Universidade estadual de campinas


EMPREGO DE SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS AUXILIARES COMO DESINFECTANTES NA PRÁTICA ENDODÔNTICA



Descargar 4.56 Mb.
Página50/95
Fecha de conversión03.12.2017
Tamaño4.56 Mb.
Vistas2265
Descargas0
1   ...   46   47   48   49   50   51   52   53   ...   95

EMPREGO DE SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS AUXILIARES COMO DESINFECTANTES NA PRÁTICA ENDODÔNTICA


Geovania Caldas Almeida (Bolsista IC CNPq), Francisco Montagner e Profa. Dra. Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O objetivo deste trabalho foi avaliar a contaminação dos microscópios clínicos operatórios empregados durante o tratamento endodôntico e o potencial anti-séptico e residual da solução aquosa de clorexidina 2%, solução alcoólica de clorexidina 2% e álcool 70%. Sessenta amostras microbiológicas foram coletadas das lentes objetivas e oculares dos microscópios em 2 momentos: após a desinfecção (coleta inicial) e após o procedimento odontológico (coleta final). As amostras foram processadas, incubadas e os microrganismos identificados por meio de testes bioquímicos. Os dados obtidos foram submetidos à análise de freqüência. As três substâncias químicas testadas apresentaram 100% de ação desinfetante imediata, apenas a solução alcoólica de clorexidina 2% mostrou uma ação residual de eficácia de 10%. As bactérias encontradas com maior frequência pertenciam à família Staphylococcaceae (91%), dentro desta família a espécie Staphylococcus epidermidis prevaleceu no total de 60,5% das amostras. Conclui-se que a desinfecção prévia ao procedimento foi efetiva, e que a manipulação de equipamentos durante o tratamento promove contaminação dos mesmos.

Desinfecção - Endodontia - Substâncias químicas

B0263

AVALIAÇÃO IN VITRO DA AÇÃO ANTIMICROBIANA DA CLOREXIDINA LÍQUIDA E GEL A 2% EM DIFERENTES CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO


Katharina Wagner (Bolsista PIBIC/CNPq), Fernanda Chamosa D’Amore, Francisco Montagner (Co-orientador) e Profa. Dra. Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O objetivo do presente estudo foi avaliar a atividade antimicrobiana e pH das clorexidinas gel e líquida a 2% armazenadas a 8ºC ou 37ºC após 7, 14, 30, 60 e 90 dias. A ação antimicrobiana foi testada frente ao E faecalis, através do método de difusão em ágar e o pH foi verificado em pHgâmetro digital. Análise estatística foi realizada utilizando teste ANOVA e Tuckey ou Exato de Fisher (p<0.05). Notou-se que o pH inicial da CHX 2% gel e líquida é próximo ao neutro, tornando-se básica com o passar do tempo, independentemente da temperatura. CHX 2% líquida e gel foram capazes de produzir halos de inibição em todos os períodos de tempo, nas diferentes condições de armazenamento. Os maiores halos de inibição foram observados quando as substâncias foram mantidas a 8°C, independente do período de tempo (p<0.05). Houve um decréscimo na atividade antimicrobiana das substâncias após 90 dias de armazenamento. Concluiu-se que o armazenamento a 8°C foi mais adequado para a preservação do efeito antimicrobiano e do pH das substâncias.

Clorexidina gel - Clorexidina liquida - Atividade antimicrobiana

B0264

AVALIAÇÃO RADIOGRÁFICA DA INCIDÊNCIA DA OBTURAÇÃO DE CANAIS LATERAIS EM CASOS CLÍNICOS REALIZADOS POR ALUNOS DE GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NA PRESENÇA OU NÃO DA MEDICAÇÃO INTRACANAL


Marina Vieira Silveira Pereira (Bolsista SAE/UNICAMP), Francisco Montagner e Profa. Dra. Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O objetivo do trabalho foi avaliar aspectos radiográficos relacionados aos tratamentos endodônticos realizados por alunos da graduação e extensão em Endodontia da FOP- UNICAMP, nos anos de 2006 e 2007, em relação à presença de canais laterais, antes e após a obturação do sistema de canais radiculares, em casos onde a medicação intracanal foi empregada ou não. Foram analisadas as fichas clínicas e radiografias pré-, trans- e pós-operatórias do arquivo de pacientes. As informações referentes à qualidade da obturação, presença de acidentes no tratamento endodôntico e preenchimento do sistema de canais radiculares com material obturador foram armazenadas em um banco de dados. A avaliação foi realizada com o auxílio de um negatoscópio e de uma lupa. Cerca de 1390 fichas clínicas foram analisadas. O gênero feminino (63,87%) e a faixa etária de 31 a 45 anos (37,2%) foram os grupos que mais procuraram atendimento endodôntico. A maior parte dos tratamentos realizados ocorreu em dentes da maxila, posteriores e com polpa vital, seguido por polpa necrótica. A medicação intracanal foi empregada em um total de 619 casos (44,62%). A análise das radiografias finais permitiu observar a obturação de canais laterais em 83 casos avaliados nas 1387 fichas clínicas (5,98%). Concluiu-se que foi baixa a presença de canais laterais visualizados radiograficamente antes e após o tratamento endodôntico e que o uso de medicações intracanais não interferiu na obturação de canais laterais.

Medicação intracanal - Canal lateral - Obturação

B0265

PROGRAMA EDUCATIVO PREVENTIVO DE SAÚDE BUCAL


Eveline Freitas Soares (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Dagmar de Paula Queluz (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O Parque Indígena do Alto Xingu(MT) abriga muito mais que uma exuberante fauna e flora amazônica mesclada com vestígios do cerrado brasileiro. Entre suas matas estão a riqueza cultural e a simplicidade no modo de viver do índio xinguano que refletem inclusive na odontologia. É neste contexto, que se relata uma experiência de quinze dias na Reserva Indígena do Alto do Xingu vivida pelo bolsista da Unicamp objetivando desenvolver atividades educativas preventivas de saúde bucal entre os índios (crianças) xinguanos. Entre elas destaca-se o hábito da higiene oral entre os índios que usavam areia branca do fundo do rio para a escovação e fio de buriti como fio dental junto a tratamentos realizados para dor nos casos de cárie, no qual eles usavam resina de uma árvore para necrosar o dente e cessar a dor, enquanto a drenagem de abcessos acontecia usando dente de peixes específicos. Fora dos limites da odontologia, podem-se observar também diferentes costumes como a festa do Kuarup, a divisão de trabalho, a passagem da infância para a adolescência com todas as suas modificações e principalmente a diferença de valores em uma sociedade que tem na sua vaidade uma marca característica e na simplicidade seu modo de vida. Desejando que a semente plantada germine e estenda suas sombras a todos.

Educativo - Preventivo - Saúde bucal

B0266

MEDIÇÃO E AVALIAÇÃO DAS RADIOGRAFIAS ODONTOLÓGICA PARA ESTIMATIVA DO SEXO EM ÍNDICE DA MAIOR ALTURA E LARGURA ORBITAL FORNECIDO PELA CLÍNICA ODONTOLÓGICA DE PIRACICABA – FOP


Flávio Humberto de Souza Azevedo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Eduardo Daruge Júnior (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O trabalho será elaborado com uma seleção com 50 radiografias de pessoas adultas, com idade de 18 a 36 anos, sendo 25 do sexo feminino e 25 do sexo masculino, elas foram previamente examinadas e avaliados, quanto à integridade anátomo-fisiológica da região das cavidades orbitais. A pesquisa será realizada com base na técnica radiográfica de Caldwell. Foram analisadas as áreas das cavidades orbitais, e também a área total, como maior altura e maior largura órbita de ambos os lados de radiografias fornecidas pela clínica odontológica de Piracicaba – FOP, a fim de se tentar estimar o sexo através destas medidas.A análise de variância foi feita com o objetivo de apoiar a decisão entre a existência de diferenças entre as médias verdadeiras das diversas variáveis observadas nos dois sexos. A análise de variância foi executada a partir do Teste t de student adequada para duas amostras independentes (sexos). As médias verdadeiras das cavidades orbitais em homens será analisada com medição com paquímetro onde poderá afirmar que será significativamente maiores que as das mulheres, quando comparadas através do teste t em um nível de significância de 5%.

Cavidade orbital - Sexo - Radiografia

B0267

ESTUDO QUALITATIVO COM MÃES DE CRIANÇAS ATENDIDAS NA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA


Igor Mello Ferrante (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Fábio Luiz Mialhe (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
Os conhecimentos e práticas dos responsáveis podem ter grande impacto na saúde bucal das crianças. Entretanto, para que as intervenções educativas alcancem o êxito desejado, é necessário inicialmente conhecer as percepções e práticas individuais em relação à saúde. Desta forma, o objetivo deste estudo foi avaliar, por meio de um estudo qualitativo, os conhecimentos e atitudes em saúde bucal de uma amostra de mães que trazem suas crianças à Clínica de Graduação – Odontologia Infantil – da Faculdade de Odontologia de Piracicaba, para que as mesmas se tornem importantes promotoras da saúde no ambiente familiar, colaborando para a manutenção da saúde bucal das crianças. Para a coleta dos dados, foram realizadas entrevistas, registradas em áudio, segundo roteiro pré-estruturado, sem direcionamento das respostas para alternativas fechadas. Os dados foram analisados segundo metodologias qualitativas: “Análise-Reflexão-Síntese”, “Ideia Central” e “Discurso do Sujeito Coletivo”. Os dados objetivos foram analisados segundo a estatística descritiva. Dentre os achados qualitativos, segundo os conhecimentos e percepções em saúde bucal, algumas mães têm o cuidado com os dentes dos filhos representado pela escovação. O fio dental raramente é citado, embora quando perguntadas, afirmem estimular o uso pelas crianças. A procura pelo dentista, normalmente, está associada à necessidade de resolução de casos agudos.

