Universidade estadual de campinas


HOMEOPATIA NAS ESCOLAS MÉDICAS: ANÁLISE DO NÍVEL DE CONHECIMENTO E INTERESSE DE ESTUDANTES DA UNICAMP



Descargar 4.56 Mb.
Página47/95
Fecha de conversión03.12.2017
Tamaño4.56 Mb.
Vistas2240
Descargas0
1   ...   43   44   45   46   47   48   49   50   ...   95

HOMEOPATIA NAS ESCOLAS MÉDICAS: ANÁLISE DO NÍVEL DE CONHECIMENTO E INTERESSE DE ESTUDANTES DA UNICAMP


Gabriel Nogueira Bastos Soledade (Bolsista PIBIC/CNPq), Sheila Tatsumi Kimura, Ruy Madsen Barbosa-Neto, Pamela Siegel (Co-orientadora) e Prof. Dr. Nelson Filice de Barros (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A Homeopatia é uma das chamadas medicinas “alternativas e complementares” e se desenvolveu a partir do final do século XVIII, com três pressupostos teóricos: princípio da semelhança, experimentação no homem saudável e efeito clínico de diluições infinitesimais. Apesar de toda a polêmica que envolve esses pressupostos, pôde-se observar nas últimas décadas aumento importante na demanda por esse tipo de tratamento em diversos países. Cabe ao profissional médico oferecer a seus pacientes a melhor terapêutica disponível e, para isso, é preciso que ele tenha noções básicas de teoria e evidências científicas, inclusive da Homeopatia. Assim, considera-se função das escolas médicas propiciarem a seus alunos esse conhecimento. O presente estudo avalia o conhecimento dos estudantes de graduação de medicina da FCM/Unicamp com relação à Homeopatia e seu interesse em aprendê-la durante a graduação. Para isso, foi distribuído um questionário auto-aplicável a uma amostra sistemática de alunos de primeiro a sexto anos e suas respostas foram avaliadas quantitativa e qualitativamente. Os resultados mostram pouco conhecimento e grande interesse na especialidade, o que representa importante argumento para a inclusão dessa racionalidade médica nos currículos acadêmicos.

Educação de graduação em medicina - Homeopatia - Educação/currículo

B0195

ÍNDICE EUROSCORE COMO FATOR PREDITIVO PARA O SEGUIMENTO TARDIO DE UMA NOVA PRÓTESE DE RESTAURAÇÃO VENTRICULAR ESQUERDA


Fernando Garcia (Bolsista SAE/UNICAMP), Matheus Augusto Filgueiras, Lindemberg da Mota Silveira Filho, Pedro Paulo Martins de Oliveira, Karlos Alexandre Souza Vilarinho, Otavio Rizzi Coelho, Reinaldo Wilson Vieira, Domingo Marcolino Braile, R. Scott Bakers e Prof. Dr. Orlando Petrucci Junior (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Introdução: O aneurisma de ventrículo esquerdo é uma complicação temida do infarto agudo do miocárdio. Nosso objetivo é mostrar uma nova prótese para sua correção e desenvolver formas de avaliar o resultado a longo prazo. Materiais e Métodos: Foram avaliados 72 pacientes. Dois grupos foram criados: procedimento Modificado de Dor (MD) (n=53) e procedimento de Exclusão Septal Ventricular Anterior (SAVE) (n=19). Todos os pacientes tiveram seus dados ecocardiográficos e de cateterismo analisados e foram classificados segundo a forma do ventrículo esquerdo. Resultados: A mortalidade operatória foi comparável em ambos os grupos utilizando-se o índice EuroScore para classificação. A actuarial pelo método de Kaplan Meier mostrou curvas de sobrevida equivalentes para ambas as técnicas após 12 anos de seguimento (71,5 ± 12,3 vs. 46,6 ± 20,5 anos; p=0,08). Excluindo-se a mortalidade operatória, a análise de Kaplan Meier também mostrou curvas comparáveis (79,1 ±13,1 vs. 66,7 ± 27,2 anos; p=0,62). A estratificação pelo EuroScore demonstrou ser útil para o seguimento a longo prazo, sendo as três categorias de mortalidade diferentes (p=0,0003). Conclusão: O procedimento MD mostrou melhorias consistentes na fração de ejeção e no seguimento do remodelamento do ventrículo esquerdo a longo prazo. O EuroScore é um índice útil para avaliação de sobrevida tardia.

Aneurisma ventrículo esquerdo - Euroscore - Aneurismectomia

B0196

AVALIAÇÃO DE TRÊS ÍNDICES PROGNÓSTICOS; EUROSCORE, PARSONNET E ESCORE DE RISCO DA MAYO CLINIC NA CIRURGIA CARDÍACA EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE CAMPINAS


Marco Paulo Cunha Campos (Bolsista PIBIC/CNPq), Fernando Garcia, Elaine Soraia Barbosa de Oliveira, Carlos Alexandre de Souza Vilarinho, Lindemberg da Mota Silveira,Carlos Fernando Ramos Lavagnoli, Pedro Paulo Martins Oliveira, Reinaldo Wilson Vieira e Prof. Dr. Orlando Petrucci Junior (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Introdução: Modelos de estratificação de risco em cirurgias cardíacas são essenciais. Este trabalho visa avaliar três diferentes índices preditivos de mortalidade em cirurgia cardíaca: o Sistema Europeu para avaliação de Risco em Cirurgia Cardíaca (EuroScore), o Índice Parsonnet e o Escore de Risco da Mayo Clinic (ERMC), em um hospital universitário de Campinas. Metodologia: Trabalho retrospectivo em 600 pacientes submetidos a cirurgia, aplicando 3 índices prognósticos. As taxas de mortalidade esperadas foram comparadas com as observadas na amostra. As curvas ROC foram usadas para a discriminação e calibração do modelo. Resultados: A área sob a curva ROC para o EuroScore foi de 0,780,03, Parsonnet 0,810,03 e ERMC de 0,750,03 (p=0,10). Os três índices apresentam boa correlação. O ERMC apresentou menor especificidade e sensibilidade em baixas mortalidades previstas quando comparado aos dois outros métodos. O índice Parsonnet demonstrou maior sensibilidade e especificidade no maior ponto de ajuste quando comparados aos outros dois modelos , sendo talvez o melhor método. Conclusão: O método Parsonnet demonstrou maior acurácia em relação aos demais métodos, contudo uma amostra maior é necessária.

Índices prognósticos - Análise de sobrevivência - Cirurgia cardíaca

B0197

EVENTOS CARDIOVASCULARES E DISLIPIDEMIA EM PACIENTES HIV POSITIVOS, SOB TERAPIA ANTIRETROVIRAL, ACOMPANHADOS NO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNICAMP”


Daniel Battacini Dei Santi (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Otávio Rizzi Coelho (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
INTRODUÇÃO: Com a introdução de drogas antiretrovirais (ARV) no tratamento do HIV/AIDS, esta doença, conhecida pela breve duração, tem hoje um perfil crônico, levando a novas comorbiades como dislipidemia secundária ao tratamento e eventos cardiovasculares (CV).OBJETIVO: avaliar a incidência de dislipidemia e fatores de risco CV na população HIV sob uso de medicamentos ARV. MÉTODO: análise retrospectiva de pacientes HIV positivos, sob terapia ARV, acompanhados no HC-Unicamp entre Janeiro/1997 e Dezembro/2008, sendo avaliadas as alterações lipídicas e evidências de doença CV e demais fatores de risco CV. RESULTADOS: até o momento, foram avaliados 277 pacientes, seguimento médio de 79 meses; 61,3% eram homens; no inicio do segmento, a idade média era de 34 anos, 25% eram obesos, 14.8% hipertensos; ao final do seguimento 35.7% apresentaram dislipidemia, em média 29 meses após inicio da terapia ARV, sendo que apenas 16% utilizaram hipolipemiantes; ao final do seguimento houve redução média de 5,2 mg/dl de LDL-c, e aumento de 27 mg/dl de triglicérides e 3,4 mg/dl de HDL-c e 4 mg/dl glicemia de jejum; a pressão arterial manteve-se inalterada na média; 7 pacientes apresentaram eventos CV, que não evoluíram a óbitos. CONCLUSÃO: a dislipidemia é algo muito freqüente em pacientes sob terapia ARV, devendo ser avaliada constantemente, pois pode levar a eventos graves principalmente em pacientes com outros fatores de risco para doença CV.

