconferências para utilização deste material. No início de 2009, professores e alunos receberam os respectivos materiais: “Cadernos do Professor” e “Cadernos do Aluno”. Neste contexto, o presente trabalho pretende analisar e compreender: como os professores estão fazendo a gestão deste currículo proposto; e quais as implicações dessa política no processo de desenvolvimento profissional do professor e na constituição de uma profissionalidade docente. Os sujeitos desta pesquisa são professores que lecionam matemática na rede estadual paulista de educação e que utilizam o material citado. O material de análise é constituído de questionários e entrevistas com professores de matemática da região de Campinas. Os primeiros resultados deste estudo apontam, ao contrário do que afirma a SEESP, que os professores não participaram e nem foram consultados sobre a nova proposta curricular.

Profissionalidade docente - Políticas públicas - Currículo

H0603

MULTICULTURALISMO NA FORMAÇÃO DOCENTE E NO CURRÍCULO ESCOLAR


Simone de Sousa Santos (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Elisabete Monteiro de Aguiar Pereira (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O currículo corresponde à forma de organizar o conjunto daquilo que é intencionado e planejado para a instituição escolar, que ligado á um tempo histórico corresponde a uma seleção da cultura que enfatiza determinados conhecimentos em detrimento de outros. Em uma época de novos determinantes epistemológicos e visão plural em relação à cultura não é possível considerar apenas uma cultura como a única que se pode desenvolver através da estruturação curricular e desvalorizar todas as outras. O objetivo geral é refletir sobre o currículo escolar, especificamente do ensino fundamental, e a formação de professores das séries iniciais diante da diversidade cultural existente no âmbito escolar. A pesquisa foi desenvolvida com professores em exercício do ensino fundamental da região metropolitana de Campinas. A escolha das salas de aula se basearão nas que tiverem professores egressos do curso de Formação de Pedagogia – Proesf- oferecido pela Unicamp nos últimos 8 anos, onde foi trabalhado, como disciplina curricular, o Multiculturalismo. O multiculturalismo surge como uma alternativa para a idéia de convívio de diferentes culturas e etnias, como uma maneira de evitar a homogeneização que a globalização procura impor, assim o multiculturalismo deve estar envolvido nos processos educacionais.

Currículo escolar - Formação docente - Multiculturalismo

H0604

A MOTIVAÇÃO PARA APRENDER: UM ESTUDO SOBRE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL


Mariana Aparecida Sans (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Evely Boruchovitch (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A falta de motivação dos alunos é um dos principais problemas apontados pelos professores nas escolas. Tendo em vista a importância de se conhecer melhor a motivação e os fatores a ela associados, o presente estudo avaliou a motivação para aprender dos alunos brasileiros do ensino fundamental. Seu objetivo principal foi caracterizar o tipo de orientação motivacional de estudantes do ensino fundamental e examiná-la em relação à idade, à série escolar e ao gênero. Participaram da pesquisa 228 alunos de 2ª a 8ª série do ensino fundamental de escolas públicas de Santa Bárbara D’Oeste e Americana, SP. A faixa etária variou de 8 a 16 anos e a média de idade foi 10 anos. O instrumento utilizado foi a Escala de Avaliação da Motivação para Aprender para Alunos do Ensino Fundamental – EMA . Pode se constatar que a motivação intrínseca predominou na amostra e tendeu a declinar com o avanço da idade. Diferenças de motivação entre as séries e os gêneros também foram encontradas. A 4ª série foi a que apresentou a maior média na escala total, na motivação intrínseca e extrínseca. Participantes do sexo feminino obtiveram médias significativamente mais altas na escala total e na motivação extrínseca, quando comparadas aos estudantes do sexo masculino.

