Universidade estadual de campinas


INVESTIGAÇÃO DA INTERAÇÃO DO INIBIDOR NOVOBIOCINA COM A PROTEÍNA HSP90, UM ALVO MOLECULAR NO COMBATE AO CÂNCER



Descargar 4.56 Mb.
Página71/95
Fecha de conversión03.12.2017
Tamaño4.56 Mb.
Vistas2267
Descargas0
1   ...   67   68   69   70   71   72   73   74   ...   95

INVESTIGAÇÃO DA INTERAÇÃO DO INIBIDOR NOVOBIOCINA COM A PROTEÍNA HSP90, UM ALVO MOLECULAR NO COMBATE AO CÂNCER


Gilce Oliveira Lopes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Carlos Henrique Inácio Ramos (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A família da chaperona molecular HSP90 (Heat shock protein) está integralmente envolvida na sinalização celular, proliferação, e sobrevivência do organismo e é ubiquamente expressa nas células. Muitas proteínas envolvidas no câncer são dependentes da HSP90 para manutenção de sua estabilidade, re-enovelamento e maturação. A inibição da Hsp90 parece atingir unicamente proteínas clientes envolvidas com a manutenção do fenótipo tumoral. Por isso, a Hsp90 tem sido um alvo promissor no tratamento dessa doença. Hsp90 é um dímero onde cada monômero apresenta três domínios. O domínio N-terminal contem um sítio de ligação de ATP que liga os produtos naturais geldanamicina e radicicol, inibidores da chaperona. O domínio central é bastante carregado e tem uma alta afinidade por co-chaperones e proteínas clientes. Diversos estudos sugerem a existência de segundo sítio de ligação de ATP no C-terminal da Hsp90, que pode ligar outras pequenas moléculas, como novobiocina, também um inibidor. Aqui, apresentamos a purificação do domínio recombinante C-terminal da Hsp90α humana e os testes iniciais de ligação com novobiocina. O estado nativo da proteína recombinante foi investigado por dicroísmo circular e fluorescência do triptofano e mostraram que a proteína está enovelada. Contudo, a presença da novobiocina parece afetar tanto a estabilidade, como investigado por denaturação térmica e a estrutura, investigada por técnicas que fornecem informações sobre a estrutura secundária. Experimentos de calorimetria estão em fase inicial para investigar parâmetros relacionados à termodinâmica da interação novobiocina-Hsp90.

Chaperona - Enovelamento de proteína - Interação proteína ligante

E0504

SÍNTESE ESTEREOSSELETIVA DE NOVAS 5-ARILPROLINAS E SEU USO COMO ORGANOCATALISADORES EM REAÇÕES DE MANNICH MULTICOMPONENTE


Luís Eduardo Roberto (Bolsista IC CNPq), Marla Narciso Godoi, Marcelo Rodrigues dos Santos e Prof. Dr. Carlos Roque Duarte Correia (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O uso de moléculas orgânicas pequenas em catálise assimétrica tem se mostrado uma metodologia promissora e vêm recebendo grande atenção do meio acadêmico, principalmente em estudos que envolvem o uso da L-prolina como organocatalisador. Análogos da prolina vêm sendo utilizados em diversos tipos de transformações assimétricas, entretanto há poucos métodos para a síntese de arilprolinas, em particular 5-arilprolinas. Sendo assim, neste trabalho demonstramos a utilização da reação de arilação de Heck com sais de diazônio como etapa-chave na síntese de novas 5-arilprolinas. A partir do ácido piroglutâmico, utilizando metodologia desenvolvida em nosso grupo de pesquisa, a olefina foi preparada em bom rendimento global. A reação de arilação de Heck dessa olefina foi realizada com excelente diastereosseletividade e bons rendimentos, fornecendo os adutos arilados trans como isômero principal. Em seguida, após hidrogenação catalítica e remoção do grupamento Boc obtivemos a respectivo aminoéster em ótimo rendimento. Por fim, a hidrólise do éster trans em meio ácido resultou no correspondente aminoácido arilado. Além disso, resultados preliminares relacionados à aplicação destes compostos como organocatalisadores em reação de Mannich multicomponente foram obtidos com resultados modestos, porém promissores que necessitam maior investigação.