Educação em saúde - Cárie dentária - Saúde coletiva

B0268

INFLUÊNCIA DO GÊNERO E DA ANSIEDADE EXPERIMENTAL SOBRE A HOMEOSTASIA BUCAL


Eduardo Haruki Ozera (Bolsista PIBIC/CNPq), Patrícia Oliveira de Lima, Caroline Morini Calil e Profa. Dra. Fernanda Klein Marcondes (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O cortisol é um biomarcador para alterações emocionais, como estresse e ansiedade, e a imunoglobulina A (IgA) tem sido proposta como tal. O objetivo deste estudo foi avaliar a influência do gênero e da ansiedade experimental em indivíduos saudáveis, sobre parâmetros cardiovasculares, e a concentração salivar de cortisol e IgA. Participaram do estudo 19 homens e 20 mulheres, graduandos em Odontologia, com boa saúde oral, submetidos a um teste eliciador de ansiedade, o Vídeo-Recorded Stroop Color Word Test, aplicado por um experimentador do gênero masculino. Pressão arterial sistólica (PAS), diastólica (PAD) e média (PAM) foram avaliadas antes e após o teste de ansiedade. Amostras de saliva foram obtidas e congeladas para posterior dosagem de cortisol e IgA. Os resultados mostraram que o teste de ansiedade promoveu aumento nos valores de PAD e PAM, sendo que o aumento foi maior em voluntários do sexo feminino. A ansiedade induziu aumento da PAS, sem diferença entre homens e mulheres. Mulheres na fase menstrual apresentaram maiores concentrações basais de cortisol em relação a homens, sem diferença entre os gêneros após o teste de ansiedade. As dosagens de IgA serão apresentadas no congresso. Concluímos que a ansiedade e o gênero podem alterar as condições orais e contribuir para as alterações da homeostasia bucal.

Ansiedade - Cortisol - Imunoglobulina A

B0269

EFEITO DO ESTRESSE ACADÊMICO SOBRE A HOMEOSTASIA BUCAL


Pedro Henrique Moreira Paulo Tolentino (Bolsista SAE/UNICAMP), Patrícia Oliveira de Lima, Caroline Morini Calil e Profa. Dra. Fernanda Klein Marcondes (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
Alterações emocionais, como o estresse e a ansiedade, têm sido relacionadas à produção de biomarcadores salivares. Aumento nos níveis sanguíneos e salivares de cortisol é um marcador do estresse e a alfa-amilase tem sido proposta como tal. Em relação às alterações emocionais, podemos citar as promovidas pelo estresse crônico. Dentre elas, tem se estudado, a influência das atividades acadêmicas e outros fatores associados ao curso de Graduação, sendo observado que profissionais da saúde apresentam altos níveis de ansiedade. O objetivo deste estudo é avaliar o efeito de alterações emocionais, associadas a atividades acadêmicas, sobre o nível de ansiedade, pressão arterial e freqüência cardíaca, fluxo salivar, secreção salivar de cortisol e alfa-amilase, em alunos dos 4 anos do curso de Graduação em Odontologia da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (UNICAMP). Serão avaliados 19 alunos do primeiro ano, 16 do segundo, 14 do terceiro e 19 do quarto ano da Graduação. Até o momento, os resultados obtidos não permitiram análise estatística e, portanto, os resultados serão apresentados diretamente no congresso.

Estresse - Cortisol - Alfa-amilase

B0270

EFEITO DA FOTOATIVAÇÃO NA SUSCEPTIBILIDADE À PIGMENTAÇÃO SUPERFÍCIAL E INTERNA DE UM COMPÓSITO DENTAL SUBMETIDO A AGENTES PIGMENTANTES


Matheus Henrique Georgetto (Bolsista PIBIC/CNPq), Giulliana Panfiglio Soares, Anderson Catelan, Paulo Henrique dos Santos, Glaucia Maria Bovi Ambrosano,José Roberto Lovadino e Prof. Dr. Flavio Henrique Baggio Aguiar (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O estudo avaliou o efeito de quatro tipos de fonte de luz no grau de conversão (GC), alteração de cor (ΔE) e retenção de pigmentos (RP) em resina composta. Duzentas amostras foram polimerizadas aleatoriamente de acordo com os grupos experimentais (halógena, laser;  LED2 e LED3). Os espécimes foram armazenados por 24 horas e o GC foi medido por espectroscopia FTIR. Dez espécimes de cada grupo foram imersos em uma das cinco soluções (água destilada, vinho, uísque, café e cola). A cor dos espécimes foi mensurada antes e depois da exposição com um colorímetro e a mudança superficial da cor foi calculada. Posteriormente os mesmos foram preparados para a análise da espectrofotometria para obter a coloração superficial e interna. Resultados: GC: luz halógena apresentou menor GC. Para RP:o grupo uísque e vinho apresentou média inferior ao grupo cola e café. Não houve diferença entre as fontes de luz e soluções colorantes. Ao contrário da RP, uísque apresentou maior ΔE para todos os tipos de fonte de luz. Vinho apresentou ΔE mais baixo do que uísque, e sem diferenças para cola e café. Água apresentou o menor ΔE. Quando foram analisados os tipos de luz, halógena e Laser apresentaram maiores alterações que LED2. LED3 apresentou resultado intermediário. Conclusão: não houve correlação entre o GC, RT e ΔE.

Pigmetanção - Grau de conversão - Resina composta

B0271

AVALIAÇÃO DE FILTROS ALTERNATIVOS DE RADIAÇÃO PARA SISTEMA RADIOGRÁFICO INTRA-ORAL DIGITAL


Juliana Stecke (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Frab Norberto Bóscolo (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
Este trabalho teve como objetivos avaliar a reprodutibilidade e qualidade da densidade e contraste de imagens digitais do sistema DenOptix® feitas em equipamentos radiográficos odontológicos utilizando 5 diferentes filtros radiográficos. As exposições radiográficas foram realizadas com um aparelho GE 1000, operando com 70kVp, 10 mA, distância foco-filme de 40 cm e 3 diferentes tempos de exposição: 0,05, 0,16 e 0,35s. Foram realizadas 5 repetições de cada imagem. O filtro controle foi de Alumínio 100% com 1,5mm de espessura e foram testados mais 5 filtros: Al97/Cu3%; Al96/Cu4%; Al98/Zn2%; Al95/Zn5%; e Cu95/Zn5%, em 4 espessuras distintas (de 0,5mm à 2,0mm). Os valores de pixel medidos nas imagens digitais foram transformados em densidade ótica. Todas as repetições apresentaram alta reprodutibilidade (Correlação Intraclasses maior que 0,95) em todos os tempos de exposição e em todos os filtros testados. Houve diferenças estatísticas significativas (p<0,05) na qualidade da densidade das imagens feitas com os diferentes filtros, espessuras e tempos de exposição, porém, o formato da curva de contraste não apresentou alterações de configuração e inclinação. Com exceção do filtro de Cu95/Zn5%, todos os filtros podem ser usados como substituto do filtro controle sem grandes perdas na densidade e na curva de contraste.

Radiografia digital - Filtros - Radiologia

B0272

DIMENSIONAMETO DE AMOSTRA EM ESTUDOS DE EFICÁCIA DO ALEITAMENTO MATERNO E DE PROGRAMAS DE ATENÇÃO PRECOCE À SAUDE


Enzo Rosetti (Bolsista PIBIC/CNPq), Telmo de Oliveira Bittar, Antonio Carlos Pereira, Antonio Bento Alves de Moraes e Profa. Dra. Gláucia Maria Bovi Ambrosano (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
A literatura nacional é rica em trabalhos que envolvem o tema do aleitamento materno exclusivo; contudo, a mesma não apresenta uma padronização quanto ao tamanho amostral ideal para esse tipo de estudo, apresentando grande variabilidade, o que acarreta em um coeficiente de variação experimental diverso, dificultando a análise comparativa destes estudos. O número de voluntários, a variabilidade entre eles frente ao mesmo tratamento (variabilidade intra-grupos), variabilidade entre os diferentes tratamentos dos grupos (variabilidade inter-grupos) e o número de grupos são fatores importantes na determinação do poder do teste utilizado. Foram utilizados dados secundários de pesquisas realizadas pelo programa de pós-graduação em Odontologia, área de Psicologia Aplicada da FOP/UNICAMP. Foi construída uma planilha em Excel com os resultados encontrados. Foram eleitas variáveis para o estudo e calculados os tamanhos de amostra necessários para cada variável, para que o estudo atinja um poder do teste de 80%, com nível de significância de 5%, considerando variados tamanhos do efeito (5, 10, 15, 20, 25, 30, 35 e 40%). Com base nas observações, conclui-se que o conhecimento do pesquisador sobre a variável a ser estudada e o poder do teste estatístico são de fundamental importância para o planejamento da pesquisa.