Motivação para aprender - Ensino fundamental - Variáveis demográficas

H0605

PRODUZINDO A CRIANÇA HIGIENIZADA: UM ESTUDO SOBRE MANUAIS ESCOLARES


Carolina Toshie Kinoshita (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Heloísa Helena Pimenta Rocha (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Publicados entre o final do século XIX e a década de 1930, os livros e cartilhas de higiene destinados às crianças das escolas primárias do Estado de São Paulo e os manuais voltados para a formação dos professores, tinham como intuito disseminar hábitos cotidianos de higiene e alertar sobre os malefícios da falta de asseio do corpo e das vestimentas, da má alimentação e de uma vida pouco regrada, “modelando” os comportamentos dos alunos silenciosamente. Impressos em formato pequeno,  com um número reduzido de páginas, de fácil manuseio, ilustrados e escritos em linguagem simples, os livros e cartilhas foram elaborados por médicos renomados do período, como Renato Kehl e Almeida Junior, experientes professores ou reconhecidos nomes da literatura brasileira, como Monteiro Lobato e ganharam um lugar de destaque entre os diversos títulos publicados pelas maiores editoras da época, dentre as quais a Livraria Francisco Alves e a Companhia Editora Nacional. O projeto buscou dar continuidade ao levantamento, catalogação e análise de livros e cartilhas de higiene, e manuais destinados à formação dos professores primários paulistas, por meio da pesquisa junto à Biblioteca da Faculdade de Medicina da Universidade São Paulo e ao acervo do Centro de Referência Mário Covas, responsável pela guarda da documentação da antiga Escola Caetano de Campos.

História da educação - História do livro - Cultura escolar

H0606

HIGIENISMO E ESCOLANOVISMO: UM ESTUDO SOBRE A REVISTA ARGENTINA LA OBRA


Ivan Luís dos Santos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Heloísa Helena Pimenta Rocha (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Visando contribuir para a compreensão dos processos de constituição e reforma dos sistemas educativos no Brasil e na Argentina, o projeto analisou os vínculos entre o higienismo e as propostas de renovação pedagógica, que se configuraram com a difusão da Escola Nova. Para tanto, voltou-se para a organização, inserção em banco de dados e análise das prescrições em relação ao ensino de Higiene, publicadas na seção “Didáctica práctica: la escuela día por día” da revista pedagógica argentina “La Obra”, entre 1921 e 1935. Com o objetivo de reorientar o trabalho cotidiano do professor, segundo os princípios escolanovistas, a seção oferece modelos para a atuação docente nas diferentes disciplinas, constituindo-se, pela sua originalidade, em importante repositório para a compreensão das estratégias acionadas pelos educadores escolanovistas para a reconfiguração das práticas escolares, bem como para uma leitura dos modos como esses educadores se apropriaram das pautas higienistas. A organização de um banco de dados, utilizando a plataforma Microsoft® Access, ofereceu uma visão mais ampla das questões abordadas na seção e, ao mesmo tempo, das mudanças e permanências no tratamento dos aspectos tematizados, ampliando e refinando a compreensão do lugar dos preceitos higienistas nas propostas de renovação educacional postas em circulação pela revista.

História da educação - Higienismo - Escola nova

H0607

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA O CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA E O CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO DA UNICAMP


Mariana de Lima Farinelli e Profa. Dra. Ivany Rodrigues Pino (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O estudo da formação inicial de professores é pertinente e atual, pois trata de um tema, hoje admitido como umas das principais condições para o desenvolvimento da educação básica de qualidade no país. Fundamentando-se no conhecimento produzido mais recentemente sobre formação de professores e em estudos ocorridos principalmente através da ANFOPE - que incitam os grandes debates acadêmicos no campo educacional - o objeto desta pesquisa centra-se na análise da relação da concepção de educação e de profissional da educação propostos pelas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia – DCNP – com aquelas propostas pelo curso de Pedagogia da Faculdade de Educação – FE – da UNICAMP, abordada através da última reforma curricular, realizada em 2008. É objetivo desse estudo desvendar a relação que as DCNP e o curso de Pedagogia da FE/UNICAMP constituíram em torno da concepção de educação e de profissional de educação tanto no movimento de aproximação quanto no movimento dos distanciamentos. Para tanto optou-se para o desenvolvimento da  pesquisa qualitativa estudando-se  documentos relativos às DCNP e a reforma do Curso de Pedagogia. Através da comparação dos princípios da formação de docentes que a reforma propõe e incorpora abordado no programa de curso da FE/UNICAMP com os princípios expressos nas DCNP.