Doenças cardiovasculares - Dislipidemia - Antiretrovirais

B0198

EFEITO DO USO DE BETA BLOQUEADORES E ESTATINAS NO PERIOPERATÓRIO DE CIRURGIAS VASCULARES MAIORES


Renata Bertanha (Bolsista SAE/UNICAMP), Raitany Costa de Almeida e Prof. Dr. Otávio Rizzi Coelho (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Pacientes submetidos à cirurgia vascular não cardíaca têm significante risco de mortalidade e morbidade cardiovascular, sendo a prevalência de isquemia miocárdica perioperatória de 15–25%. Evidências na literatura médica, nos últimos 10 anos, mostram que o uso de estatinas e beta-bloqueadores diminui mortalidade e morbidade no perioperatório em pacientes submetidos a este tipo de cirurgia. As diretrizes da American Heart Association/American College of Cardiology, assim como as diretrizes de avaliação de cirurgias não cardíacas da Sociedade Brasileira de Cardiologia recomendam o uso das mesmas para reduzir risco de eventos cardiovasculares. No projeto foi avaliado o uso de beta bloqueador e estatinas no período pré e perioperatório em pacientes submetidos cirurgias vasculares maiores no HC-Unicamp de 2002 à 2008. Foram analisados também fatores de riscos clínicos, laboratoriais, exames de imagem e eletrocardiograma. Na análise dos dados percebeu-se dentro do grupo de pacientes que se mantiveram assintomáticos após 12 meses da cirurgia 81%(150p) que estes usaram estatinas, beta bloqueador ou ambos no período pré ou perioperatório. Destes 104 (69,33%) utilizaram esses medicamentos apenas no perioperatório, ou seja, o medicamento foi introduzido pelo cardiologista na internação do paciente.

Beta bloqueador - Estatina - Mortalidade

B0199

ANTIRETROVIRAIS E OUTROS MEDICAMENTOS UTILIZADOS NA TERAPIA DE PACIENTES HIV POSITIVOS E INTERAÇÕES COM A INGESTÃO CRÔNICA DE ÁLCOOL


Michele Tami Tanaka, Cinthia Madeira de Souza, Caroline de Godoi Costa, Patrícia Romeiro Murari, Aline Teotônio Rodrigues, Maria Rosa Ceccato Colombrini , Rogério de Jesus Pedro,Priscila GavaMazolla (Co-orientador) e Profa. Dra. Patricia Moriel (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
As atividades de diferentes agentes terapêuticos, no organismo, podem ser exercidas independentemente, mas podem ser sinérgicas ou antagônicas. E ainda, as ações recíprocas daqueles agentes resultam com freqüência, em efeitos nocivos ao organismo. Porém não é apenas as interações entre medicamentos que podem prejudicar o paciente e seu tratamento, vale lembrar que qualquer substância endógena pode acarretar tais resultados. Assim o objetivo deste trabalho foi avaliar a interação entre o álcool (etílico) e os medicamentos utilizados pelos pacientes HIV positivos do Hospital Dia da UNICAMP. Este trabalho demonstrou que dos 10 pacientes avaliados no período de 1 de fevereiro a 1 de março de 2009, ingeriam álcool , e que em 50 % dos pacientes que eram etilistas foram caracterizados interações entre medicamentos e o álcool, atrapalhando as terapias adjuvantes a AIDS, além de prejudicar o tratamento da AIDS. Porém não houve interação entre anti-retrovirais e álcool. O álcool interagiu com bactrim, carbamazepina, diazepan , codeína e paracetamol. Portanto isto sugere a necessidade da implantação da atenção farmacêutica para a melhoria da qualidade, do efeito da terapia adjuvante e da expectativa de vida dos pacientes com HIV positivo.

Medicamentos - Hiv - Álcool

B0200

CORRELAÇÃO DA EVOLUÇÃO CLÍNICA E DA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM PSORÍASE ATENDIDOS NO AMBULATÓRIO DE DERMATOLOGIA DO HC/UNICAMP COM OS ESQUEMAS TERAPÊUTICOS UTILIZADOS


Rafael Augusto Tamasauskas Torres (Bolsista PIBIC/CNPq), Renata Ferreira Magalhães, Andé Moreno Morcillo, Suze Aparecida da Silva e Prof. Dr. Paulo Eduardo Neves Ferreira Velho (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A psoríase é uma dermatose eritemato-descamativa que pode alterar a qualidade de vida (QV) dos pacientes. Inicialmente avaliou-se a QV dos pacientes atendidos no Ambulatório de Psoríase do HC/Unicamp. O objetivo desta fase do estudo foi correlacionar a eficácia clínica dos diversos esquemas terapêuticos prescritos com a forma clínica da doença, os efeitos colaterais observados, as repercussões na QV e a adesão ao tratamento. As avaliações clínicas e de QV foram realizadas a cada consulta dos pacientes voluntários. Os 86 pacientes que retornam no mínimo uma vez tiveram suas pastas analisadas. Destes, 29 completaram três retornos. O tratamento foi eficaz na maioria dos pacientes, pois apresentaram melhora do índice clínico e da QV. Não houve diferença estatística entre a forma clínica da psoríase, o tipo de tratamento e a resposta a este. Dezenove pacientes apresentaram efeitos colaterais, independente do esquema terapêutico utilizado. Sete deles precisaram trocar o esquema inicialmente proposto por este motivo. Outros 14, por dificuldades em conseguir a medicação e outros dez o fizeram por escolha própria. Independente do tratamento utilizado ou da gravidade da doença, não houve diferença entre os resultados, mostrando uma boa indicação deste. A não adesão ao tratamento preocupa, pois, em 45% das vezes, as causas seriam evitáveis.

Psoríase - Qualidade de vida - Terapia

B0201

O USO DO CLOBETASOL EM BASE PARA ESMALTE PARA TRATAMENTO DE PSORÍASE EM PLACAS


Suze Aparecida da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq), Renata Ferreira Magalhães (Co-orientadora) e Prof. Dr. Paulo Eduardo Neves Ferreira Velho (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A psoríase é uma dermatose multifatorial, eritemato-descamativa e que pode acometer qualquer área da pele. O seu tratamento ainda é um problema, principalmente, pela dificuldade de adesão ao uso de cremes ou pomadas. O uso de base para esmalte (BE) como veículo poderia atuar como um curativo oclusivo, facilitando a penetração do corticóide, aumentando a eficácia do tratamento e a adesão ao mesmo. O objetivo do estudo é avaliar a eficácia do uso de clobetasol a 0,05% veiculado em BE em pacientes com psoríase vulgar, comparando com a eficácia do tratamento com pomada em igual concentração do corticóide. Trata-se de uma análise comparativa, duplo-cega, em dois grupos de pacientes, um usando como veículo uma BE e o outro a pomada. Os pacientes de cada grupo usam o princípio ativo em um hemicorpo e no outro apenas o veículo, por dois meses. Na primeira consulta e nos retornos com um e com dois meses é obtido um índice clínico, feita avaliação de qualidade de vida e a documentação iconográfica. Com os resultados parciais até agora obtidos aparentemente os pacientes que usaram o tratamento com a BE tiveram melhor resposta terapêutica que aqueles que usaram a pomada. Contudo, a análise estatística só poderá ocorrer quando todos os pacientes completarem o estudo e forem revelados os hemicorpos que receberam o princípio ativo.

Psoríase - Clobetasol - Produtos para unhas e cutícula

B0202

DIFERENCIAÇÃO IN VIVO DE CÉLULAS TRONCO MESENQUIMAIS OBTIDAS DE TECIDO ADIPOSO LIPOASPIRADO CONFORME O NICHO DE INJEÇÃO DIRETA EM RATOS WISTAR


Gabriel Peres (Bolsista SAE/UNICAMP), Ângela Cristina Malheiros Luzo (Co-orientadora) e Prof. Dr. Paulo Kharmandayan (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Dentre as moléstias que atingem o ser humano, acredita-se que uma parcela destas poderá ter solução/benefícios por meio de terapias envolvendo células tronco e engenharia de tecidos. Atualmente, há um consenso ético favorável ao uso de células tronco mesenquimais (não embrionárias), as quais, além de imunocompatíveis, podem se diferenciar em diversos tipos de células, dependendo de diferentes estímulos e também do nicho (localização) onde são inseridas. Entre os possíveis usos, podemos considerar: a concepção de modelos de cartilagem hialina e elástica, além de preenchimentos por tecidos moles. A utilização de tecido gorduroso lipoaspirado como fonte de células tronco mesenquimais é uma alternativa à punção de medula óssea e à coleta de sangue de cordão umbilical, pois a primeira apresenta-se como procedimento de fácil execução e grande disponibilidade de tecido. O estudo avaliou a migração e diferenciação, in vivo, utilizando ratos Wistar, assim como o papel do nicho de injeção direta de células tronco mesenquimais (obtidas de tecido adiposo), suspensas em soro fisiológico 0,9%.