Dimensionamento de amostra - Poder do teste - Aleitamento

B0273

RELAÇÃO ENTRE AS GRANDEZAS CEFALOMÉTRICAS ANTERO-POSTERIORES NAS DIFERENTES MALOCLUSÕES


Gabriel Jordão Carrijo Custódio (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. João Sarmento Pereira Neto (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
Na elaboração do Diagnóstico Ortodôntico são utilizados diversos elementos de diagnóstico, tais como a anamnese, modelos ortodônticos confeccionados em gesso, fotografias, radiografias periapicais, telerradiografias da cabeça em norma lateral, etc., com o objetivo de possibilitar uma melhor avaliação e correlação das grandezas cefalométricas entre si para a definição com maior grau de confiabilidade do problema e quanto à elaboração de uma estratégia de tratamento mais adequada para o caso em estudo. No tocante á cefalometria, numa análise antero-posterior são muito utilizadas as grandezas cefalométricas SNA, SNB e ANB que , quando inter-relacionadas mostram a relação da maxila e da mandíbula com a base do crânio e entre si, porém nem sempre definem por si só o tipo de maloclusão, já que outros fatores a influenciam, tais como o comprimento da mandíbula e altura do ramo, dentre outras. Assim é importante correlacionar as bases apicais com as medidas esqueléticas para definir realmente o tipo de maloclusão. O diagnóstico com base apenas numa classificação dentária, como a Classificação de Angle, para a definição de uma estratégia de tratamento é um método injustificável e falho, sendo importante o estabelecimento de uma correlação do tipo de maloclusão dentária com componentes esqueléticos obtidos através de traçados cefalométricos a partir de radiografias de norma lateral. O presente estudo terá o objetivo de estabelecer essa correlação para que sejam estabelecidos parâmetros confiáveis.

Maloclusão - Relação maxilomandibular - Classificação das maloclusões

B0274

EVENTOS BIOLÓGICOS DE DESENVOLVIMENTO DENTÁRIO OBSERVADOS EM RADIOGRAFIAS PANORÂMICAS


Juliana Mayumi Matsuoka (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. João Sarmento Pereira Neto (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O presente estudo teve o objetivo de verificar os eventos de desenvolvimento dentário observados em radiografias panorâmicas segundo a idade de cada indivíduo, sendo assim, possível estabelecer os eventos de cada faixa etária com maior grau de confiabilidade, determinando parâmetros para uma abordagem ortodôntica preventiva ou interceptora. Foi utilizada uma amostra de 35 radiografias panorâmicas de indivíduos entre 4 e 18 anos de idade, brasileiros da região de Piracicaba – São Paulo. Em cada grupo foram considerados todos os dentes decíduos e permanentes presentes, os estágios de mineralização dos dentes permanentes, a seqüência de irrompimento dentário e presença ou ausência de patologias. Foram encontrados seis indivíduos com perda precoce de dentes decíduos, cinco com tratamento endodôntico em dentes decíduos, dois com agenesias de dentes permanentes e apenas um com dente supranumerário. Apesar do estímulo a prevenção de cárie difundida atualmente, a doença ainda acomete grande parte da população. Ficou evidente nesta faixa etária a presença dos primeiros molares aos seis anos de idade com estágio 8 de NOLLA. Os segundos molares no sexo feminino tiveram sua irrupção mais precoce, em torno de dez anos de idade, sendo que nos meninos isto ocorreu em média aos doze anos.

Pantomografia - Biogênese - Dentição mista

B0275

INFLUÊNCIA DA FONTE DE LUZ E DA ESPESSURA DA CERÂMICA NA RESISTÊNCIA À FLEXÃO DE CIMENTOS RESINOSOS


Carolina Barrichello Clemente (Bolsista PIBIC/CNPq), Américo Bortolazzo Correr (Co-orientador) e Prof. Dr. Lourenço Correr Sobrinho (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O objetivo deste estudo foi verificar a influência de dois aparelhos fotoativadores e da espessura da cerâmica na resistência à flexão do cimento resinoso RelyX UNICEM (3M ESPE). O cimento foi inserido em matriz elastomérica e fotoativado com luz halógena XL 2500 (3M ESPE) e LED-UltraLume 5 (Ultradent) sobre o cimento ou pela interposição de discos da cerâmica IPS Empress Esthetic (Ivoclar Vivadent) com 8mm de diâmetro, nas espessuras de 0,7, 1,4 e 2,0mm, obtendo-se barras com 6,5mm x 2mm x 1mm. As amostras foram armazenadas em água destilada a 37oC por 24h e submetidas ao ensaio de resistência à flexão de 3 pontos em máquina de ensaio (Instron). Os dados foram submetidos à ANOVA e ao teste de Tukey (α=.05) e mostraram que a resistência à flexão (MPa) para fotoativação direta e com interposição de cerâmica nas espessuras 0,7, 1,4 e 2,0mm foram: 312,79 (76); 272,82 (49); 268,66 (111); e, 267,97 (45) para a luz halógena e 328,69 (86); 382,39 (33); 386 (111,99); e, 360,08 (61) para o LED. Não houve diferença significativa (p>0,05) entre fotoativação direta e com a interposição de cerâmica. A resistência à flexão do cimento resinoso fotoativado por LED foi superior a luz de lâmpada halógena. A espessura da cerâmica não influenciou os valores de resistência a flexão.

Cerâmica - Cimento resinoso - Resistência à flexão

B0276

INFLUÊNCIA DO TRATAMENTO DE SUPERFÍCIE E CICLAGEM TÉRMICA NA RESISTÊNCIA DE UNIÃO DA CERÂMICA IPS EMPRESS ESTHETIC


Guilherme Bottene Guarda (Bolsista PIBIC/CNPq), Luciano de Souza Gonçalves (Co-orientador) e Prof. Dr. Lourenço Correr Sobrinho (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do tratamento de superfície e ciclagem térmica na resistência à microtração da interface cerâmica/cimento/cerâmica. Onze amostras da cerâmica IPS Empress Esthetic foram confeccionadas e condicionadas com ácido fluorídrico 10% e onze jateadas com óxido de alumínio (Al2O3) 50 µm. As cerâmicas condicionadas com ácido fluorídrico 10% e jateadas com Al2O3 foram cimentadas umas contra as outras com cimento resinoso RelyX ARC e fotoativadas por 60s em cada face com o aparelho LED Ultralume 5 (Ultradent), com 1100 mW/cm2 e separadas 2 grupos: armazenadas em água destilada a 37º C, por 48 h e submetidas a 500 ciclos térmicos (5°C e 55°C). Após, o conjunto foi seccionado em palitos com área seccional de 1mm2 e submetido ao ensaio de resistência à microtração a velocidade de 0,5 mm/min. Os dados foram submetidos à ANOVA e ao teste de Tukey (5%) e mostraram que o grupo submetido a armazenagem a 37º C apresentou resistência de união (MPa) (31,25±6,0) estatisticamente superior ao ciclado (19,98±7,3). A união realizada sobre a cerâmica condicionada com ácido fluorídrico se mostrou mais estável do que jateada com Al2O3 quando submetidas a ciclagem térmica.

Cerâmica - Ciclagem térmica - Microtração

B0277

IMPACTO ODONTOLÓGICO NO DESEMPENHO DIÁRIO DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA, SÃO PAULO, BRASIL


Hellen de Mari Avallone (Bolsista PIBIC/CNPq), Antonio Carlos Pereira, Renato Pereira, Telmo Bittar e Prof. Dr. Marcelo de Castro Meneghin (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
As condições de saúde bucal exercem forte impacto sobre a sua qualidade de vida, afetando estruturas biológicas e bem-estar físico e psicológico dos indivíduos. O objetivo deste estudo foi investigar o impacto exercido pelas doenças bucais sobre uma amostra de 100 idosos institucionalizados do município de Piracicaba-SP. Trata-se de um estudo epidemiológico, transversal e observacional, sendo a condição de saúde bucal baseada na OMS, 1999; o impacto das doenças bucais no desempenho diário (IODD) baseado em Gomes & Abegg, 2007 e; um questionário sócio-demográfico, conforme descrito em Astrom & Okullo, 2003. Principais resultados relativos ao IODD mostraram em relação ao impacto e severidade que comer e apreciar comida (24%), falar e pronunciar com clareza (13%) e manter um estado emocional equilibrado sem ficar irritado (13%), foram os mais afetados; em relação a condição sócio econômica, 77 % recebem até 2 S.M.; 47 % tem o 1º grau incompleto e 60% perderam todos os dentes. Os resultados permitem concluir que na população estudada: a prevalência de impacto foi alta; as dimensões mais afetadas foram do desempenho físico comer e apreciar a comida, falar e pronunciar com clareza e manter um estado emocional equilibrado sem ficar irritado; o CPOD mostrou uma associação com a maioria dos desempenhos diários.

Epidemiologia - Odontogeriatria - Qualidade de vida

B0278

IMPACTO ODONTOLÓGICO NO DESEMPENHO DIÁRIO DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA, SÃO PAULO, BRASIL


Isabela Lima França (Bolsista PIBIC/CNPq), Antonio Carlos Pereira, Renato Pereira, Telmo Bittar e Prof. Dr. Marcelo de Castro Meneghin (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
É um tipo de estudo epidemiológico, transversal e observacional, com amostra de 113 agentes comunitários de saúde das USFs do município de Piracicaba, São Paulo, Brasil. O objetivo deste estudo foi avaliar o impacto das condições de saúde bucal (IODD), em suas dimensões biológicas, sociais, funcionais e psicológicas, dentre os agentes comunitários de saúde, valendo-se de exames clínicos odontológicos e do índice que avalia o impacto odontológico no desempenho diário (IODD), com sua respectiva freqüência e graus de severidade relatados. Os resultados apresentados mostraram que o desempenho mais afetado foi manter um estado emocional equilibrado sem ficar irritado(52%). Em seguida os desempenhos mais prejudicados foram dormir e relaxar (47%) e desempenhar o trabalho principal e papel social (26%). Dor, mau hálito, falta de estética nos dentes anteriores, e ainda presença de problemas periodontais como cálculo supra gengival, foram fatores predisponentes para causar impactos odontológicos no desempenho diário dos voluntários. Concluiu-se que a freqüência e severidade dos desempenhos diários, quando afetados, revelaram gravidade, demonstrando que impactos odontológicos nas atividades diárias de um indivíduo geram um desconforto relevante.