Formação inicial de professores - Diretrizes curriculares nacionais - Pedagogia

H0608

UM ESTUDO SOBRE A OPERACIONALIZAÇÃO DAS POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO GOVERNO JUSCELINO KUBITSCHEK (1956-1961)


Caio Augusto Toledo Padilha (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. José Claudinei Lombardi (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O presente trabalho visa apresentar os resultados finais do projeto de pesquisa financiado pelo CNPq, intitulado “Um estudo sobre a operacionalização das políticas educacionais no governo Juscelino Kubitschek (1956-1961)”. Este objetiva propiciar novas discussões no meio acadêmico sobre o período nacional-desenvolvimentista, reavivando antigos debates acerca do cenário político, do acelerado processo de desenvolvimento econômico do país e focando seus estudos no período Kubitschek, mais precisamente no campo das políticas educacionais. Para alcançar tal objetivo, a pesquisa se propõe a analisar e dialogar com documentos históricos e produções científicas que abordam as concepções de educação dos pensadores da época; a formulação do projeto governamental de política educacional; as relações da educação com o ideário nacional-desenvolvimentista e; o questionamento das efetivas realizações do antigo governo no campo estudado. Desta forma, oferta-se à Academia mais um olhar reflexivo sobre o período.

Educação - Políticas públicas - Brasil-História-1956-1961

H0609

A RELAÇÃO ENTRE EDUCAÇÃO E FOLCLORE ABORDADA NA IMPRENSA ESCRITA DE CAMPINAS DURANTE O GOVERNO JUSCELINO KUBITSCHEK (1956-1961)


Luís Fernando Gotarde (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Claudinei Lombardi (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Através da coleta/análise de documentos escritos divulgados pela imprensa do período 1956 a 1961 e sob o olhar de Antonio Gramsci acerca dos meios pelos quais o Estado e as classes dominantes vulgarizam o ideário nacional-desenvolvimentista na sociedade brasileira, procurou-se investigar até que ponto é válida a hipótese de que as manifestações folclóricas presentes no cotidiano escolar podem ser consideradas, do ponto de vista ideológico, como fator de contribuição para a manutenção desse ideário. Dentre as visões a partir das quais se pode examinar os fatos sociais optou-se pela visão histórica, que se atém principalmente na observância e a constatação de permanências e rupturas de determinados elementos no campo da cultura e da organização social. Os documentos escritos levantados são jornais da época, particularmente do município de Campinas, como Correio Popular, Diário do Povo e Gazeta de Campinas. Os dados levantados até agora (já pesquisa está ainda em andamento) propiciaram o surgimento de várias outras indagações sobre a natureza do objeto de pesquisa folclore, que revelou para o autor da pesquisa o grau de dificuldade encontrado na aproximação e na captura do objeto de pesquisa.

Educação - Folclore - Brasil-História-1945-1964

H0610

UM ESTUDO SOBRE AS RELAÇÕES QUE OS JESUÍTAS ESTABELECERAM A PARTIR DA EDUCAÇÃO COM OS PRATICANTES DE CRENÇAS E RITUAIS NÃO CATÓLICOS


Thaís Pinheiro Zarattini Anastácio (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Claudinei Lombardi (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O presente projeto retoma as discussões sobre o Período Jesuítico. É notória a importância histórica da Companhia de Jesus para o processo de colonização brasileiro. O projeto visa contribuir em um aspecto ainda pouco abordado: a conturbada relação de oposição da Companhia de Jesus com diferentes crenças e rituais não-católicos, como a bruxaria, o xamanismo e a feitiçaria. O objetivo da pesquisa, desta forma, não é apenas rememorar, a partir da consulta de documentos históricos e produções científicas do Período Jesuítico, a importância da catequização indígena e a influência jesuítica na educação brasileira no período de afirmação da colonização portuguesa; está em colocar a importância do combate às práticas religiosas não-oficiais, analisando e compreendendo a prática repressiva existente no período colonial e aplicada pelos jesuítas às mais diferentes manifestações não-católicas.

Jesuítas - Educação - Ritos e cerimônias

H0611

DIAGNÓSTICO DO ESTADO DE ARTE DO ENSINO DE FILOSOFIA NO ESTADO DE SÃO PAULO: CONTEÚDOS, METODOLOGIA DE ENSINO, MATERIAIS E RECURSOS DIDÁTICOS


Cristiane Andrade Yamane (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Lidia Maria Rodrigo (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