Células tronco mesenquimais - Tecido adiposo - Diferenciação

B0203

AVALIAÇÃO DO PAPEL DA COLA DE FIBRINA NA ADESIVIDADE CELULAR NA PRODUÇÃO DE TECIDOS EM MOLDES DE POLIURETANA VEGETAL E COLÁGENO A PARTIR DE CÉLULAS MESENQUIMAIS, ESTUDO EXPERIMENTAL


Larissa Berbert Arias (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Paulo Kharmandayan (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Há um avanço significativo das técnicas de cultivo celular sobre moldes, permitindo a construção de tecidos vivos. Células mesenquimais, que podem ter como fonte tecido adiposo, são  adequadas na engenharia tecidual por sua pluripotencialidade, capacidade de proliferação, auto renovação e imunomodulação. Condições de semeadura, características dos moldes e do ambiente de cultura têm sido testados. A adesividade celular é importante para o desenvolvimento tecidual e a estabilidade celular no momento do implante no ser vivo. OBJETIVO: O presente estudo visa testar o papel da cola de fibrina na estabilidade celular superficial e sua interferência na penetrância celular no molde em poliuretano vegetal semeados com células mesenquimais obtidas a partir de tecido adiposo de cirurgias de lipoaspiração. MÉTODOS: As células mesenquimais foram obtidas a partir de tecido adiposo com tratamento adequado.Após, os moldes (12 ao todo, sendo 6 sem cola - BaxterR.- e 6 com) foram semeados. O teste de adesividade foi feito com sistema de fácil reprodutividade, usando-se liberação de 5ml de solução fisiológica com fluxo determinado apenas pela atuação gravitacional, perpendicularmente ao molde, separado por 30 cm, 72 hs após o implante. O sobrenadante foi centrifugado e ressuspenso em 1ml. A concentração celular nas amostras foram observadas em câmara de Neubauer. Os dados serão compilados e tratados estatisticamente.

Células mesenquimais - Engenharia de tecido - Cola de fibrina

B0204

IMPLEMENTAÇÃO DA FARMÁCIA CLÍNICA NO HOSPITAL-DIA(HC_UNICAMP): PRINCIPAIS INTERVENÇÕES FARMACÊUTICAS REALIZADAS AOS PACINTES HIV POSITIVOS E À EQUIPE MÉDICA


Aline Teotonio Rodrigues, Caroline de Godoi Rezende Costa, Cínthia Madeira Souza, Michele Tami Tanaka, Patrícia Romeiro Murari, Rogério de Jesus Pedro, Maria Rosa Ceccato Colombrini, Patricia Moriel e Profa. Dra. Priscila Gava Mazzola (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A intervenção farmacêutica é uma das partes mais importantes do acompanhamento farmacoterapêutico (AFT), visto que é nessa etapa da farmácia clínica que se estabelece a orientação do paciente e a atuação efetiva do profissional farmacêutico junto à equipe de saúde. A atenção Farmacêutica pressupõe condutas do farmacêutico que correspondem às Intervenções em Saúde (IS), que incluem a Intervenção Farmacêutica (IF), como um aspecto do acompanhamento farmacoterapêutico. O objetivo deste trabalho é quantificar e caracterizar as intervenções farmacêuticas realizadas junto a pacientes HIV positivos em tratamento no Hospital Leito Dia – HC Unicamp (HD), utilizando o método Dáder, para assim avaliar a relevância da aplicação da Farmácia Clínica junto a pacientes soropositivos. Foram estudados, no período de 01 de fevereiro a 01 de março de 2009, 10 pacientes do Hospital Leito Dia da UNICAMP, em Campinas, São Paulo, Brasil. O método utilizado foi de entrevistas utilizando o questionário proposto pelo Método Dáder, adaptado à característica do serviço, sendo que a partir disso foram realizadas 91 intervenções farmacêuticas, uma média de 9.1 intervenções por paciente. A principal intervenção ao paciente foi: modo de administração, e ao médico: sugestões de monitoramentos e exames clínicos. Este trabalho demonstrou um grande número de intervenções farmacêuticas por paciente, sugerindo a necessidade da implantação da atenção farmacêutica para a melhoria da qualidade e expectativa de vida dos pacientes com HIV positivo.

Intervenção farmacêutica - Farmácia clínica - PRM

B0205

QUANTIFICAÇÃO DE PROBLEMAS RELACIONADOS COM MEDICAMENTOS OBSERVADOS A PARTIR DA FARMACOTERAPIA DE PACIENTES HIV POSITIVOS DO HOSPITAL LEITO DIA - HC - UNICAMP


Patrícia Romeiro Murari, Cinthia Madeira de Souza, Caroline de Godoi Costa, Aline Teotônio Rodrigues, Maria Rosa Ceccato Colombrini , Rogério de Jesus Pedro, Michele Tami Tanaka, Patrícia Moriel (co-orientador) e Profa. Dra. Priscila Gava Mazzola (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
O acompanhamento farmacoterapêutico possibilita uma aproximação real do paciente com seu próprio esquema terapêutico, facilitando a compreensão da importância da tomada correta dos medicamentos, minimizando as interações medicamentosas e conseqüentemente os problemas relacionados aos medicamentos (PRM). O objetivo deste trabalho é quantificar e caracterizar os PRM que surgirem da farmacoterapia dos pacientes HIV positivos em tratamento, utilizando como ferramenta o Método Dáder. No período entre 01 de fevereiro a 01 de março de 2009, foram avaliados 10 pacientes do Hospital Leito Dia – HC Unicamp, em Campinas, São Paulo, Brasil. Através desse estudo foi possível quantificar e classificar os PRM encontrados de acordo com a seguinte padronização: Necessidade (PRM 1 – não utiliza medicamento de que necessita; PRM 2 - utiliza um medicamento de que não necessita); Efetividade (PRM 3 - inefetividade não quantitativa da medicação; PRM 4 - inefetividade quantitativa da medicação); Segurança (PRM 5 - insegurança não quantitativa de um medicamento; PRM 6 - insegurança quantitativa de um medicamento). A partir do estudo foram quantificados 84 PRM, sendo o PRM 5 e o PRM 1 os mais encontrados. Portanto, demonstrou-se um grande número de PRM por paciente, sugerindo a necessidade da implantação da atenção farmacêutica para a melhoria da qualidade e expectativa de vida dos pacientes HIV positivos.

HIV - Farmacoterapia - Farmácia clínica

B0206

A FORMAÇÃO E A PRÁTICA EM FONOAUDIOLOGIA NA PERCEPÇÃO DE EGRESSOS DE UM CURSO DO INTERIOR DE SÃO PAULO


Camila Thiemy Tamura (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Regina Yu Shon Chun (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Cabe à universidade formar profissionais voltados a Saúde Pública/Coletiva em uma perspectiva de atenção integral e desenvolver mecanismos de avaliação/análise da formação. Estudos com egressos podem contribuir para tais aspectos e fornecer subsídios para mudanças. Para tanto, aplicou-se um questionário com egressos de Fonoaudiologia/UNICAMP de 2005 a 2007. Dos 51 sujeitos, 46% trabalha e estuda, 36% trabalha, 7% estuda, 7% não trabalha e 4% atua em outra área. A renda média varia com o tempo de formado sendo maior quanto mais tempo de formado. O tempo médio de inserção no mercado de trabalho é de 6,4 meses sendo que o tempo de inserção em voz é menor do que em outras áreas. 51% dos sujeitos considera que recebeu formação generalista, 41% específica em algumas áreas e os demais, básica. Para 51% dos egressos, a graduação forneceu em parte subsídios para a atuação profissional, sendo suficiente para 39%, não suficiente para 6% e 4% não respondeu. As maiores queixas quanto à formação e mercado de trabalho são: maior foco em algumas áreas (linguagem/audiologia) e menor em outras (motricidade orofacial/disfagia/voz), baixa remuneração, necessidade de especialização/prática anterior, poucas vagas no mercado e falta de reconhecimento da profissão.