5-Arilprolinas - Arilação de Heck - Reações de Mannich

E0505

OBTENÇÃO DE DISPERSOÕES COLOIDAIS DE NANOPARTÍCULAS DE ÓXIDO DE FERRO ESTABILIZADAS POR ÁCIDO OLÉICO E SDS


Juliana Rodrigues Silveira (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Celso Aparecido Bertran (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Dispersões de nanopartículas de óxido de ferro magnético, Fe3O4, (magnetita) têm despertado grande interesse em diversas áreas, principalmente na medicina, devido ao possível uso na distribuição controlada de drogas, em diagnósticos e terapias. Para a inserção dessas nanopartículas no organismo, no entanto, estas devem estar previamente revestidas tornando-as menos tóxicas e menos susceptíveis à aglomeração. Neste trabalho, nanopartículas de magnetita foram sintetizadas por coprecipitação a partir de soluções contendo íons Fe2+ e Fe3+. As partículas também foram sintetizadas por coprecipitação em “cristal líquido” formados pela solução de íons ferro e SDS como surfactante. As nanopartículas foram dispersas em ácido oléico após a síntese pelos dois métodos. Os resultados mostraram a formação de nanopartículas de magnetita, porém as dispersões das partículas em água apresentaram aglomeração acentuada. Quanto ao caráter superparamagnético, é melhor pronunciado quando as partículas são sintetizadas pelo método da coprecipitação química.

Sois de nanopartículas - Oxido de ferro - Acido oleico e SDS

E0506

ESTUDOS AB INITIO DE PROPRIEDADES ESTRUTURAIS DO TRIMERO DE ALUMINIO AL3(OH)4 (5+) E CÁLCULO DE PROPRIEDADES POR SIMULAÇÃO DE DINÂMICA BROWNIANA


Thiago Duarte (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Celso Aparecido Bertran (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O estudo das espécies hidroxiladas de alumínio em solução é importante para diversas áreas como a médica e farmacêutica, materiais cerâmicos e catalisadores e no processo de tratamento de água. Nestas soluções as espécies hidroxiladas de alumínio existentes dependem do pH. Neste projeto, a espécie denominada de trímero [Al3(OH)4]5+ foi estudada. O trímero é importante por ser o “bloco formador” para as espécies de alumínio mais complexas. Porém, compostos formados por esta espécie não foram isolados até o momento, desta forma, o uso de ferramentas da Química Teórica representam uma boa alternativa para investigar suas propriedades. Neste projeto, a estrutura desta espécie foi otimizada utilizando o software Gaussian 98 e bases de função de onda adequadas. Além da estrutura foi determinada a distribuição de cargas na espécie tanto no vácuo como em solução, considerando o solvente um meio dielétrico contínuo. A otimização da estrutura do trímero mostrou que ele é rígido e simétrico, devido a isso, a sua distribuição de carga aproximou a estrutura para uma esfera com carga centralizada. Além das propriedades estruturais determinou-se para a espécie, através de dinâmica Browniana utilizando o software BrownRig, o coeficiente de difusão em solução e valores de potencial zeta em função da protonação da espécie.

Íon alumínio - Hidróxido de alumínio - Simulação browniana

E0507

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA PARA PURIFICAÇÃO DE ÁGUA POR FOTOCATÁLISE HETEROGÊNEA ELETROASSISTIDA UTILIZANDO ELETRODO DE TIO2 NANOCRISTALINO E CÉLULAS SOLARES


Fernando César Lourenço Miaise (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Claudia Longo (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Visando desenvolver um método simples e eficiente para o tratamento de água, estamos investigando um sistema que remove poluentes orgânicos da água por fotocatálise heterogênea eletro-assistida (FHE). O primeiro protótipo consiste de uma célula solar conectada a um fotoeletrodo de TiO2 (área=9 cm2) e um contra-eletrodo (CE) de Pt e apresenta capacidade para tratar 10 mL de solução. Neste projeto, visando diminuir os custos, investigamos o uso de cobre e grafite como CE; em um simulador solar, na remediação de solução aquosa com 50 mg/L de fenol, obtivemos desempenho similar ao da Pt. A ampliação da capacidade do sistema foi investigada para fotoeletrodos de 35 cm2 no tratamento de 70 mL de solução; na condição de fotocatálise heterogênea (sem CE), observou-se a degradação de 25% do poluente após 4 h sob irradiação. A adaptação de uma bomba de aquário possibilitou circular pelo sistema 1 L de solução em fluxo; nesta condição, a quantidade de fenol degradada foi similar à obtida no tratamento de 70 mL de solução. O estudo do desempenho do sistema de maior capacidade (fotoeletrodo com 35 cm2 para 1 L de solução) na condição FHE, com CE de cobre e conectado à célula solar, está em andamento; espera-se desenvolver um sistema que apresente baixo custo e alta eficiência para purificação de água utilizando energia solar.