O retorno da Filosofia ao ensino médio em todo o território nacional tornou urgente a reflexão sobre algumas questões relacionadas às praticas pedagógicas dos professores dessa disciplina. O presente projeto de pesquisa teve como objetivo traçar um diagnóstico crítico sobre os conteúdos, procedimentos de ensino e recursos didáticos empregados por professores que atuam na rede estadual de ensino de São Paulo. A metodologia adotada compreendeu uma investigação teórica sobre esses aspectos didático-pedagógicos, a partir de bibliografia especializada que consta do projeto, e também uma pesquisa empírica com base nos questionários aplicados ao universo de professores da rede estadual no ano de 2005, durante o curso de qualificação “Filosofia e Vida”. Os resultados da pesquisa evidenciaram a existência de grande desorientação entre os professores, com práticas pedagógicas muito diferenciadas, elaboradas ao sabor das preferências pessoais de cada docente. O diagnóstico crítico levou à conclusão de que se torna urgente e necessário formular uma proposta de ensino mais sistematizada e coerente com as exigências inerentes à natureza reflexiva da filosofia, de modo a contemplar tanto o ensino de conteúdos como o desenvolvimento das competências lógico-discursivas próprias dessa área do conhecimento.

Ensino de filosofia - Filosofia no ensino médio - Práticas pedagógicas

H0612

PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO INSTITUCIONAL: ESCOLA ESTADUAL CARLOS GOMES DE CAMPINAS


Andréa Quattrer Pereira Lopes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Cristina Menezes (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Este trabalho está inserido no projeto de “Preservação do patrimônio histórico institucional: Escola Estadual Carlos Gomes de Campinas”, que se enquadra na temática da história das instituições educativas, na área da história da educação. Desenvolveu-se nas dependências da Escola Estadual Carlos Gomes, que foi o primeiro estabelecimento destinado à formação de professores na cidade de Campinas, antiga Escola Normal, inaugurada em maio de 1903. Este estudo, primeiramente, detinha-se ao período de 1911 a 1920 e foi posteriormente ampliado, estendendo-se à década de 1930, pois no material levantado, referente ao primeiro período, constatou-se uma forte influência do método intuitivo, mas a fim de não descartar também os manuais, as revistas de ensino e os anuários localizados em grande número na biblioteca histórica da instituição, trazendo a influência escolanovista para o estudo da formação das normalistas, foi considerado também o período posterior. A escola foi, ao longo de cem anos, produtora de um acervo documental significativo para a construção do conhecimento da sua história, bem como, da história da educação em Campinas e no Estado de São Paulo, o trabalho de conservação e organização desse acervo, sobretudo dos manuais, constituiu-se em item prioritário desse sub-projeto.

História da educação - Preservação documental - Cultura escolar

H0613

MEMÓRIA E HISTÓRIA DO GRUPO ESCOLAR OROSIMBO MAIA -CAMPINAS (1939 -1971)


Carla Carolina Tortorelli Bizarro (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Maria do Carmo Martins (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Tendo vínculo com o Centro de Memória da Faculdade de Educação da UNICAMP, este projeto dá continuidade a um primeiro projeto intitulado: “Seu Nome Vibrante é uma Glória: Memória e História do Grupo escolar Orosimbo Maia”, de agosto de 2007. Teve em seus objetivos a premissa de organizar, preservar a memória da educação da região Metropolitana de Campinas através do antigo Grupo Escolar Orosimbo Maia, hoje Escola Estadual Orosimbo Maia, no período de 1939-1971, e de disponibilizar fontes que permitam a realização de estudos com um caráter histórico. Juntamente com a organização do arquivo escolar, visou a construção das bases monográficas da escola, para assim dar contribuição à história da educação brasileira com destaque na abordagem sobre culturas escolares. Trata-se de um projeto contextualizado no período republicano, que abarca a fase da ditadura do Estado Novo (1937) até a reforma educacional, LDB 56292/71, ocorrida no ano de 1971 durante a ditadura Militar no Brasil. O projeto também nos possibilitou conhecer como era a comunidade escolar no período.

Memória da educação - Grupos Escolares - Culturas Escolares

H0614

APOIO AO PROJETO: ASPECTOS DO IMAGINÁRIO DE LICENCIANDOS EM FÍSICA - FOCO NA FÍSICA MODERNA, CONTEMPORÃNEA E NA PESQUISA EM ENSINO DE FÍSICA


André Coelho da Silva (Bolsista IC CNPq) e Profa. Dra. Maria José Pereira Monteiro de Almeida (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Analisamos, a partir da aplicação de um questionário respondido no dia da matrícula, como 35 ingressantes na graduação da Unicamp (2009) nos cursos de Física / Matemática / Matemática Aplicada e Computacional (Cursão), Física – licenciatura, Matemática – licenciatura e Estatística interpretam um texto curto que se refere à relatividade e à física quântica. O texto é formado por fragmentos do livro “A Evolução da Física” de Albert Einstein e Leopold Infeld. Também lhes perguntamos se textos como esse poderiam e / ou deveriam ser trabalhados no ensino médio. Para a análise, nos apoiamos em algumas noções da Análise de Discurso (AD) na vertente iniciada na França por Michel Pêcheux, principalmente em textos publicados no Brasil por Eni Orlandi. A maioria dos participantes da pesquisa disse ter encontrado dificuldades na leitura do texto, mas julgou possível sua utilização no ensino médio.