Atenção à saúde - Fonoaudiologia - Estudos em linguagem

B0207

QUALIDADE DE VIDA DE AFÁSICOS USUÁRIOS DA COMUNICAÇÃO SUPLEMENTAR E/OU ALTERNATIVA


Mariana Mendes Bahia (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Regina Yu Shon Chun (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Este estudo volta-se a sujeitos afásicos pela carência da temática na literatura e pelas repercussões na qualidade de vida (QV) desses sujeitos em aspectos como: dependência nas tarefas cotidianas, interferência nas relações sociais e comprometimentos lingüísticos e psíquico-afetivos. Assim vista, a QV amplia a abordagem de assistência à saúde, consolida novos paradigmas do processo saúde-doença e favorece a Promoção da Saúde. Nesse contexto, a Comunicação Suplementar e/ou Alternativa (CSA) mostra-se como possibilidade de favorecimento da linguagem e das interações sociais e, conseqüentemente, da QV. O objetivo é investigar questões de linguagem e de QV de sujeitos afásicos a partir do uso da CSA. Trata-se de pesquisa de abordagem qualitativa-quantitativa de corte longitudinal, cujo corpus se constitui de 05 sujeitos afásicos usuários da CSA. Os dados foram coletados por meio de registros em vídeo do acompanhamento fonoaudiológico com CSA, depoimentos dos sujeitos e Questionário Específico da Avaliação da Qualidade de Vida para a Doença Cerebrovascular (SSQOL). Verifica-se que a CSA contribui nos aspectos de linguagem e de QV ao promover mudanças na interação social e lingüística dos sujeitos afásicos bem como para a promoção da saúde e atenção fonoaudiológica em uma perspectiva discursiva de linguagem.

Qualidade de vida - Fonoaudiologia - Afasia

B0208

O ACOMPANHAMENTO FONOAUDIOLÓGICO EM GRUPO DE SUJEITOS AFÁSICOS USUÁRIOS DE COMUNICAÇÃO SUPLEMENTAR E/OU ALTERNATIVA


Renata de Lima Ramos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Regina Yu Shon Chun (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A afasia é caracterizada por lesão focal adquirida no sistema nervoso central que causa alterações nos processos lingüísticos e pode afetar a vida social dos sujeitos e suas famílias. No Centro de Convivência de Afásicos (CCA) - IEL/ Unicamp, sujeitos com maior comprometimento de oralidade (afásicos não fluentes) participam de um grupo em que a fonoaudiologia trabalha com a Comunicação Suplementar e/ou Alternativa (CSA). A CSA trata-se de uma prática clínica, educacional e multidisciplinar que visa apoiar, complementar, suplementar, melhorar ou substituir as formas de produção e interpretação verbal de pessoas com alterações de linguagem. A coleta de dados foi realizada por meio de registros em vídeos do trabalho com a CSA e de entrevistas semi-estruturadas para análise do impacto do grupo e do uso da CSA. O estudo permitiu analisar a percepção dos mesmos sobre o papel do grupo e da utilização da CSA para favorecimento de sua linguagem. Os resultados evidenciam que quanto mais participativo é o sujeito no grupo mais ele utiliza recursos variados de comunicação como gestos, escrita, fala, a CSA além de incentivar a fala do outro bem como maiores são as possibilidades de cooperação entre eles na situação de interação.

Patologia da fala e linguagem - Afasia - Grupo terapêutico

B0209

ANÁLISE EPIDEMIOLÓGICA E CLÍNICA DE UMA POPULAÇÃO PORTADORA DE RONCOPATIA ATENDIDA NA UNIDADE MULTIDISCIPLINAR DE MEDICINA A LASER (UMML) DO HC/UNICAMP ENTRE 1996 E 2006


Henrique Soares Assis (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Reinaldo Jordão Gusmão (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A roncopatia é muito prevalente na população e tem relação com sexo masculino, obesidade e idade avançada. Pode levar à Síndrome da Apnéia e Hipopnéia Obstrutiva do Sono (SAHOS), que cursa com repercussões sistêmicas, em especial cardiovasculares. Para seu diagnóstico, utiliza-se a clínica (ronco intenso, sono não repousante, entre outros), exame físico e polissonografia (PSG). Seu tratamento pode ser clínico, com mudança de estilo de vida e medicamentos, uso de próteses e aparelhos de pressão aérea positiva contínua e cirúrgico, cujas principais técnicas atualmente são a uvulopalatofaringoplastia e LAUP, esta com diversas vantagens. Buscou-se com este projeto a caracterização clínica e epidemiológica de uma população de roncadores atendida no HC/UNICAMP entre 1996 e 2006 e quando foi indicada LAUP nesses pacientes e sua efetividade, através de estudo retrospectivo. Foram encontradas algumas dificuldades no levantamento e análise dos dados, uma vez que muitos prontuários não apresentavam informações relevantes da anamnese e exame físico, assim como não foi feito o seguimento de vários pacientes, o que prejudicou a análise da melhora clínica e do padrão da PSG desses. Assim, este trabalho foi útil na caracterização dessa população portadora de roncopatia e mostrou que é necessário um protocolo de atendimento e orientação visando a coleta e transcrição adequadas de dados destes pacientes.

Ronco - Laup - Sahos

B0210

FATORES MOTIVACIONAIS QUE CONTRIBUEM PARA A BUSCA DE TRATAMENTO PARA A CESSAÇÃO DO TABAGISMO


Adriana Carneiro Russo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Renata Cruz Soares de Azevedo (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Abandonar o hábito de fumar é um processo que envolve muitas mudanças e, por isso, é muito difícil de ser realizado com sucesso. Nesse sentido, a motivação é um dos aspectos essenciais para que o tabagista tenha, não só a iniciativa, mas o sucesso na tentativa de parar de fumar. Este projeto visou descrever os fatores motivacionais que levam o tabagista a buscar tratamento para parar de fumar. Para isso foram abordados tabagistas que procuraram tratamento no Ambulatório de Substâncias Psicoativas do Hospital de Clínicas da Unicamp e, os que concordaram em participar, responderam à quatro instrumentos: dados sócio-demográficos; teste de Fagerström para medir o grau de dependência da nicotina; teste Urica para avaliar o estágio de motivação; uma entrevista sobre suas motivações para parar de fumar e sobre o histórico da sua dependência do tabaco. Foram entrevistados 49 pacientes sendo que 65,3% tinham um grau de dependência elevado, 48,9% encontravam-se no estágio motivacional de contemplação e 50,9% no de ação. Os principais fatores citados como motivadores para busca de tratamento para cessação foram: preocupação com a saúde, necessidade de auxílio para a cessação, incentivo de médicos ou familiares e vergonha por fumar. Espera-se que os resultados possam contribuir para a melhoria na compreensão dos fatores motivacionais relacionados a busca de tratamento para tabagistas e, assim, otimizar estratégias de prevenção secundária e terciária.

Motivação - Tabagismo - Abordagem do tabagista

B0211

EMPATIA NA RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE E FORMAÇÃO DE NOVOS MÉDICOS EM UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA: UM OLHAR QUALITATIVO


Fabricio Donizete da Costa (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Renata Cruz Soares de Azevedo (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A Relação Médico-Paciente (RMP) vai além do encontro situacional entre esses dois intérpretes, algo maior do que fazer perguntas, exames físicos, receitar medicamentos e prescrever condutas. Estudos sugerem que a RMP mescla performances técnica (ligada ao conhecimento) e pessoal, esta última multifatorial. Frente ao dissabor de atuações médicas homogeneizantes que ignoram a pessoalidade intrínseca de cada vivente, a empatia surge de forma prática na RMP para promover grandes avanços diametralmente opostos a estas práticas. Empatia, nesse contexto, remete a sensibilização pelas mudanças sentidas e refletidas, momento a momento, pela outra pessoa (paciente). Talvez, Empatia resida seu significado mais compreensível na célebre frase de Ambroise Paré: “curar ocasionalmente, aliviar freqüentemente e consolar sempre”. Considerando que a Empatia pode enriquecer a prática médica, por que não se cogitar a possibilidade de se ensinar a ser empático, ou se discutir o quão importante a empatia é sob a ótica de docentes do curso de medicina. Para isso, este projeto visa abordar, de maneira qualitativa, a empatia e a sua importância na RMP na formação de novos médicos em uma Universidade pública e discutir sua transmissibilidade em prol de uma medicina mais condizente com as necessidades da população.

Empatia - Relação médico-paciente - Educação médica

B0212

ADOLESCENTES ATENDIDOS PELO SETOR DE PSIQUIATRIA NA UNIDADE DE EMERGÊNCIA REFERENCIADA DO HC/UNICAMP


Leandro Xavier de Camargo Schlittler (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Renata Cruz Soares de Azevedo (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Foram avaliados 63 adolescentes (14 a 21 anos), atendidos pela psiquiatria no Pronto-Socorro do HC/UNICAMP. Os dados sócio-demográficos e clínicos foram coletados da ficha de atendimento e o seguimento foi colhido em contato telefônico. Conseguimos contatar 51% dos adolescentes. A idade média foi de 17.6 anos, 54% do sexo masculino, 68% procedente de Campinas, 90.3% vieram acompanhados no atendimento, principalmente pela mãe (56%). Principais motivos do atendimento: 18% alteração de comportamento, 15% sintomas depressivos, 14.3% agressividade, 12.9% sintomas ansiosos, 12.9% tentativa de suicídio, 9.5% uso de drogas e 9.5% agitação. A maioria (65%) já tinham um diagnóstico psiquiátrico e 50% já havia feito tratamento psiquiátrico. As principais hipótese diagnósticas após o atendimento foram: episódio depressivo (16.1%), retardo mental (16.1%), uso de drogas, surto psicótico e transtorno de conduta (15.6%), transtorno dissociativo (9.3%), ansiedade (9.3%) e transtorno alimentar (3.1%). No seguimento após 1 ano, 90.6% referiram estar melhor e 9.4% igual. O encaminhamento para tratamento foi seguido por 87.5%, 50% continua em atendimento, 15.6% tiveram alta e 15.6% abandonaram. O seguimento indicou que o encaminhamento foi seguido na maior parte dos casos.