Epidemiologia - Saúde pública - Qualidade de vida

B0279

INFLUÊNCIA DO MODO DE ATIVAÇÃO NA SORÇÃO E SOLUBILIDADE DE CIMENTOS RESINOSOS AUTO-ADESIVOS


Carolina Bosso André (Bolsista SAE/UNICAMP), Thaiane Rodrigues Aguiar, Glaucia Ambrosano e Prof. Dr. Marcelo Giannini (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O estudo avaliou a influência do modo de ativação na sorção de água (SA) e solubilidade (SO) de 5 cimentos resinosos. Foram confeccionados discos com dimensões padronizadas (6,0 de diâmetro x 1,0 de espessura) dos seguintes cimentos: RelyX Unicem (R); MaxCem (M); BisCem (B); Set (S) e G-Cem (G). Estes foram manipulados segundo as orientações dos respectivos fabricantes e avaliados através de dois modos de polimerização (n=5): foto-ativação e auto-ativação. Inicialmente, os discos foram mantidos a 37ºC por 24hs e levados a uma câmara para desidratação (CD) até obter uma massa constante (m1). Após, os corpos-de-prova foram armazenados em água destilada por 7 dias e novamente a massa foi calculada (m2). Em seguida, as amostras foram recolocadas na CD até se obter uma massa constante (m3). Os valores de sorção e solubilidade foram calculados e analisado quanto à SA (ANOVA -2 fatores/teste de Tukey- 5%) e SO (testes de Kruskal-Wallis e Dunn). Para o teste de SA, foi observada influência do modo de ativação e entre os cimentos. Os cimentos M, B e S quando auto-ativados apresentaram menor SA. Em relação ao modo de ativação, nota-se que a SO foi cimento dependente sendo observado redução significativa da SO para os cimentos B, S e G quando foto-ativados.

Cimentos resinosos - Sorção de água - Solubilidade

B0280

PREVALÊNCIA E OPÇÕES DE TRATAMENTO DAS DEFORMIDADES DENTO-FACIAIS ADOTADAS ÁREA DE CIRURGIA BUCOMAXILOFACIAL DA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA - UNICAMP


Francesco Salvatore Mannarino (Bolsista SAE/UNICAMP), Fábio Ricardo Loureiro Sato e Prof. Dr. Marcio de Moraes (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
As deformidades dentofaciais (DDF) são alterações de crescimento que causam modificações funcionais e estéticas, motivos pelo qual o paciente pode vir buscar tratamento. Através de análise retrospectiva, 251 prontuários de casos de DDF atendidos entre janeiro de 2000 e julho de 2008 foram consultados a fim de determinar o perfil do paciente acometido bem como o tipo de tratamento adotado por um único professor da área. De acordo com a amostra, a média de idade foi de 29 anos, 60,93% eram mulheres e 69,22% eram brancos. O principal motivo pela busca do tratamento foi o funcional (52%). Quanto ao padrão esquelético, o perfil tipo classe III teve maior incidência (55%). Quanto a maior prevalência por tipo de deformidade, no paciente padrão classe I foi atresia maxilar (53%), no classe II deficiência ântero-posterior de mandíbula (89%) e no classe III deficiência ântero-posterior de maxila (51%). Em relação ao tipo de cirurgia realizada, os procedimentos mais freqüentes foram no paciente classe I a expansão cirúrgica de maxila (43,6%), no classe II o avanço mandibular (39,2%) e no classe III o avanço maxilar (24,3%). Como pode ser observada, a maioria dos pacientes da população estudada é de mulheres jovens, sendo grande parte das deformidades dentofaciais corrigidas por cirurgias monomaxilares, demonstrando a menor complexidade das deformidades.

Cirurgia e traumatologia BMF - Cirurgia ortognática - Deformidade dento-facial

B0281

ANÁLISE EPIDEMIOLÓGICA DE FRATURAS MAXILOFACIAIS NO BRASIL: ESTUDO DE 12 ANOS DE PERSPECTIVA


Ingrid Savira Belapetravicius (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Marcio de Moraes (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
Este trabalho é um estudo retrospectivo com objetivo de analisar a prevalência dos traumas em região do esqueleto maxilofacial, mais especificamente o trauma dentoalveolar atendidos pela Área de Cirurgia Buco-Maxilo-Facial da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP) Unicamp, na cidade de Piracicaba e região, no período de abril de 1999 a março de 2008. Foram incluídos no estudo 2769 pacientes, dos quais 469 apresentaram algum tipo de traumatismo dentoalveolar. Como resultado parcial, a causa mais freqüente destes traumatismos foram os acidentes de trânsito, predominantemente os acidentes ciclísticos, fortemente caracterizados por baixos índices de uso de dispositivos de segurança. Através deste estudo será possível correlacionar diferentes aspectos e estabelecer um protocolo efetivo de tratamento das lesões em região dentoalveolar de acordo com as características da mesma. Além disso, a coleção de informações seqüenciais e detalhadas quanto a padrões demográficos dos ferimentos na região dentoalveolar podem ajudar na conscientização para os cuidados na prevenção e fornecer registros e orientações quanto aos procedimentos imediatos. Também uma compreensão da causa, severidade, e prevalência dos traumas dentoalveolares ajudará na prevenção e aperfeiçoamento da técnica para o tratamento desses ferimentos.

Fraturas - Traumatologia - Dentoalveolar

B0282

AVALIAÇÃO DA ESPESSURA DOS MÚSCULOS MASTIGATÓRIOS, FORÇA DE MORDIDA E ANSIEDADE EM CRIANÇAS COM SINAIS E SINTOMAS DE BRUXISMO


Leonardo Fogaça Coelho (Bolsista PIBIC/CNPq), Paula Midori Castelo e Taís de Souza Barbosa e Profa. Dra. Maria Beatriz Duarte Gavião (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
A literatura sugere que a ansiedade e outros distúrbios emocionais podem desencadear, dentre outras reações, alterações nas funções que abrangem o sistema estomatognático e o surgimento de parafunções, as quais podem ter sua repercussão sobre as estruturas musculares e esqueléticas orofaciais. O presente estudo objetivou avaliar 28 crianças de 8-10 anos, na fase de dentição mista, quanto à presença ou ausência de hábitos parafuncionais (bruxismo, onicofagia, sucção digital, de lábios ou chupeta), aleitamento artificial, enurese noturna; nível de ansiedade; variáveis corporais peso e altura; espessura ultrassonográfica dos músculos masseter e porção anterior do temporal; máxima força de mordida. O hábito mais prevalente foi o da onicofagia, para ambos os grupos (com e sem bruxismo). As crianças com bruxismo apresentaram, em média, maiores escores de ansiedade do que as crianças sem bruxismo. A espessura muscular durante a máxima intercuspidação e a contração máxima com algodão apresentaram valores superiores aos da espessura muscular no repouso, para ambos os grupos. O grupo com bruxismo apresentou, em média, menor força de mordida do que o grupo sem bruxismo. Conclui-se que o bruxismo pode estar associado com a presença de onicofagia, maiores níveis de ansiedade e menor força de mordida em crianças.

Bruxismo - Força de mordida - Ansiedade

B0283

AVALIAÇÃO DA SENSIBILIDADE ORAL EM CRIANÇAS COM OCLUSÃO NORMAL E MALOCLUSÃO NA DENTIÇÃO MISTA E INÍCIO DA PERMANENTE


Samantha Veronez Gonçalves (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Beatriz Duarte Gavião (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O objetivo deste trabalho foi avaliar a sensibilidade oral através do índice de estereognose oral (HOS) em crianças de ambos os sexos, de 8 a 12 anos de idade que apresentam normoclusão ou maloclusão. Foram selecionadas 50 crianças nas fases de dentição mista e início da dentição permanente. A sensibilidade oral foi avaliada através do índice de estereognose oral, no qual utilizamos peças testes que compreenderam 12 formatos de figuras. Os pacientes também foram classificados quanto ao padrão facial através de fotometria. Esperamos encontrar diferentes características morfológicas e fisiológicas da função mastigatória nos diversos tipos de oclusão, com a possibilidade de diagnóstico precoce de possíveis alterações, que possibilitarão intervenções precoces, contribuindo para o crescimento e desenvolvimento harmonioso do sistema.