Física moderna - Imaginário de licenciandos - Análise de discurso

H0615

A CRECHE, AS CRIANÇAS, O EDUCADOR-REFERÊNCIA E SUAS RELAÇÕES


Isabella Piran Buscher (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Orly Zucatto Mantovani de Assis (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A criança pequena necessita de cuidados especiais quando se encontra fora do ambiente familiar, no caso desta pesquisa, na instituição creche. Conforme mostram os estudos de Goldschmied (2006) e Hohmann (2004), a presença de um educador-referência é de extrema importância para garantir o desenvolvimento global da criança. Tendo em vista a importância do educador-referência, esta pesquisa buscou investigar se havia um educador responsável por casa grupo de crianças pequenas, e ainda se as rotinas diárias e os espaços físicos proporcionavam as relações afetivas entre o educador e as crianças.

Creche - Educador-referência - Crianças

H0616

BALZAC E A QUÍMICA. UMA ANÁLISE DO ROMANCE


Aline Pereira do Nascimento (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Pedro da Cunha Pinto Neto (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O trabalho é resultado da análise do romance “A procura do absoluto”, do escritor francês Honoré de Balzac (1799-1850), publicado inicialmente em 1834, como parte integrante da obra “A Comédia Humana”. Em nossa leitura abordamos a trajetória do personagem Baltasar Claes, o qual assume o papel de homem de ciência. Baltasar Claes é membro de uma família aristocrática francesa, ao estudar química na juventude se vê tocado pelo ideal de encontrar uma substância que seria a origem de todas as coisas do universo. O romance narra as desventuras de Baltazar em sua busca, na qual gasta toda a sua juventude, sua saúde física e mental, e também a fortuna da família, em prol de uma suposta descoberta científica, ou como os demais personagens do romance interpretam, numa loucura. Ao narrar o processo de degeneração física e mental pelo qual passa Baltazar Claes, e características físicas que adquire, Balzac constrói um tipo que será reconhecido como a encarnação do “cientista louco”. Deste modo a pesquisa nos faz refletir sobre como este tipo de literatura influenciou na construção de um imaginário sobre a ciência e seus protagonistas. Podemos indagar até que ponto alguns personagens literários contribuem em nossas representações de ciência e homem de ciência?

Química-literatura - Ciência-História - Representações

H0617

A QUÍMICA NOS TEXTOS ORIGINAIS DE FARADAY E LAVOISIER


Helena Iwamoto Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Pedro da Cunha Pinto Neto (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O presente trabalho é resultado da análise da edição brasileira do “Tratado Elementar de Química”, obra de autoria do químico francês Antoine-Laurent Lavoisier (1743-1794), publicado pela primeira vez 1789 na França, e considerado como um dos textos fundadores da “química moderna”. A escolha do “Tratado” como objeto de análise é uma iniciativa no sentido de atender à necessidade de incorporação da história da ciência nos currículos dos cursos de formação de professores de ciências, considerando que o processo de ensino de ciências deve ser histórico. Em nossa leitura do “Tratado” nos deparamos com as questões que Lavoisier procurou responder, o modo como enfrentou cada uma, as técnicas que utilizou, e interpretações que deu aos fenômenos químicos observados. Concluímos que a leitura do “Tratado Elementar de Química” no ensino de química pode gerar reflexões sobre os processos de construção do conhecimento químico, pois permite o contato com as práticas executadas por Lavoisier, o processo de constituição de uma nova nomenclatura química, e o surgimento das teorias que se constituíram nos fundamentos da “química moderna”, trazendo para o ensino a dimensão histórica e tornando-o mais prazeroso.