Psiquiatria de adolescentes - Urgência psiquiátrica - Psiquiatria infantil

B0213

ABORDAGEM DO TABAGISMO DURANTE AS CONSULTAS MÉDICAS


Tathiana de Almeida Martins de Souza (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Renata Cruz Soares de Azevedo (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
O elevado número de tabagistas no mundo e no Brasil e seu impacto na morbi-mortalidade da população tem levado órgãos de Saúde a incentivar a conscientização dos médicos tanto da importância da abordagem do tabagismo durante seus atendimentos quanto do tratamento de seus pacientes fumantes. O objetivo central deste projeto foi levantar dados de médicos de diversas especialidades do Hospital das Clínicas da UNICAMP com relação à abordagem do tabagismo nos atendimentos. Foram entrevistados de forma aleatória, médicos das seguintes especialidades: ultrassonografia, gastro, pneumologia, infectologia, clínica médica, oncologia, anestesiologia, hematolologia, psiquiatria, genética, cardiologia, nefrologia, endocrinologia, neurologia, gastroentereologia, otorrinolaringologia , radiologia, cirurgia, obstetrícia e ginecologia, dermatologia, patologia e medicina intensiva. O programa utilizado para confeccionar o banco de dados e correlacionar variáveis foi o EXCEL. Foram realizadas uma análise descritiva dos entrevistados e avaliadas variáveis relacionadas à abordagem e intervenção em pacientes tabagistas durante as consultas médicas.

Relação médico-paciente - Abordagem do tabagismo - Tabaco-dependência

B0214

EXPECTATIVAS DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL EM RELAÇÃO AO PROCESSO DE REAILITAÇÃO


Ligiane A. Martins Vieira (Bolsista FUNDAP), Ligia Aparecida Furlan, Maria Inês Rubo Nobre e Profa. Dra. Rita de Cássia Ietto Montilha (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
O Cepre - Centro de Estudos e Pesquisa em Reabilitação “Prof. Dr. Gabriel Porto”, vinculado à Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp visa além da pesquisa e ensino, a assistência na área das deficiências sensoriais. Esta pesquisa foi realizada com um grupo de usuários com deficiência visual que iniciaram a reabilitação no primeiro semestre de 2009. O objetivo foi verificar o perfil dos participantes do grupo e suas expectativas quanto ao processo de reabilitação. Para coleta de dados utilizou-se um questionário, desenvolvido após estudo exploratório, aplicado por meio de entrevista. A idade dos participantes variou entre 21 a 40 anos, sendo que maioria (80,0%) era do sexo masculino. Em relação às causas de perda da visão destacaram-se toxoplasmose, glaucoma, descolamento de retina e edema macular. Entre as expectativas, as que mais se destacaram foram: aprender a desempenhar as atividades do cotidiano com maior autonomia e facilidade, adquirir independência no desempenho de atividades na cozinha e trocar experiências com pessoas com a mesma problemática. Conclui-se que os participantes iniciam a reabilitação com expectativas coerentes ao processo proposto.

Terapia ocupacional - Reabilitação - Atendimento em grupo

B0215

VALIDAÇÃO DE INSTRUMENTO DE MEDIDA DO IMPACTO DA DOENÇA ENTRE CORONARIOPATAS: UMA ANÁLISE PRELIMINAR


Rafaela Aparecida Batista dos Santos (Bolsista FAPESP), Simey de Lima Lopes Rodrigues, Thais Moreira Spana, Maria Cecília Bueno Jayme Gallani e Profa. Dra. Roberta Cunha Matheus Rodrigues (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A compreensão da percepção do paciente sobre sua doença é fundamental para intervir no modo como o paciente lida com o adoecer, com o seu tratamento e com sua capacidade em apropriar-se do curso de sua doença. Logo, este estudo teve como objetivo avaliar o desempenho psicométrico do Instrumento para Mensuração do Impacto da Doença no Cotidiano do Valvopata(IDCV) quando aplicado a pacientes coronariopatas. Fizeram parte deste estudo até o momento, 112 pacientes em atendimento ambulatorial, sendo 70,5% do sexo masculino, com média de idade de 61,8(±10,5) anos e 4,9(±4,2) anos de estudo. A maioria dos pacientes era portadora de infarto do miocárdio. A confiabilidade do IDCV foi avaliada por meio da determinação do Alfa de Cronbach e a validade de constructo por meio da correlação do IDCV com a versão brasileira do instrumento de avaliação da qualidade de vida relacionada à saúde(QVRS), específico para coronariopata(MacNew Heart Disease Health-related Quality of Life Questionnaire)e com o instrumento de avaliação genérica- “The Medical Study 36-item Short Form Health Survey”(SF-36). Foi constatada evidência de consistência interna para o escore global do IDCV (Alfa de Cronbach=0,85). A medida do impacto da doença se correlacionou com a medida de QVRS geral e específica. Os resultados preliminares evidenciam que o IDCV construído na cultura brasileira é instrumento confiável e válido para avaliação do impacto da doença em coronariopatas.

Infarto do miocárdio - Qualidade de Vida - Impacto da doença

B0216

ABORDAGEM DA DEPRESSÃOPÓS-PARTO NA CONSULTADE PUERICULTURA


Livia Vieira de Almeida (Bolsista PIBIC/CNPq), Antonio de Carvalho Jacintho e Prof. Dr. Roberto Teixeira Mendes (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Aproximadamente 13% das puérperas apresentam depressão pós-parto, o que mostra a importância epidemiológica da doença. Os principais fatores de risco são: depressão pós-parto anterior, história de depressão em qualquer período da vida, ansiedade ou depressão durante a gestação, maternity blues, estresse nos cuidados com o bebê, insatisfação conjugal,ausência de suporte social. Diversos autores apontam o diagnóstico precoce como maior desafio no manejo da doença. A dificuldade na detecção dos casos inclui falta de critérios consensuais, temerosidade da mãe em relatar suas angústias com a maternidade e mesmo falta de atenção dos profissionais de saúde para o problema. Estão sendo avaliadas puérperas de dois centros de saúde de Campinas, durante a visita domiciliar realizada pela enfermeira das unidades. O questionário a ser aplicado reúne fatores de risco para depressão pós-parto e escalas psicométricas de auto avaliação. As perguntas devem possibilitar uma conversa sobre sintomas psíquicos da mãe e sua interação com o bebê. As pacientes são encaminhadas ou não para investigação do quadro no centro de saúde a partir da impressão da visitadora. O número de diagnósticos até o momento é muito pequeno, será possível avaliar a eficácia da metodologia a partir da identificação de novos casos.

Depressão - Pós-parto - Puericultura

B0217

A REDE DE SERVIÇOS DE ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL NA TRAJETÓRIA DE VIDA DE PACIENTES DAS UNIDADES BÁSICAS DE CAMPINAS-SP


Ivana Oliveira Preto Baccari (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Rosana Teresa Onocko Campos (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A articulação dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) à rede de serviços de Atenção Básica à Saúde mostrou-se deficitária em projetos anteriores desenvolvidos nos CAPs. Compreender as dificuldades de inter-relação entre os serviços a partir da perspectiva de pacientes e conhecer se houve mudanças em suas histórias de vida pela vinculação aos serviços foram nossos objetivos. Realizaram-se doze entrevistas em profundidade com três pacientes de agrupamentos pré-selecionados nas Unidades Básicas de Saúde de Campinas-SP. Os três pacientes foram encaminhados pelas UBS para tratamento em CAPs com facilidade e os CAPs ajudaram dois deles a produzir desvios significativos em suas histórias. Um dos pacientes tem seguido de maneira circular, um caminho de drogadição e marginalização social; outra recuperou completamente sua atuação social anterior à loucura; um terceiro adaptou razoavelmente sua vida social à experiência da psicose. Verificaram-se, portanto, mudanças na vida dos pacientes a partir de sua atuação na rede social e de Saúde. Os dados corroboram achados anteriores sobre a continência da rede de CAPs da cidade de Campinas, mas também apontam uma fragilidade dessa rede nos casos que associam transtornos graves e drogadição. A experiência de trabalho qualitativo com pacientes graves foi importante para uma aluna de medicina.