Dentição mista - Oclusão - Sensibilidade oral

B0284

O EFEITO DA COMPOSIÇÃO MICROBIOLÓGICA DO BIOFILME NA INCIDÊNCIA DA CÁRIE PRECOCE DA INFÂNCIA


Fernanda Dinarowski (Bolsista SAE/UNICAMP), Thais Manzano Parisotto, Cristiane Duque e Profa. Dra. Marines Nobre dos Santos Uchôa (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
Objetivou-se nesse estudo verificar a influência da composição microbiológica do biofilme dentário no incremento de cárie de pré-escolares de 3-4 anos, após 1 ano de acompanhamento. Após a realização dos exames clínicos, 60 pré-escolares foram divididos em 3 grupos:  incremento de cárie=0 (I0), incremento de cárie ≥ 3 (I3) e redução de cárie (RC). O biofilme dentário foi coletado e analisado quanto aos níveis de Streptococcus do grupo mutans (SM), lactobacilos (LB) e microrganismos totais (MT).  Os dados foram submetidos ao teste-t pareado e regressão logística múltipla (α=0,05). As médias (±desvios-padrão) da contagem de SM, MT e LB no baseline/longitudinal para os grupos I0, I3 e RC foram respectivamente: 6,65 (±0,7), 8,60 (±1,1), 0,07 (±0.3)/ 6,73 (±0.8), 8,03 (±1,5), 0,21 (±0,6); 6,98 (±0,9), 9,1 (±0,6), 0,86 (±1,3)/7,02 (±0,5),8,45(±1,3), 1,68 (±1,4);  6,85 (±1.1), 8,77 (±1,0), 0(±0)/ 6,85 (±0,8), 8,0 (±1,1), 0 (±0). Diferença estatística significativa foi verificada apenas com relação aos níveis de LB no baseline e longitudinal no grupo I3(p<0,05). Além disso, a análise de regressão logística evidenciou que as crianças que apresentavam LB no baseline possuíam 11,3 vezes mais chances de desenvolver cárie. Conclui-se que os níveis de lactobacilos no biofilme dentário apresentam-se fortemente associados ao desenvolvimento de novas lesões de cárie.

Cáries precoce da infância - Microbiologia - Dieta cariogênica

B0285

A IMPORTÂNCIA DA PRÁTICA DA ALIMENTAÇÃO INFANTIL E DA COMPOSIÇÃO BIOQUÍMICA DO BIOFILME DENTÁRIO NA PREVALÊNCIA DA CÁRIE PRECOCE DA INFÂNCIA EM CRIANÇAS ENTRE 3 E 4 ANOS DE IDADE


Jéssica Sandim Espindola Gomes (Bolsista PIBIC/CNPq), Thais Manzano Parisotto, Lidiany Karla Azevedo Rodrigues e Profa. Dra. Marines Nobre dos Santos Uchôa (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O objetivo desse estudo foi verificar a associação entre a composição bioquímica do biofilme dentário e a presença de lesões cavitadas e não cavitadas da cárie precoce da infância. Após a realização dos exames clínicos 107 pré-escolares, de 3-4 anos, foram divididos em três grupos: livres de cárie (LC), lesões de manchas brancas ativas (LMB) e lesões de cárie cavitadas (LCC). Os exames clínicos foram realizados por examinador previamente calibrado (Kappa=0,78) de acordo com o critério da OMS modificado. Após a coleta do biofilme dentário, as concentrações de polissacarídeos extracelulares insolúveis (PE) e flúor foram determinadas por colorimetria e eletrodo íon seletivo, respectivamente. Para a análise estatística dos dados, foi empregada a análise de variância seguida pelo teste de Tukey (α=0,05). As médias e erros-padrão da quantidade de PE/F por mg de biofilme de acordo com os grupos LC, LMB e LCC foram respectivamente: 262,7(±24,8)/ 0,23(±0,07), 259,0(±36,6)/ 0,19(±0,06), 534,7(±85,6)/0,12 (±0,03). Os resultados evidenciaram diferença estatística significante entre os grupos LC x LCC e LMB x LCC com relação aos níveis de PE (p<0,05). Com relação ao flúor, nenhuma diferença estatística foi verificada. Conclui-se que os níveis de polissacarídeos extracelulares insolúveis estão fortemente associados às lesões de cárie cavitadas.

Cárie dentária - Pré-escolar - Bioquímica

B0286

EFEITO DA FONTE DE LUZ NA RESISTÊNCIA DA UNIÃO ENTRE DENTE E RESTAURAÇÃO DE COMPÓSITOS EXPERIMENTAIS CONTENDO DIFERENTES FOTOINICIADORES


Lucas de Oliveira Tomaselli (Bolsista PIBIC/CNPq), William Cunha Brandt e Prof. Dr. Mario Alexandre Coelho Sinhoreti (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O estudo avaliou a dureza Knoop (DK) e a resistência da união (RU) dente/restauração de compósitos experimentais contendo diferentes fotoiniciadores, fotoativados por diferentes fontes de luz (XL2500-3M/ESPE, LED UltraBlueIS-DMC. e UltraLume LED 5-Ultradent Products Inc). Compósitos contendo mistura de BisGMA, UDMA, BisEMA e TEGDMA foram preparados com os fotoiniciadores CQ (Canforoquinona), PPD (fenil-propanodiona) ou mistura de ambos (CP) e 65% em massa de partículas de carga silanizadas. A RU foi aferida em máquina de ensaios mecânicos (Instron) através do teste “push-out” em cavidades tronco-cônicas (2x1,5x2 mm; Fator C=2,2) preparadas em 60 dentes bovinos. Para a restauração das cavidades, o sistema adesivo Single Bond 2 foi usado. Diferentes tempos de fotoativação foram usados, a fim de igualar a dose de energia das fontes de luz. Antes da realização do teste de RU, análise de DK foi realizada no topo e na base das restaurações. ANOVA e teste de Tukey foram realizados. As fontes de luz não produziram valores de RU diferentes. O fotoiniciador PPD produziu os maiores valores de RU e CQ os menores. CP produziu valores intermediários. Tanto as fontes de luz, quanto o fotoiniciador influenciaram nos valores de DK. O fotoiniciador PPD apresentou alto potencial para a iniciação da polimerização de compósitos dentais.

Compósitos - Fotoativação - Resistência de união

B0287

AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA DA UNIÃO ENTRE DENTE E RESTAURAÇÕES DE COMPÓSITOS CONVENCIONAIS E A BASE DE SILORANO


Renata Fernandes de Souza Lacerda (Bolsista PIBIC/CNPq), William Cunha Brandt e Prof. Dr. Mario Alexandre Coelho Sinhoreti (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O estudo avaliou a dureza Knoop (DK) e a resistência da união (RU) dente/restauração de compósitos convencionais a base de dimetacrilatos (Z350-3M/ESPE) e de siloranos (Filtek P90-3M/ESPE), fotoativados por diferentes métodos, usando o aparelho LED Freelight 2 (3M/ESPE). A RU foi aferida em máquina de ensaios mecânicos (Instron) através do teste “push-out” em cavidades tronco-cônicas (2x1,5x2 mm; Fator C=2,2) preparadas em 60 dentes bovinos. Para a restauração das cavidades, os respectivos sistemas adesivos de cada compósito foram usados (Single Bond 2 e LS Sistem Adhesive). A fotoativação dos compósitos foi realizada com 3 diferentes métodos (luz contínua – 40s a 1000 mW/cm²; soft-start – 10s a 150 mW/cm² + 38s a 1000 mW/cm2 e pulse delay - 5s a 150 mW/cm2, seguidos de 3 minutos de espera (sem exposição) e 39s a 1000 mW/cm2). Antes da realização do teste de RU, análise de DK foi realizada no topo e na base das restaurações. ANOVA e teste de Tukey foi realizado. Os métodos de fotoativação não produziram diferenças de RU, enquanto P90 mostrou valores de RU superiores ao Z350. Os resultados de dureza não tiveram grandes diferenças entre as regiões e métodos de ativação. Z350 apresentou valores médios de dureza superiores ao P90.O compósito P90 foi capaz de aumentar a RU.

Compósitos - Sistemas adesivos - Resistência de união

B0288

EFEITO DA CICLAGEM TÉRMICA E MECÂNICA NA RESISTÊNCIA DE UNIÃO DE RESTAURAÇÕES INDIRETAS UTILIZANDO A TÉCNICA DE SELAMENTO DA DENTINA


Victor Pinheiro Feitosa (Bolsista IC CNPq), Alberth David Correa Medina e Prof. Dr. Mario Alexandre Coelho Sinhoreti (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP

A técnica de selamento dentinário (TSD) consiste em selar a cavidade previamente à moldagem e cimentação da restauração indireta (RI). O estudo avaliou a influência da TSD na resistência de união(RU) de RI, após ciclagem térmica (CT) e mecânica (M). Utilizou-se 15 terceiros molares, nos quais foi removido o esmalte, deixando uma superfície plana em dentina e separados em 3 grupos (n=5). Para o G1: não foi realizada a TSD. Para o G2: a dentina foi hibridizada com um adesivo autocondicionante “all in one” (Clearfil S3) e para o G3: foi aplicada a combinação de adesivo+resina de baixo escoamento (Clearfil S3+Clearfil Protect Liner). Após a realização da TSD, foram confeccionadas as restaurações indiretas utilizando o sistema Sinfony (3M/ESPE) e cimentadas com cimento resinoso dual (Panavia F). Os dentes foram submetidos à CT (2000 C) e M (250,000 C). Em seguida, os dentes foram seccionados em palitos e levados para o teste de microtração. Os resultados foram submetidos à ANOVA e teste de Tukey (p<0,05). Os valores médios (MPa) obtidos foram G1: 9,51; G2:12,26; G3:14,89. Houve diferença estatística entre os grupos, sendo o G3 superior aos outros dois grupos. Conclui-se que ao não proteger a dentina com a Técnica de Selamento Dentinario foram obtidos menores valores de resistência de união comparados aos outros dois grupos.