Quimica-história - Química-ensino - Formação de professores

H0618

A RELAÇÃO PSICANÁLISE - LITERATURA PARA FREUD A PARTIR DE SUAS ANÁLISES SOBRE A GRADIVA E O HOMEM DA AREIA


Lara Medeiros Borges Pereira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Regina Maria de Souza (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Este trabalho teve como objetivo apontar elementos presentes nas obras literárias Gradiva, de William Jensen, e O Homem da Areia, de E.T.A. Hoffmann, que possibilitaram a Freud adensar conceitos importantes para a primeira tópica. Foi possível observar que, no estudo da Gradiva, Freud buscou em elementos como sonhos, sintomas e discursos truncados dos personagens uma maior compreensão da operação do inconsciente como sede constitutiva do sistema simbólico, demonstrando que a análise da linguagem é inseparável das conexões causais que determinam a imprecisão do sentido que a própria linguagem veicula. Já no estudo sobre O Homem da Areia, através de uma longa explanação acerca do conceito de “unheimlich”, Freud, entre outros aspectos, oferece boas pistas para ser entendida a origem do racismo ou do preconceito – a impossibilidade de ver no outro partes próprias reprimidas, mas que, um dia, foram familiares ao sujeito. Por fim, pôde-se concluir que Freud e os autores das obras por ele estudadas compartilham de duas posições importantes: a de criadores literários, visto que, por meio de sua obra Freud também se revelou um grande escritor, bem como a de conhecedores profundos e sensíveis da mente humana, que foram muito além dos demais homens na busca de uma maior compreensão da mente em seus aspectos mais recônditos, sombrios e também potentes.

Psicanálise - Literatura - Freud

H0619

A TEORIA ALTHUSSERIANA DA ESCOLA COMO “APARELHO IDEOLÓGICO DE ESTADO” NO CONTEXTO ATUAL DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA


Carmen Aline Alvares Nogueira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Renê José Trentin Silveira (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A concepção althusseriana da escola como Aparelho Ideológico de Estado, segundo a qual ela atuaria como instrumento de reprodução da sociedade capitalista mediante a inculcação massiva da ideologia dominante e o ensino de saberes práticos e teóricos necessários ao bom funcionamento do sistema produtivo, parece perder sua força persuasiva ou ganhar novo significado quando confrontada com o crescente rebaixamento do ensino destinado às camadas populares, evidenciado pelos recentes resultados obtidos nos diferentes processos de avaliação oficial da educação brasileira. Afinal, como pode a instituição escolar cumprir esta função (de AIE) e, mais ainda, constituir-se, como afirma Althusser, em AIE dominante nas sociedades capitalistas, se não atende satisfatoriamente à maioria da população? Assim, a presente pesquisa pretende estudar de forma rigorosa e sistemática a referida teoria, mergulhando mais profundamente nas obras do próprio autor e de alguns de seus comentadores, e confrontando-a com os dados levantados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) através do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB), da Prova Brasil e do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), a fim de investigar se e em que medida ela pode ser considerada um referencial teórico pertinente e eficaz para a compreensão do papel desempenhado hoje pela escola na sociedade brasileira.

Educação e reprodução - Teorias da educação - Educação e ideologia

H0620

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: AS DIMENSÕES AFETIVAS NA MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA


Daniela Gobbo Donadon (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Sérgio Antônio da Silva Leite (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A pesquisa tem por objetivo pesquisar as relações afetivas nas práticas pedagógicas envolvendo jovens e adultos, com foco nas relações que se estabelecem entre professor e aluno. Focalizam-se os aspectos afetivos positivos nas práticas pedagógicas observadas. Tem como sujeitos alunos em processo de escolarização na FUMEC de Campinas (Fundação Municipal para a Educação Comunitária). As bases teóricas fixam-se na área da Psicologia, principalmente em VYGOTSKY (1998, 2005) e WALLON (1968, 1979). A coleta de dados toma por base a metodologia qualitativa utilizando o procedimento de autoscopia. Foram realizadas filmagens da sala de aula, edição dos vídeos e exibição para os sujeitos durante as sessões de autoscopia onde os mesmos verbalizavam sobre as práticas observadas, gerando os dados da pesquisa. Os dados obtidos foram agrupados em núcleos de significação para realização da análise, a qual toma por base a abordagem teórica assumida, sem deixar de dar a devida importância ao caráter social ao qual a modalidade EJA nos remete. Sua pertinência firma-se na relevância social do tema, na atualidade e importância da questão da Afetividade e nas possibilidades de contribuir para o maior conhecimento da temática ainda pouco pesquisada.