Políticas públicas - Saúde Mental - Atenção primária à saúde

B0218

ESTUDO DA EXPRESSÃO GÊNICA DE IRS1 EM CÉLULAS HEMATOPOÉTICAS NORMAIS, MIELODISPLÁSICAS E LEUCÊMICAS


Arthur Antolini Tavares (Bolsista PIBIC/CNPq), João Agostinho Machado Neto, Mariana Lazarini e Fabiola Traina e Profa. Dra. Sara Teresinha Olalla Saad (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
As síndromes mielodisplásicas (SMDs) são distúrbios clonais da medula óssea caracterizados por hematopoese ineficaz e risco de evolução para leucemia mielóide aguda (LMA), cuja gênese tem sido avaliada pelas vias de sinalização intracelular. O substrato 1 do receptor de insulina (IRS1) intermedeia a transdução, se fosforilado em tirosina, de sinais de receptores como o de insulina e o IGF1, exercendo efeito estimulatório indireto sobre vias anabólicas e de manutenção celular. Assim, pretendeu-se investigar e comparar a expressão gênica de IRS1 em células hematopoéticas de indivíduos normais e de pacientes do Hemocentro/UNICAMP com diagnóstico de SMD e LMA. Após a extração do RNA total e transcrição em DNA complementar, a expressão gênica foi avaliada por PCR em tempo real. Analisadas 7 amostras de medulas normais, 16 de SMDs (7 AR, 3 ARSA, 2 AREB e 2 AREBt, 2 s/ classificação) e 11 de LMAs, houve diminuição da expressão na SMD em relação aos controles normais (p<0,10); nas LMAs há uma aumento de expressão não significativo em relação às SMDs. Sendo IRS1 um gene considerado "housekeeping" (constitucional), com múltiplas atribuições, é possível que a fosforilação em tirosina e a ativação dos componentes das vias de que participa ofereçam dados à sua influência na leucemogênese como ocorre com tumores sólidos.

IRS-1 - Mielodisplasia - Leucemia

B0219

FREQÜÊNCIA DO POLIMORFISMO SNP309 NO MIELOMA MÚLTIPLO E CORRELAÇÕES CLÍNICAS


Gabriel Baldanzi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Sara Teresinha Olalla Saad (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
O Mieloma Múltiplo é uma alteração clonal de células B na qual há acúmulo de células plasmáticas na medula óssea, produzindo lesões ósseas líticas e excesso de imunoglobulinas monoclonais. Para diagnóstico, necessita-se análise da medula óssea, com infiltração por células plasmáticas, detecção e quatificação da proteína monoclonal e evidências de lesões de órgão como insuficiência renal, anemia e lesões ósseas. O gene p53 é um supressor tumoral com atividade bem caracterizada e que é regulado pela proteína MDM2. O polimorfismo no promotor do MDM2 (SNP309) é muito comum e leva ao aumento da afinidade da região ao fator de transcrição Sp1 com conseqüente aumento da transcrição deste gene. Células homozigotas para o SNP309 são mais resistentes que as células homozigotas selvagens à apoptose causada por drogas quimioterápicas. Sendo assim, o nível elevado de MDM-2 devido ao polimorfismo é capaz de atenuar a via da p53. Recente estudo de metanálise mostrou que este polimorfismo está associado a um aumento no risco para todos os tipos de tumores . No caso de Mieloma Múltiplo, casos com super-expressão da proteína MDM-2 foram associados a pior prognóstico. O objetivo deste estudo é analisar a freqüência do polimorfismo SNP309 do gene MDM2 em pacientes com Mieloma Múltiplo e relacionar com a evolução clínica dos pacientes e sua resposta terapêutica. Para tal, 80 casos foram selecionados e o DNA de sangue periférico será avaliado por PCR e digestão com enzima de restrição para o SNP309.

Mieloma múltiplo - MDM2 - SNP309

B0220

ANÁLISE DA RESPOSTA AO TRATAMENTO DE INDUÇÃO DE REMISSÃO DE LINFOMAS NÃO-HODGKIN COM O POLIMORFISMO SNP309 NO GENE MDM2


Jean Carlos Lazari (Bolsista SAE/UNICAMP), Fabiola Traina, João Agostinho Machado Neto e Profa. Dra. Sara Teresinha Olalla Saad (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Os Linfomas Não-Hodgkin (LNH) correspondem à neoplasias malignas do tecido linfóide caracterizados pela excessiva proliferação de linfócitos atípicos formados a partir da repressão do desenvolvimento normal da linhagem linfocítica. A desregulação do ciclo celular possui um papel crucial na gênese de diversos tumores, inclusive dos LNH. Os genes Tp53 e MDM2 estão relacionados ao controle do ciclo celular e se auto-regulam por feedback negativo. O gene Tp53, um supressor tumoral, previne a formação de tumores por estimular a morte celular; enquanto o MDM2, um oncogene, favorece o tumorigênese por ação contrária. Identificou-se um polimorfismo no MDM2 (SNP309) responsável por causar uma hiperexpressão deste gene, aumentando a susceptibilidade para o desenvolvimento de cânceres. Esta pesquisa visou analisar a resposta ao tratamento quimioterápico da célula neoplásica em LNH de acordo com o genótipo dos paciente para o polimorfismo do MDM2. Para a genotipagem, foram realizados extração de DNA de leucócitos, amplificação do MDM2 por PCR, digestão enzimática e eletroforese em gel de agarose. Resultados preliminares indicam que os pacientes com LNH apresentam o alelo polimórfico com maior frequência que os indivíduos normais, sugerindo que este alelo pode conferir maior susceptibilidade ao LNH.

Linfoma não-Hodgkin - MDM2 - Polimorfismo SNP309

B0221

PESQUISA DE MUTAÇÕES NO GENE DA PIRUVATO QUINASE EM PACIENTES COM PROVÁVEL DEFICIÊNCIA DE PIRUVATO QUINASE


Juliana Elias Miquelin (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Sara Teresinha Olalla Saad (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A enzimopatia mais comum como causa de Anemia Hemolítica Não-Esferocítica Congênita Crônica é causada pela deficiência de piruvato quinase eritrocitária (PK-R), enzima que catalisa o Fosfoenolpiruvato em Piruvato na etapa final da via glicolítica. Do gene PK-RL, são conhecidas mais de 180 mutações, de transmissão autossômica recessiva que em homozigose, heterozigose ou heterozigose para duas mutações cursam com a deficiência de PK-R,com expressão clínica variável. No Brasil há falta de dados a respeito da doença e o diagnóstico é raramente feito, sendo que os métodos oferecidos são controversos devido aos falsos resultados. Hoje, é consenso que as técnicas de biologia molecular são mais indicadas para o diagnóstico das eritroenzimopatias. Com este trabalho, buscamos a padronização de métodos mais rápidos e de baixo custo através da caracterização de um perfil na população brasileira.  Analisamos 24 pacientes, com testes bioquímicos alterados, por método de PCR e digestão enzimática para as mutações mais comuns 1529A, presente em 1 paciente, e 1456T, em 3 pacientes. Em desenvolvimento, pesquisamos atualmente outras mutações através de amplificação e seqüenciamento dos demais exons, bem como sua leitura em programa Bioedit e Chromas e pesquisa de polimorfismos em população controle de pelo menos 200 indivíduos.

Deficiência piruvato quinase - Anemia hemolítica - Mutações

B0222

DISTÚRBIOS DE SÓDIO E ÁGUA EM PACIENTES COM LESÃO CEREBRAL AGUDA


Marco Aurélio de Sanctis (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Sebastião Araújo (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Introdução: Alterações do balanço de sódio e água, incluindo hipo ou hipernatremia, são complicações reconhecidas em pacientes com lesão cerebral aguda (LCA), podendo comprometer a evolução clínica ou serem marcadores de mau prognóstico. Objetivo. Avaliar a incidência de alterações da natremia em pacientes com LCA e correlacioná-las com a evolução intra-hospitalar dos pacientes. Método. Estudo retrospectivo, descritivo. Pacientes com LCA [Glasgow (ECG)  12], traumática ou não, idade ≥ 18 anos, com tempo entre o início da lesão e a internação na UTI  48 horas, foram incluídos no estudo. Dados clínicos e laboratoriais dos primeiros 10 dias de internação foram anotados e a evolução dos pacientes foi avaliada no 28º dia de internação. As variáveis de interesse nos pacientes com LCA foram analisadas de acordo com seu comportamento no tempo de observação, bem como a relação entre elas.. Resultados: Alterações do sódio sérico, com amplas variações fora da faixa de normalidade, foram mais freqüentes nos pacientes mais graves e esteve associada com pior evolução. Conclusão. Os níveis séricos de sódio alteram-se com freqüência em pacientes com LCA e estas alterações são mais marcantes naqueles com menor pontuação na ECG, e, quanto mais amplas estas variações da natremia, pior o prognóstico dos pacientes.