Fotocatálise heterogênea - TiO2 - Purificação de água

E0508

ESTUDO DA ATIVIDADE FOTOCATALÍTICA DE SNO2/FE2O3 E SNO2/TIO2 PREPARADOS COM SNO2 RESULTANTE DO TRATAMENTO DE RESÍDUOS DE AMÁLGAMA DENTAL


Laura Pires Gentil Negrão (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Claudia Longo (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Óxidos semicondutores têm sido utilizados na degradação de poluentes orgânicos por fotocatálise heterogênea. Sob irradiação com energia superior à energia de banda proibida do semicondutor, ocorre a separação de cargas elétron/lacuna e a formação de radical hidroxila (·OH) na superfície, um agente oxidante capaz de promover a mineralização de diversos compostos orgânicos a CO2 e água. Considerando tal propriedade, investigamos uma possível aplicação para o SnO2 proveniente do tratamento de amálgama dental produzido no Lab. Gerenciamento de Resíduos Odontológicos, USP-Ribeirão Preto. Na literatura, relata-se que o SnO2 apresenta baixa atividade catalítica, que pode ser aumentada se misturado a outros semicondutores. Neste projeto, utilizaram-se filmes de óxidos mistos depositados em vidro (área=8 cm2) no tratamento de 10 mL de solução aquosa com 50 mg/L de fenol. Após irradiação em simulador solar por 4 h, medidas de carbono orgânico total indicaram a mineralização de (254)% do poluente para os filmes de SnO2/Fe2O3 e (337)% para o filme de SnO2/TiO2. O aumento da atividade catalítica nos óxidos mistos deve-se à posição relativa das bandas de valência e de condução dos semicondutores, o que evita a recombinação do par elétron-lacuna e aumenta sua atividade fotocatalítica.

Fotocatálise heterogênea - SnO2 - Óxidos semicondutores

E0509

FOTOCATÁLISE HETEROGÊNEA COM ELETRODO DE TIO2: ESTUDO DA OXIDAÇÃO DE POLUENTES ORGÂNICOS NO COMPARTIMENTO ANÓDICO E DA DEPOSIÇÃO DE COBRE NO COMPARTIMENTO CATÓDICO


Marcus Vinicius Fattor (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Claudia Longo (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A conscientização da importância da qualidade da água tem crescido em todos os setores da sociedade. Motivados em desenvolver um método eficiente e de baixo custo para o tratamento de água, estamos investigando um sistema que utiliza a radiação solar na purificação de água por fotocatálise heterogênea eletro-assistida. O sistema é constituído por uma célula solar associada em série a um compartimento anódico (um eletrodo com filme de TiO2 nanocristalino) e um compartimento catódico (eletrodo de cobre ou grafite) conectados por uma ponte salina. Neste estudo, utilizou-se uma solução aquosa 50 mg/L de fenol no compartimento anódico e uma solução 0,04 M de CuSO4 no compartimento catódico, ambas contendo 0.1 M de Na2SO4 como eletrólito suporte. O sistema foi irradiado por 4 h em simulador solar, apresentando corrente média de 0.17 mA. Medidas de carbono orgânico total indicaram a degradação de 54 % de fenol no compartimento anódico; no catodo, observou-se a deposição de 1.3 mg de cobre. Este sistema possibilita, portanto, a degradação de poluentes orgânicos no compartimento anódico com simultânea remoção de íons metálicos em solução por eletrodeposição no compartimento catódico, utilizando apenas a energia solar.

Fotocatálise heterogênea - TiO2 - Purificação de água

E0510



Compartir con tus amigos:
1   ...   67   68   69   70   71   72   73   74   ...   95


La base de datos está protegida por derechos de autor ©psicolog.org 2019
enviar mensaje

enter | registro
    Página principal


subir archivos