Afetividade - Autoscopia - Educação de jovens e adultos

H0621

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA EDUCAÇÃO BÁSICA E INOVAÇÃO INSTITUCIONAL: EXPANSÃO DO ENSINO E FORMAÇÃO DE PROFESSORES NUM CONTEXTO DESCENTRALIZADO


Ana Carolina Godinho dos Reis (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Vicente Rodriguez (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Criada pela Lei Complementar Estadual no. 870 de 19 de junho de 2000, a Região Metropolitana de Campinas* (RMC) é composta por 19 municípios que juntos buscam encontrar medidas de implementação e organização de políticas públicas para melhoria em suas infra-estruturas. Para auxiliar a administração da RMC foram criadas as Câmaras Temáticas, totalizando 10 Câmaras com reuniões regulares nas áreas de saúde, educação, saneamento, transporte, entre outras. Nessa pesquisa, nosso objeto de estudo é a Câmara Temática de Educação. Criada em junho de 2002, pelo conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Campinas (RMC) e composta por Secretários Municipais de 12 dos 19 municípios, que compõem a Região é considerada o maior órgão de deliberação sobre educação da mesma e tem como objetivo o levantamento das necessidades educacionais e a tentativa de criar soluções para os problemas educacionais dos municípios da RMC. Através de entrevistas com os responsáveis pela Câmara Temática de Educação e visita à mesma, vamos analisar como ocorre seu funcionamento, sua estrutura e quais suas principais deliberações, assim como os principais problemas educacionais que está Região enfrenta. *A RMC é composta pelos seguintes municípios: Americana, Artur Nogueira, Campinas, Cosmópolis, Engenheiro Coelho, Holambra, Hortolândia, Indaiatuba, Itatiba, Jaguariúna, Monte Mor, Nova Odessa, Paulínia, Pedreira, Santa Bárbara D´Oeste, Santo Antônio de Posse, Sumaré, Valinhos e Vinhedo.

Polïtícas públicas - Formação de professores - Expansão do ensino

H0622

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA EDUCAÇÃO BÁSICA E INOVAÇÃO INSTITUCIONAL: O PÚBLICO E O PRIVADO NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM CONTEXTOS DESCENTRALIZADOS


Erika Moreira Martins (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Vicente Rodriguez (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O objetivo deste trabalho é o de, a partir do processo de descentralização, analisar as políticas públicas para formação continuada de professores das redes municipais de ensino da Região Metropolitana de Campinas – RMC, destacando suas relações com o setor privado. Ao realizarmos a análise do pensamento empresarial através de elementos discursivos buscamos identificar as intencionalidades subjacentes à ênfase dada pelas empresas a respeito de sua atuação e responsabilidade social pela educação. Este discurso sugere que o Estado – ineficiente – deve terceirizar a execução dos serviços sob sua responsabilidade, de modo que empresas assumam a tarefa da elaboração e implementação de políticas públicas educacionais segundo pressupostos mercadológicos. A partir da municipalização do ensino fundamental, com a demanda de professores e as pressões externas para oferta de cursos de formação, e ainda, existindo recursos financeiros com destinação específica para tal, os municípios, mesmo sem tradição ou história institucional na oferta de formação continuada, assumem esta tarefa. No entanto, para tal oferta, a sociedade civil organizada se dispõe a dividir a tarefa educacional realizando parcerias na elaboração e/ou implementação de serviços de responsabilidade do setor público. Metodologicamente, além da pesquisa bibliográfica, consultamos dados oficiais das matrículas no ensino fundamental e informações das secretarias de educação e das empresas parceiras em sítios eletrônicos oficiais.

Política pública educacional - Formação de professores - Público e privado

H0623

POLÍTICAS PÚBLICAS: O PÚBLICO E O PRIVADO NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM CONTEXTOS DESCENTRALIZADOS


Luna Camargo Penna (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Vicente Rodriguez (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Como objetivo específico da pesquisa pontuamos a análise das ações estatais na implementação das políticas para à formação continuada de professores. Através das ações estatais tanto federais quanto municipais, busca-se refletir as novas configurações do público, tanto em relação a atual tendência das parcerias público-privadas quando parcerias público-público. Tendo como foco de análise, através da pesquisa de campo, as políticas realizadas pela prefeitura de Campinas, pautando-se mais diretamente nas ações realizadas pelo centro de formação continuada do município, CEFORTEPE. A pesquisa, como já foi dito anteriormente, estrutura-se na configuração contrária das políticas de formação continuada, já que a nova lógica aponta a crescente articulação dos setores privados para a elaboração e implementação de políticas públicas. Dessa forma as nossas análises serão restritas as ações estatais feitas em âmbito municipal, por meio do estudo de caso da cidade de Campinas, e merece atenção, a nível federal, a Rede nacional de formação dos profissionais do magistério, com fim de organizar dentro de um projeto de cooperação entre União, Estados e Municípios, a formação inicial e continuada dos profissionais do magistério para as redes públicas da educação básica.