Compósito - Sistema adesivo - Selamento da dentina

B0289

ANÁLISE DA ORGANIZAÇÃO DE COLÁGENO NO LIGAMENTO PERIODONTAL DE INCISIVOS DE RATOS SOB CONDIÇÕES FUNCIONAIS NORMAL E HIPOFUNCIONAL


Camilla Fraga do Amaral (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Pedro Duarte Novaes (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O ligamento periodontal (LP) é um tecido conjuntivo que liga o cemento ao osso alveolar por meio de fibras colágenas e seu grau de organização em condições funcionais alteradas é pouco conhecido. Os incisivos hipofuncionais de ratos apresentam erupção dental acelerada, alterações na matriz extracelular do LP e menor resistência à extração. Este trabalho se propõe a analisar o grau de organização das fibras colágenas no LP por meio da medida da birrefringência do tecido sob luz polarizada em incisivos de ratos em condições funcionais normal e hipofuncional. Dez ratos Wistar divididos em 2 grupos, normofuncional e hipofuncional por 14 dias, foram sacrificados e tiveram suas mandíbulas dissecadas, fixadas, descalcificadas e processadas para a obtenção de cortes transversais de 15 mm de espessura. As lâminas foram montadas em água e as medidas do retardo ótico foram analisadas em diferentes regiões do LP: regiões mesial, distal e lingual adjacentes ao osso alveolar e ao cemento. Os resultados mostraram que em ambos os grupos as fibras colágenas estão mais organizadas na região adjacente ao cemento que ao osso alveolar, com uma redução significante (p<0,01) no grau de birrefringência nos dentes hipofuncionais em todas as regiões analisadas. A hipofunção causada pela eliminação das forças oclusais sobre o dente provoca a desorganização ou aumento na remodelação das fibras colágenas do LP.

Ligamento periodontal - Microscopia de polarização - Incisivos hipofuncionais

B0290

ESTUDO IN VIVO DA ATIVIDADE DA FLUOXETINA SOBRE CITOCINAS PRÓ-INFLAMATÓRIAS RELACIONADAS À DOENÇA PERIODONTAL


Adriana Hee Sun An (Bolsista PIBIC/CNPq), Gilson César Nobre Franco (Co-orientador) e Prof. Dr. Pedro Luiz Rosalen (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
A doença periodontal (DP) é uma infecção de caráter inflamatório que apresenta uma etiologia multifatorial. A fluoxetina, um fármaco antidepressivo inibidor da recaptação de serotonina, apresentou, em estudos recentes, propriedades antiinflamatórias e moduladoras do processo de diferenciação osteoclástica. No entanto, sua atividade sobre a modulação da resposta do hospedeiro na DP ainda é desconhecida. Assim, o objetivo deste trabalho foi analisar os efeitos in vivo da fluoxetina sobre citocinas pró-inflamatórias relacionadas ao processo de destruição tecidual do hospedeiro na DP. Utilizado modelo in vivo (20 ratos Wistar, Specific Pathogen Free) de indução da DP através da inserção de ligadura na região do sulco gengival do 1º molar inferior esquerdo. Diariamente e em dose única, os ratos receberam, por intubação gástrica, placebo ou fluoxetina (20 mg/kg/dia) durante 3 dias. Os animais tratados (n=10 animais/grupo) tiveram o tecido gengival em torno da ligadura e do lado oposto (controle) removidos para avaliação da produção protéica de TNF-α e IL-1β por ensaio imunoenzimático (ELISA). Espera-se, com os resultados desse estudo, desvendar conhecimentos sobre os efeitos dessas drogas sobre a DP, a fim de auxiliar no desenvolvimento de uma conduta terapêutica alternativa coadjuvante no controle da doença.

Fluoxetina - Resposta do hospedeiro - Doença periodontal

B0291

AVALIAÇÃO DA ESTABILIDADE DO EXTRATO DE PRÓPOLIS EM RELAÇÃO AO SEU PERFIL QUÍMICO E BIOLÓGICO


Thiago Ozi Bueno (Bolsista PIBIC/CNPq), Bruno Bueno Silva (Co-orientador) e Prof. Dr. Pedro Luiz Rosalen (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
Própolis é uma resina produzida pelas abelhas para diversos fins terapêuticos, possuindo prazo de validade determinado de forma empírica (5 anos). Assim, o objetivo deste trabalho é estudar a estabilidade acelerado (EAc) e de longa duração (ELD) do extrato de própolis utilizando como evidenciadores a avaliação química de flavonóides e a atividade antimicrobiana in vitro sobre S. mutans, Staphyloccus aureus e Actinomyces naeslundii. O extrato etanólico de própolis (EEPs) do grupo 12 será preparado de acordo com KOO & PARK (1997). No EAc, o EEP será armazenado a 40 ±2 °C e 75 ± 5% de umidade relativa (UR), durante seis meses. As análises deste estudo serão realizadas em 0, 3 e 6 meses. No ELD, o EEP será armazenado a 30 ±2°C e 75 ± 5% de UR com análise nos tempos 0, 6, 9 e 12 meses. Os testes a serem realizados são: 1- Determinação de flavonóides totais e Cromatografia Líquida de Alta Eficiência para verificar e comparar os perfis químicos cromatográficos ao longo dos estudos de envelhecimento; e 2- Determinação das Concentrações Inibitória e Bactericida Mínima (CIM e CBM). Será considerado o extrato de própolis estável enquanto permanecer com concentração total de flavonóides não inferior a 0,25% e com atividade biológica dentro da faixa de CIM e CBM estabelecidos na literatura.

Própolis - Antimicrobiano - Estabilidade

B0292

EFEITO DO CONTEÚDO DE MONÔMERO NA PROPORÇÃO PÓ/LÍQUIDO NO DESLOCAMENTO DENTAL EM PRÓTESE TOTAL SUPERIOR


Patricia Rodrigues da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Rafael Leonardo Xediek Consani (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O propósito neste estudo foi verificar a influência da proporção monômero/polímero (fabricante, 25% a mais de monômero e 25% a menos de monômero) na adaptação da base em prótese total superior confeccionada com resina acrílica Clássico. Foram confeccionados 30 modelos em gesso pedra tipo III, a partir de um molde de silicone Elite Doublé, representando uma arcada maxilar desdentada com rebordo normal. As bases de cera foram confeccionadas com espessura de 2 mm. O conjunto modelo de gesso e base em cera foi incluído em muflas metálicas e a resina polimerizada em água a 74ºC por 9 horas em termopolimerizadora automática. Após esfriamento da mufla em temperatura ambiente, as bases de resina foram demufladas, acabadas e fixadas sobre o modelo de gesso com adesivo instantâneo. No conjunto modelo-base foram confeccionados 3 cortes transversais, correspondentes às regiões de canino, 1º molar e palatina posterior. As mensurações foram realizadas com microscópio comparador linear em 5 pontos referenciais correspondentes a: margens laterais direita e esquerda, cristas do rebordo alveolar direita e esquerda e linha mediana. Os dados serão submetidos à análise de variância e ao teste de Tukey (5%).

Proporção pó/líquido - Alteração dimensional - Base de prótese

B0293

INFLUÊNCIA DA ARMAZENAGEM EM TEMPARATURA AMBIENTE E EM ÁGUA NA MOVIMENTAÇÃO DE DENTES EM PRÓTESE TOTAL SUPERIOR


Vanessa Lopes Monteiro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Rafael Leonardo Xediek Consani (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O objetivo neste trabalho foi verificar o efeito da armazenagem em temperatura ambiente e em água na movimentação de dentes em prótese total superior. Foram usadas trinta bases de prótese total superior (n=10), confeccionadas com resinas Clássico, Onda-Cryl e QC-20 de acordo com o tipo de polimerização (água aquecida, água em ebulição e energia de microondas) e armazenadas em temperatura ambiente por 18 meses. Para obtenção das próteses, as resinas Clássico e QC-20 foram proporcionadas e manipuladas de acordo com as instruções dos fabricantes e polimerizadas em água a 740C por 9 horas e em água em ebulição por 20 minutos. A Onda-Cryl foi proporcionada e manipulada de acordo com as instruções do fabricante, prensada na fase fibrilar e polimerizadas em forno de microondas com potência de 1100 watts, em ciclo de acordo com o fabricante. As distâncias I-I, PM-PM, M-M, ID-MD e IE-ME foram mensuradas com microscópio com precisão de 0,0005 mm e as próteses armazenadas em temperatura ambiente por 18 meses. Depois, as distâncias foram mensuradas, as próteses armazenadas em água à 37°C por 6 meses e novamente as distâncias avaliadas. Os resultados da movimentação dental após demuflagem, armazenagem em temperatura ambiente por 18 meses e armazenagem em água por 6 meses serão submetidos à análise de variância e ao teste de Tukey (5%).