Lesão cerebral - Distúrbio - Sódio

B0223

FORMAÇÃO MÉDICA: DESVENDANDO DESEJOS, EXPECTATIVAS E POSICIONAMENTO DOS GRADUANDOS DA FCM-UNICAMP SOBRE O SUS


Gines Villarinho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Sergio Resende Carvalho (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
O presente trabalho auxilia o entendimento sobre alguns aspectos do processo de aprendizagem dos alunos do curso de medicina, prioritariamente no esclarecimento de um paradoxo: de um lado o discurso institucional – da FCM-Unicamp – que propõe, em suas diretrizes e metas, formar profissionais capacitados e estimulados a trabalharem no SUS e de outro uma realidade na qual os alunos optam por carreiras e inserções profissionais que não têm em seu cerne o compromisso com o referido sistema. Avaliou-se, através de entrevistas com roteiros semi-estruturados realizadas com alunos de quinto ano, a incorporação de princípios, diretrizes e práticas preconizadas pela reforma. Para isto foi tomado como referência as reflexões dos alunos antes e após a vivência no internato de Gestão e Planejamento (MD-945), que por suas características (conteúdos e cenários pedagógicos) constituem um momento sui generis na formação do graduando de medicina para análise do movimento da reforma curricular da FCM. Os resultados demonstram haver uma dispersão entre as opiniões dos alunos revelando características importantes da formação médica e do perfil dos estudantes, conclui-se que, apesar de avanços, a reforma curricular deve ser aprimorada valorizando-se a opinião dos alunos e o presente trabalho contribuirá nesse processo.

Educação médica - Sus - Reforma curricular

B0224

ESTUDO DOS ACIDENTES INFANTIS EM PRÉ-ESCOLARES DE UMA POPULAÇÃO DE BAIXA RENDA NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS


Ana Julia Sichiroli de Medeiros (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Silvana Denofre Carvalho (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Os acidentes na infância representam uma importante causa de morbi-mortalidade no mundo atual, constituindo um grande problema de saúde pública, juntamente com infecções respiratórias, doenças gastrintestinais e desnutrição protéico-calórica. No presente trabalho, procurou-se conhecer a frequência dos acidentes em crianças pré-escolares da região de um Centro de Saúde (CS) de Campinas, com predomínio de baixa renda, e posteriormente estudar as características dos acidentes. Os dados foram obtidos por meio de questionário respondido pelos pais ou responsáveis por essas crianças, enquanto aguardavam ou realizavam atendimento no CS. Os acidentes mais comuns encontrados foram as quedas e ferimentos leves (com facas, tesouras e outros objetos perfurantes) em crianças do sexo masculino. Na maioria dos eventos o pai ou a mãe estavam presentes em casa, e a criança não foi encaminhada a um hospital ou ao CS. A prevenção destes acidentes é fundamental, pois nessa faixa etária a criança consegue andar, correr, saltar, subir e descer escadas, e compreende limites relativos à segurança, mas pode esquecê-los facilmente ao entreter-se brincando. Os pais devem ser orientados quanto a isso, pois pelo fato de o filho já ter essas habilidades, muitas vezes podem acreditar que a criança não está sujeita ao perigo; porém, por isso mesmo, as crianças tornam-se mais expostas e susceptíveis a esses eventos.

Criança - Prevenção de acidentes - Centros de saúde

B0225

A CORRELAÇÃO ENTRE AS CAPACIDADES NAS ATIVIDADES DE VIDA DIÁRIA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM DEFICIÊNCIA VISUAL, COM AS EXPECTATIVAS DAS MÃES SOBRE O FAZER DESTE INDIVÍDUO


Cecilia Berni De Marque (Bolsista FUNDAP), Elisa Martini Cressoni, Sônia Maria Chadi de Paula Arruda e Profa. Dra. Sonia Maria Chadi de Paula Arruda (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
O ambiente familiar é o primeiro espaço de desenvolvimento do individuo. Quando a família restringe a participação deste, suas potencialidades podem não ser exploradas, pois não haverá condições para tal. O objetivo desta pesquisa será estudar a correlação entre as capacidades e limitações de realização das Atividades de Vida Diária (AVD) de adolescentes com baixa visão, com as expectativas e percepções de seus responsáveis legais sobre o fazer deste indivíduo. As AVD compreendem as tarefas de rotina diária, como higiene, alimentação, vestuário etc. Por meio das vivencias cotidianas há a formação de hábitos e habilidades para o desempenho independente e autônomo no cotidiano. O trabalho será realizado com dois grupos: o primeiro com adolescentes entre 10 a 16 anos de idade, e o segundo com os responsáveis legais destes, atendidos no CEPRE - FCM – UNICAMP. Serão realizadas entrevistas semi-abertas com os participantes dos dois grupos, e uma avaliação do desempenho ocupacional dos adolescentes. Após análise dos resultados verificar-se-á a correlação entre o discurso oral e a prática do cotidiano dos participantes. Espera-se contribuir para que adolescentes com deficiência visual e familiares ampliem suas possibilidades para que estes se tornem construtores de conhecimentos e independentes em suas ações.

Deficiência visual - Atividade de vida diária - Terapia ocupacional

B0226

RELAÇÃO DAS PERSPECTIVAS DE MÃES DE DEFICIENTES VISUAIS COM AS LIMITAÇÕES DESSES NAS ATIVIDADES DE VIDA DIÁRIA


Elisa Cressoni Martini, Cecília Berni De Marque e Profa. Dra. Sonia Maria Chadi de Paula Arruda (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Este estudo tem como objetivo pontuar nas Atividades de Vida Diária (AVD) as estratégias que favorecem o letramento de pessoas com deficiência visual. Será realizado estudo descritivo por meio de pesquisa qualitativa, visando as estratégias do terapeuta ocupacional que estimulam o letramento por intermédio das AVD. As AVD se constituem de atividades essenciais realizadas ao longo do dia, cujo objetivo principal é proporcionar condições para a formação de hábitos de autonomia e independência, permitindo assim a participação ativa do individuo no ambiente em que vive. Estas propiciam um contato direto com o letramento por diversas atividades realizadas cotidianamente, como: na culinária, na locomoção/localização, na higiene e até mesmo no lazer, entre muitas outras atividades. Recursos ópticos, não ópticos, o sistema braile, ampliação do tamanho de letra, contraste, equipamentos de informática, entre outros, funcionam como facilitadores do contato das pessoas com deficiência visual com o letramento, tais recursos podem ser inseridos nas AVD por meio de adaptações no ambiente, ocasionando assim uma melhora na inclusão social e qualidade de vida.

Atividade de vida diária - Limitações - Capacidades

B0227

EXPRESSÃO DAS PROTEINAS REGULADORAS DO CICLO CELULAR P21, P16 E P53 NA NEOPLASIA INTRAEPITELIAL CERVICAL


Ana Beatriz Maito (Bolsista SAE/UNICAMP), J. F. Bragança, D. R. Pitta, J. Vassallo, L.A. Andrade, L. O. Sarian e Profa. Dra. Sophie Françoise Mauricette Derchain (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Objetivo: Quantificar a expressão dos marcadores do ciclo celular p21, p16 e p53 na Neoplasia Intraepitelial Cervical (NIC I a III). Metodologia: Em estudo transversal, foram examinadas 102 amostras histológicas de pacientes submetidas à conização cervical entre março de 2003 a novembro de 2007. A expressão dos marcadores foi quantificada por imunohistoquímica. Foi utilizada análise de co-variância (CANOVA) para determinar as diferenças de expressão de cada um dos marcadores nos diferentes graus de NIC. O teste T pareado e o coeficiente de correlação de Pearson foram usados para determinar a associação entre as expressões dos marcadores. Resultados: O levantamento anatomopatológico encontrou 79 (77,4%) casos de NIC3, 12 (11,8%) de NIC2 e 11 (10,8%) NIC1. Não houveram associação da expressão do p21 e p53 entre os diferentes graus de NIC (p=0.09 e p=0.89, respectivamente), enquanto a do p16 aumentou paralelamente ao aumento do grau do NIC (p<0,01). As expressões do p16 e do p21 não demonstraram correlação estatística (p=0.64, cor=0.04), assim como o p21 e p53 (p=0.10, cor=0.17) e o p16 e p53 (p=0.87, cor=0.02). Conclusões: As expressões dos marcadores de ciclo celular p21, p53 e p16 não apresentaram associação entre si em relação ao NIC. No entanto, o p16 foi o único marcador que, isoladamente, apresentou relação aos graus de NIC.