Política pública educacional - Formação de professores - Cursos de formação

H0624

ATROPELOS, PARALISAÇÕES, MOVIMENTOS: UM EDUCAR ENTRE IMAGENS


Fernanda Cristina Martins Pestana (Bolsista PIBIC/CNPq), Susana Oliveira Dias e Prof. Dr. Wenceslao Machado de Oliveira Junior (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A fotografia materializa um momento, um instante vivido, traduz para a bidimensionalidade uma realidade fragmentada, multiplicada, transformada, que pode ser considerada uma ficção. As imagens fotográficas movimentam uma série de aparições/apagamentos, o imperceptível torna-se visível, o tempo pode ser congelado, o movimento pode ser paralisado, as pessoas sofrem mutilações, cores misturam-se, aglomeram-se e criam formas que sugerem algo novo, o momento perde seu contexto original possibilitando novas associações. O artista/fotógrafo faz escolhas, seleciona um recorte da realidade, transforma-a, faz omissões, exalta o não visto e o imprevisto. Faz poesia do mundo, enxerga a beleza escondida na vida cotidiana, atropelada por um tempo que não descansa. Sob este olhar, as fotografias de Alik Wunder foram estudadas nesta pesquisa e impulsionaram aproximações entre outras imagens, entre outras obras e artistas, nas quais é possível observar os mesmos questionamentos sobre as imagens. Geraram também uma nova produção de imagens, na qual os pensamentos levantadados foram transcritos pela própria linguagem visual, porém em associação com literatura, palavras, formas e cores. O suporte fotográfico é substituído pelo eletrônico, que permite a manipulação das fotografias e, portanto, a criação de novas possibilidades de visibilidades das imagens iniciais.

Educar - Imagens - Arte

H0625

METÁFORAS EM LUZ: UM ESTUDO SOBRE AS PROBLEMATIZAÇÕES CRIADAS PELA LUZ NOS BLOGS DO PROJETO BIOTECNOLOGIAS DE RUA


Glauco Roberto da Silva (Bolsista IC CNPq) e Prof. Dr. Wenceslao Machado de Oliveira Junior (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Este estudo está vinculado ao Projeto Biotecnologias de Rua, realizado no Labjor/Unicamp em parceria com o Laboratório OLHO da FE/Unicamp. Nele temos explorado imagens e textos a fim de proporcionar artefatos de divulgação pública e científica das biotecnologias. Dentro do Biotecnologias de Rua foi  desenvolvida o portal do Projeto, www.labjor.unicamp.br/biotecnologias,  composto por dez blogs, sendo alguns deles temáticos, focando ambientes sociais das ruas onde os temas e imagens das biotecnologias circulam e provocam pensamentos e imagens acerca da vida. Neste estudo focaremos em apenas dois destes blogs: igreja e pet-shop. Em ambos encontraremos postagens onde a luz conversa com imagens sagradas e cientificas, tais postagens buscam uma interação entre as criações do projeto e o internauta, viabilizando o diálogo acerca dos sentidos da luz nas imagens religiosas de cristo e nas fotografias contemporâneas da temática transgênica. A luz que aparece nas imagens dos novos animais transgênicos conserva algo dos sentidos da luz, divina, que emoldura cristo nas pinturas cristãs? Assim, temos como centro que dá movimento ao projeto as postagens dos internautas nestes dois blogs; elas visam entender melhor como estão sendo significadas pelo público às luzes presentes nas imagens resultantes das pesquisas em manipulação genética que geram “seres luminosos”.

Luz - Bioptecnologia - Internet





Compartir con tus amigos:
1   ...   71   72   73   74   75   76   77   78   ...   95


La base de datos está protegida por derechos de autor ©psicolog.org 2019
enviar mensaje

enter | registro
    Página principal


subir archivos