Armazenagem - Movimentação dentes - Prótese total

B0294

ESTUDO COMPARATIVO DE DOIS CIMENTOS DE IONÔMERO DE VIDRO UTILIZADOS NA TÉCNICA DE SELAMENTO OCLUSAL: AVALIAÇÃO DURANTE 24 MESES


Ana Carolina Grego Luciano (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Regina Maria Puppin Rontani (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
Este estudo tem como objetivo determinar a experiência de cárie em crianças escolares de uma cidade com água fluoretada em função da idade. Participaram da pesquisa 391 crianças (192 meninas e 199 meninos), com idade de 5 a 9 anos (média de 6,61 ± 0,96). A prevalência de cárie foi avaliada em porcentagem e pelo índice ceo e CPOD, sendo avaliados por exame clínico com luz natural e espelho clínico, e as superfícies dentárias secas com gaze. As crianças foram distribuídas em classes de acordo com o índice ceo (sem cárie (0), índice baixo (1 a 3), índice médio (4 a 6) e alto (maior que 7). O exame foi realizado por duas Cirurgiãs-Dentistas, previamente calibradas para o exame, auxiliadas por graduandas (bolsistas PIBIC). Observou-se que do total de crianças avaliadas, 35% apresentavam-se livres de cárie nos dentes decíduos (ceo) e 91,6% nos dentes permanentes (CPOD). Houve um ligeiro aumento na prevalência de cárie com o aumento da idade. Aproximadamente 4% das crianças da amostra apresentaram cárie em dentes permanentes, sendo que dessas, o CPOD variou de 2 a 9; apenas 1 apresentou-se livre de cárie em dentes decíduos. Observou-se que embora a prevalência de cárie tenha se mostrado similar para meninos e meninas, os meninos apresentaram maior severidade da doença que aumentou com a idade.

Selamento oclusal - Ionômero de Vidro - Fissuras

B0295

AVALIAÇÃO DA INTERFACE DE UNIÃO RESINA/DENTINA COM DIFERENTES SISTEMAS ADESIVOS E TRATADOS OU NÃO COM HIPOCLORITO DE SÓDIO – ESTUDO IN VITRO


Caio Vinícius Signorelli Grohmann (Bolsista PIBIC/CNPq), Patrícia A. Sacramento, Aline R. F. Castilho e Profa. Dra. Regina Maria Puppin Rontani (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
Objetivo: Avaliar a morfologia da interface de união resina/dentina utilizando diferentes sistemas adesivos em dentes decíduos tratados previamente ou não com hipoclorito de sódio (NaOCl). Metodologia: 12 dentes decíduos foram divididos em 6 grupos de acordo com os sistemas adesivos: Adper Single Bond 2 (APL), Clearfil Protect Bond (CP) e Adper Prompt L-Pop (APL) e irrigação ou não com NaOCl 0,5%. A dentina média foi exposta e blocos de resina composta fotopolimerizável foram confeccionados na superfície preparada. Após 24 horas os espécimes foram analisados em MEV. Foi avaliada a formação e espessura da camada híbrida, de sistema adesivo e formação de resin tags. Teste Kruska- Wallis e Dunn (p<0,05) foram usados. Para formação de camada híbrida, nos grupos com tratamento, o CP diferiu dos demais adesivos, apresentando menor espessura de camada híbrida. Para espessura de adesivo, nos grupos com tratamento, apenas SB diferiu dos demais apresentando menor espessura de adesivo. Dentro do mesmo adesivo não houve influência do tratamento para formação de camada híbrida e espessura de adesivo. Para CP houve um aumento no número de resin tags com o uso de NaOCl. O sistema adesivo influenciou a formação da camada híbrida, espessura de adesivo e resin tags na presença de irrigação do substrato com NaOCl.

Dentina - Sistemas adesivos - Hipoclorito de sódio

B0296

ESTUDO COMPARATIVO DE DOIS CIMENTOS DE IONÔMERO DE VIDRO UTILIZADOS NA TÉCNICA DE TRATAMENTO RESTAURADOR ATRAUMÁTICO (TRA): AVALIAÇÃO DURANTE 24 MESES


Raquel Viana Rodrigues (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Regina Maria Puppin Rontani (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
Com a finalidade de determinar se a prevalência de cárie e o valor do índice ceo em crianças de 5 a 9 anos de idade (média 5,65 anos), residentes no bairro Vila Sônia no município de Piracicaba-SP, pode ser influenciada pelo gênero foi realizado um levantamento epidemiológico com 342 crianças, na Escola Municipal Taufic Dumit, Escola Estadual não envolvida em programa de saúde bucal do município. Ressalta-se que essa populaçäo é beneficiada pela fluoretaçäo da água de abastecimento público e que apenas foram consideradas para esta análise as crianças do primeiro ano do ensino fundamental (n=94). A prevalência de cárie foi avaliada em porcentagem e pelo índice ceo e CPOD categorizados em função do gênero. A variável gênero foi estimada e analisada com luz natural e espelho clínico, nas superfícies dentárias secas com gaze. O exame foi realizado duas Cirurgiãs-Dentistas, previamente calibradas para o exame, auxiliadas por graduandas (bolsistas PIBIC). A prevalência de cárie encontrada foi de 65%. Considerando-se o total da amostra do primeiro ano o ceo para os meninos foi de 1,87 e 1,37 para as meninas. Considerando-se apenas as crianças que tem cárie, o ceo para os meninos foi de 3,61 e para as meninas 2,39. Observou-se que embora a prevalência de cárie seja similar para meninos e meninas, os meninos apresentaram maior severidade da doença.

Cimentos de ionômero - Cavidades de cárie - Tratamento restaurador Atraumá

B0297

INFLUÊNCIA DE DIFERENTES ESPESSURAS DE RESTAURAÇÕES DE CERÂMICA E MÉTODOS DE FOTOATIVAÇÃO NA DUREZA DE UM CIMENTO RESINOSO


Roberto Galvão Dinelli (Bolsista PIBIC/CNPq), Andreia Bolzan de Paula, Glaucia Maria Bovi Ambrosano e Profa. Dra. Regina Maria Puppin Rontani (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
Objetivou-se avaliar a dureza–KHN em diferentes profundidades de um cimento resinoso dual, fotoativado por diferentes fontes de luz e espessuras de cerâmica. Dentina bovina planificada foi embutida em resina, e o cimento inserido em molde PVC (0,8mm x 5mm) colocado entre 2 filmes plasticos. A fotoativação foi realizada com o aparelho Elipar Trilight-QTH-(800mW/cm2) e o LED Ultralume 5(900mW/cm2) através de discos de cerâmica(1,4 ou 2mm-espessura). Os espécimes(n=6) foram estocados(24h), e a KHN medida. Os dados foram submetidos aos testes ANOVA e Tukey(=0.05). Houve interação significativa entre os fatores do estudo. Nos grupos fotoativados com QTH o aumento da espessura de cerâmica diminuiu a dureza do cimento em todas as profundidades, que foram maiores no centro (1,4mm-58,13;2mm-50,08) e menores na base (1,4mm-24,84;2mm-20,17). Para o LED a dureza diminuiu com a espessura da cerâmica apenas na superfície (1,4mm - 51,52 e 2mm -51,82). Para o grupo que utilizou disco de 1,4mm, LED induziu valores similares de dureza na superfície(51,52) e centro(51,96) e os menores na base 1,4mm(24,19); quando utilizado disco de 2mm, o maior valor de dureza foi obtido no centro(51,82), seguido pela superfície (42,33) e base(18,86). A dureza do cimento nas diferentes profundidades é dependente da espessura da cerâmica e da fonte de luz utilizada.

Polimerização - Cimento resinoso - Dentina

B0298

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DO ESTRESSE ÁCIDO, NUTRICIONAL E POPULACIONAL NA SÍNTESE E ATIVIDADE DE SUBSTÂNCIAS SEMELHANTES ÀS MUTACINAS PRODUZIDAS POR ISOLADOS CLÍNICOS DE STREPTOCOCCUS MUTANS


Tiago Taiete (Bolsista FAPESP), Rodolfo Alberto Pires de Camargo, Regianne Umeko Kamiya (Co-orientadora) e Prof. Dr. Reginaldo Bruno Gonçalves (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
A maioria dos isolados clínicos de Streptococcus mutans é capaz de sintetizar substâncias antimicrobianas (bacteriocinas) denominadas mutacinas. Este fator de virulência pode ser essencial na colonização e na prevalência da espécie mais relacionada com o desenvolvimento da cárie dental, principalmente em nichos de alta complexidade ambiental e competitividade microbiana, como o biofilme dental. Este projeto analisou a influência de condições ambientais como estresse ácido, nutricional e populacional, na produção e na atividade de substâncias semelhantes às mutacinas in vitro, através de métodos fenotípicos, empregando a técnica da bacteriocinotipagem contra bactérias de interesse médico e odontológico, determinação da concentração inibitória mínima, e avaliação da atividade das mutacinas sobre a formação de biofilme de Streptococcus sanguinis e de Streptococcus mutans; e métodos genotípicos empregando a técnica de RT-PCR para avaliar a expressão das mutacinas nas diferentes condições ambientais. Os resultados indicam que as condições ambientais comumente descritas em um biofilme cariogênico influenciam na produção e na atividade das mutacinas, que podem ser importantes candidatos para futuras aplicações nas áreas médicas e biotecnológicas, além de representar vantagens ecológicas à cepa produtora.

Streptococcus mutans - Biofilme dental - Mutacinas

B0299

ANÁLISE DA PRESENÇA DE MIOFIBROBLASTOS NO ESTROMA DE AMELOBLASTOMAS E AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DESTAS CÉLULAS NAS CARACTERÍSTICAS CLÍNICO-PATOLÓGICAS DO TUMOR


Juliana Rodrigues Rozatto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ricardo Della Coletta (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
Miofibroblastos são células especializadas que exibem um fenótipo com características de fibroblastos e de células da musculatura lisa. A presença de miofibroblastos no estroma de neoplasias tem sido correlacionada com uma elevada taxa de progressão e infiltração tumoral, contribuindo para um pior prognóstico da doença. Ameloblastomas são tumores odontogênicos benignos que demonstram um comportamento local altamente infiltrativo e agressivo. O objetivo deste estudo foi analisar a presença de miofibroblastos em ameloblastomas sólidos e intra-ósseos e determinar se esta presença é associada com características clínico-patológicas dos tumores. Reações de imunohistoquímica contra o marcador específico de miofibroblastos, a isoforma alfa da actina do músculo liso (α-SMA), foram realizadas em 57 ameloblastomas para identificação dos miofibroblastos. Miofibroblastos foram encontrados no estroma, em íntimo contado com as ilhas de células tumorais, de ~58% (n=33) dos ameloblastomas. Presença elevada de miofibroblastos foi significantemente correlacionada com ruptura da cortical óssea, uma característica que tem sido considerada como um marcador prognóstico desfavorável da agressividade dos ameloblastomas. Em conclusão, nossos resultados sugerem que presença abundante de miofibroblastos no estroma de ameloblastomas pode estar associada a um comportamento infiltrativo e agressivo do tumor.

Ameloblastoma - Miofibroblasto - Prognóstico

B0300

AVALIAÇÃO DA CONDIÇÃO DE SAÚDE ORAL DE CRIANÇAS QUE PARTICIPARAM DE UM PROGRAMA PREVENTIVO


Marina Ciarântola (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Rosana de Fátima Possobon (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
A assistência odontológica a crianças em idade pré-escolar parece contribuir para a diminuição dos índices de cárie durante a primeira infância. Este estudo tem por objetivo verificar a condição de saúde oral (presença de cárie e doença gengival) de crianças que participaram do Programa de Atenção Precoce à Saúde oferecido pelo Cepae-FOP–Unicamp, comparando com crianças que não participaram deste Programa. A amostra do grupo experimental foi composta por 20 crianças assistidas pelo Programa e que receberam alta do Cepae no segundo semestre de 2003. O grupo controle foi composto por crianças de mesma faixa etária do grupo experimental (entre 10 e 11 anos), mas que não vivenciaram a experiência desse tipo de assistência. Dentre os resultados obtidos, observou-se que no grupo experimental havia mais crianças livres de cárie e de doença gengival do que no grupo controle. Além disso, as crianças egressas do programa preventivo apresentavam uma freqüência diária de escovação maior do que as crianças do grupo controle e utilizavam mais o fio dental. Concluiu-se que participar de um programa preventivo pode auxiliar na redução das doenças bucais, por ser um estímulo à realização de práticas domiciliares de higiene oral.

Prevenção - Adesão - Saúde oral

B0301

HÁBITOS DE SUCÇÃO ORAL EM BEBÊS: ANÁLISE DA ADESÃO DAS MÃES A INFORMAÇÕES SOBRE PREVENÇÃO


Tamires Caetano (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Rosana de Fátima Possobon (Orientadora), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
A Amamentação natural é fundamental para a promoção e a proteção da saúde da díade mãe-lactente, além de suprir a necessidade de sucção do bebê, evitando a necessidade de utilização de chupeta, que pode levar ao desenvolvimento de quadros de maloclusão. O Cepae-FOP-Unicamp oferece um programa de incentivo ao aleitamento materno, que inicia no período gestacional, por meio do qual disponibiliza informações e auxílio prático que permitem à mãe amamentar a criança, de forma exclusiva, até o sexto mês de vida, sem introdução de bicos artificiais (chupeta e mamadeira). O objetivo deste estudo foi investigar se a intenção de aderir às informações fornecidas pela equipe de profissionais no início da participação da mãe no programa, ainda no período gestacional, sobre uso de chupeta e mamadeira, se converte em adesão real, constatada pela não utilização destes utensílios ao sexto mês de vida do bebê. Os dados foram coletados antes e após uma palestra destinada à gestante e após o término da participação da mãe no grupo de incentivo ao aleitamento materno. Os resultados mostraram que, apesar de a taxa de aceitação à informação oferecida no POG para não utilizar chupeta ter sido maior do que à informação para não utilizar mamadeira, a freqüência de crianças que, aos seis meses de idade, utilizava chupeta foi maior do que a freqüência de crianças que utilizava mamadeira.

Adesão - Prevenção - Hábitos orais

B0302

INFLUÊNCIA DE MUTAÇÕES E POLIMORFISMOS GENÉTICOS NA ESTRUTURA SECUNDÁRIA E ESTIMATIVA DE ENTROPIA MÁXIMA EM SÍTIOS DE M RNA “SPLICING” HUMANOS


Julia Helena Gimenes (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Sérgio Roberto Peres Line (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
Durante o “splicing” (SPC) do pré-mRNA as regiões correspondentes aos introns são removidas e os exons unidos para formar o mRNA. Estima-se que 15% das mutações pontuais que causam doenças genéticas afetam o SPC. Este trabalho investigou alterações na estrutura do pré-mRNA em mutações genéticas que causam doenças em humanos, comparando com polimorfismos, que não causam doenças. A probabilidade de não pareamento (PU) de região de 6 pb flanqueando a região mutada/polimorfica foi obtida (www.bioinf.uni-freiburg.de/Software/NIPU/) de 61 mutações (www.hgmd.cf.ac.uk/ac/index.php) e 61 polimorfismos (http://genome.ucsc.edu) de sítios aceptores de SPC. Os valores de PU para os sítios normais que do grupo mutações (mediana = 0,14) foram maiores que os polimorfismos (mediana= 0,05), (p=0,015,Mann Whitney). Houve uma diminuição nos valores de PU em mutações e polimorfismos (normal X mutado, p=0,03; ancestral X recente, p=0,03, teste sinais). Conclui-se que mutações e polimorfismos tendem a tornar o pré-mRNA mais pareado, e comparando-se polimorfismos e mutações, estas últimas ocorrem mais frequentemente em regiões não pareadas.

Polimorfismos - Mutações - Intron

B0303

ASSOCIAÇÃO ENTRE REGIÕES NÃO-CODIFICANTES CONSERVADAS INTRÔNICAS DOS GENES IGF1 DE MAMÍFEROS COM A MASSA CORPORAL


Rafael Rocha Pacheco (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Sérgio Roberto Peres Line (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
O IGF1 é um hormônio produzido no fígado que promove o crescimento da cartilagem nos ossos longos. No presente trabalho, pretendemos fazer análise de seqüências não codificadoras conservadas dos genes IGF1 presentes nas regiões intrônicas em diversas espécies de mamíferos e correlacionar variações na conservação destas seqüências com diferenças de massa corporal em mamíferos. As regiões intrônicas de 13 espécies de mamíferos foram obtidas nos sites ensembl.org e genome.ucsc.edu. As seqüências foram alinhadas, pelo programa ClustawW, do pacote Bioedit, e as regiões conservadas foram agrupadas e a similaridade foi quantificada utilizando-se programa de distância filogenética “DNA Dist, Neighbor phylogenetic tree”. Foi encontrada correlação linear entre o logaritmo da massa corpórea e o tamanho do intron 1 (r=-0,86, p=0,0006, Pearson), e correlação não linear entre as distâncias filogenéticas das regiões conservadas do intron 1 corrigidas pela normalização com gene não relacionado (Pax9) e massa corpórea (r=-0,85, p=0,002, Spearman). Os resultados sugerem que seqüências contidas no intron 1 regulam a expressão do gene IGF1.

IGF1 - Massa corporal - Gene

B0304

AVALIAÇÃO DA DUREZA E DENSIDADE DE POTÊNCIA DURANTE A FOTOATIVAÇÃO DE COMPÓSITO ODONTOLÓGICO À BASE DE SILORANO


Elcio Possetti Neto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Simonides Consani (Orientador), Faculdade de Odontologia - FOP, UNICAMP
Avaliar a diferença entre a dureza do topo e da base e a densidade de potência em compósitos à base de silorano (Silorane, 3M-ESPE) e Bis-GMA (Heliomolar, Ivoclar-Vivadent), na cor A3. Ativação com luz halógena (XL 2500) com exposição de 40 s. A potência da fonte de luz foi verificada com o medidor de potência Ophir 10A-V2-SH, a irradiância calculada (780mW/cm2) e o espectro da fonte de luz registrado no espectrômetro USB 2000. O ensaio de dureza Knoop foi realizado 24 horas após da fotoativação, com durômetro com carga de 50 g durante 15 s e calculada a porcentagem da diferença de dureza da base e do topo (PDD). Os discos de resina foram acoplados à ponta do aparelho fotoativador para verificar a irradiância e mudança no espectro de luz ao atravessar as amostras. Os dados foram submetidos ao teste t-student (5%). Para a PDD, o Silorane (25,84%) apresentou valores estatísticos superiores ao Heliomolar (12,85%). Não houve diferença estatística entre Silorane (271,4mW/cm2) e Heliomolar (272,7mW/cm2) para a irradiância que transpassou as amostras. A irradiância que atingiu à base do compósito com silorano (Silorane) não foi suficiente para diminuir a dureza Knoop em comparação ao compósito com Bis-GMA (Heliomolar).

Compósito - Dureza - Densidade de potência





Compartir con tus amigos:
1   ...   46   47   48   49   50   51   52   53   ...   95


La base de datos está protegida por derechos de autor ©psicolog.org 2019
enviar mensaje

enter | registro
    Página principal


subir archivos