P21, P53 e P16 - Colo do útero - Neoplasia intra epitelial

B0228

EXPRESSÃO DA PROTEÍNA HER2 E DOS RECEPTORES DE ESTERÓIDES NA TRANSIÇÃO DAS FRAÇÕES IN SITU E INVASORA DE NEOPLASIAS DE MAMA


Jung Hyun Yoon (Bolsista SAE/UNICAMP), Raquel Mary Rodrigues Peres, Luis Otavio Sarian e Profa. Dra. Sophie Françoise Mauricette Derchain (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Introdução: a transição do carcinoma ductal in situ (CDIS) para o carcinoma ductal invasivo (CDI) é regulada por alguns genes. Permanece desconhecido se o status da proteína HER2 e dos receptores hormonais de estrógeno e de progesterona (RE/RP) são fatores preditivos do potencial invasivo do CDIS. Objetivos: determinar o status dos HER2, RE e RP em áreas de transição em que o CDIS se torna CDI em neoplasias mamárias com ambos componentes. Sujeitos e métodos: 85 casos de tumores de mama com regiões contíguas de CDIS e CDI foram selecionados e uma área do CDIS e outra do CDI foram amostradas com tissue microarray. O status da HER2 e dos RE/RP foi avaliado utilizando-se imunohistoqímica. Resultados: cerca de 35% das áreas de CDI foram consideradas HER2 2+ ou 3+, comparadas aos 47% nos seus homólogos in situ (p=0.12). O RP encontrado foi semelhante nas regiões in situ e invasivo (p=0.06). Houve um ligeiro desequilíbrio no status do RE (p=0.04). Os coeficientes de correlação intraclasse (ICC) evidenciaram relações favoráveis na comparação amostra-por-amostra de HER2 (ICC = 0.61), RP (ICC= 0.61) e RE (ICC=0.70) nos componentes in situ e invasivo. Conclusão: a expressão de HER2 e dos RE/RP não diferem ao longo dos componentes CDIS e CDI na região de transição das neoplasias mamárias.

Carcinogenese - Mastologia - Imunoistoquimica

B0229

AÇÃO DA L-AMINOÁCIDO OXIDASE (LAAO) DA SERPENTE BOTHROPS ALTERNATUS EM MACRÓFAGOS DE RATO


Fernanda de Carvalho Freire Ferreira (Bolsista SAE/UNICAMP), Igor Rapp, Erika Ferraresco dos Anjos, Ivani de Souza, Juliana M. Nascimento e Prof. Dr. Stephen Hyslop (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A L-aminoácido oxidase (LAAO), uma enzima amplamente distribuída em peçonhas ofídicas, catalisa a desaminação oxidativa de aminoácidos do tipo L. As LAAOs têm atividade antimicrobiana, citotóxica, apoptótica e edematogênica, principalmente através da formação do peróxido de hidrogênio que contribui para a ação citotóxica da enzima. Nesse trabalho isolamos a LAAO da peçonha da serpente Bothrops alternatus. A LAAO foi purificada usando uma combinação de cromatografias, sendo a primeira etapa uma troca iônica em coluna SP-Sepharose, a segunda etapa uma gel filtração em coluna Superdex 75 e a terceira etapa uma troca iônica em coluna Hitrap Q. Foram identificadas pelo menos duas isoformas, sendo que a principal destas foi obtida em forma pura (atividade de 166.6 U/mg vs 44 U/mg para a peçonha - fator de purificação de 3,8, com rendimento protéico de ~1,3%). A eletroforese em SDS-PAGE indicou uma massa molecular de ~60 kDa, e a detecção de atividade enzimática in situ nos géis revelou apenas uma banda de atividade. As características da enzima purificada são semelhantes às de outras LAAOs. A disponibilidade de enzima pura é um passo importante para avaliação da sua citotoxicidade em macrófagos alveolares de ratos.

L- aminoácido oxidase - Bothrops alternatus - Purificação

B0230

TDAH E DA : SINAIS PSIQUIÁTRICOS EM CRIANÇAS


Anelise Hamano Silveira Campos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Sylvia Maria Ciasca (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Este projeto visa a analisar sinais psiquiátricos de Transtorno de Déficit de Atenção (TDA) e Déficit de Aprendizagem (DA) em crianças e adolescentes de 7 a 14 anos. A análise envolveu 40 crianças divididas em dois grupos, vinte crianças com TDA e DA e vinte com DA, sem TDA, que foram avaliadas por meio do instrumento C.B.C.L a fim de se determinar sinais positivos de cada distúrbio. Houve comparação entre os dois grupos de crianças para se determinar se havia sinais semelhantes entre eles, particularidades de cada transtorno e ainda, se havia uma relação de comorbidade no momento do diagnóstico. Foi demonstrado qualitativamente que há maior incidência de sinais psiquiátricos nas crianças que apresentam TDA e DA.

TDAH - DA - Sinais psiquiátricos

B0231

ESTUDO ETIOLÓGICO ATRAVÉS DA METANÁLISE SOBRE A PARALISIA CEREBRAL INFANTIL


Nelio Neves Veiga Júnior e Profa. Dra. Sylvia Maria Ciasca (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A Paralisia Cerebral Infantil (PC) é a encefalopatia que mais acomete crianças no mundo. Apesar de possuir marcas atemporais, sua causa ainda é discutível. Assim, elaborou-se a metanálise sobre a etiologia da PC através de artigos publicados na base de dados PubMed/Medline entre 2004 a 2008, a fim de identificar e correlacionar dados sobre medidas profiláticas e tratamentos específicos. A busca sistemática na literatura de artigos publicados na língua inglesa, durante o período de 2004 a 2008, observou: método científico utilizado, tipo de PC e os resultados. Estabeleceu-se uma tabela comparativa de variáveis que possibilitassem análise da etiologia. Os dados dos 46 artigos encontrados foram analisados estatisticamente, com os seguintes resultados: 38 % eram estudos randomizados com comparação de grupos; 12% estudo de funções especificas no processo de reabilitação e o restante apresentava dados sobre o uso da toxina botulínica. PC do tipo espástico foi a mais encontrada (75%), forma diplégica. As seqüelas mais comuns foram as motoras (68%), prejuízo cognitivo (18%), ou ambos (14%). A etiologia não se demonstrou específica. Nos artigos recorrentes sobre o uso da toxina botulínica A no tratamento e na melhora motora e funcional, independe, também, do aspecto etiológico. A metanálise apesar de insuficiente na sua proposição inicial mostrou a importância de realizarem-se novos estudos, os quais possibilitem o amparo ao tratamento e a profilaxia. Cabe aos mesmos buscarem o respaldo clínico e a necessidade de restringir cada suspeita etiológica, suscitando novas descobertas.

Paralisia cerebral - Criança - Etiologia

B0232

O SILENCIAMENTO GÊNICO MEDIADO POR VÍRUS COMO MECANISMO DESENCADEADOR DE DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL


Maria Luiza Lanca de Moraes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Tiago Campos Pereira (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
O herpesvirus humano 6b (HHV-6B) fora associado a um tipo específico de epilepsia em alguns pacientes, que mostraram uma diminuição do nível de RNA mensageiro do gene EAAT (para transportador de glutamato glial). Contudo, ainda é desconhecido o mecanismo pelo qual o gene EAAT encontra-se reprimido, assim como se este acontecimento é o motivo ou resultado da replicação de HHV-6B nas células afetadas. Vários vírus podem gerar um fenômeno denominado Silenciamento Gênico Mediado por Vírus (em inglês VIGS), no qual o patógeno reprime um RNA mensageiro. Isto acontece porque alguns vírus formam moléculas de RNA fita-dupla (dsRNA) durante sua replicação. O presente estudo objetivou identificar possíveis regiões do vírus HHV-6B que pudessem mediar VIGS de genes do sistema nervoso humano, o que explicaria, por exemplo, a redução de EAAT em alguns pacientes com epilepsia. Seqüências virais que possam gerar VIGS são denominadas “siRNAs” e a procura é conduzida utilizando programas computacionais de análise comparativa de seqüências de vírus e genes humanos (software BLAST). Programas de análise de siRNAs (softwares Strand Analysis e Gene Runner) foram utilizados para avaliar a qualidade destas seqüências. No total, 42 análises foram conduzidas, envolvendo diferentes vírus e genes humanos. Encontramos um siRNA com 100% de identidade e vários com 90%. O par que apresentou total identidade é HHV-6B / doublecortin (DCX). Esta descoberta pode representar um novo mecanismo para explicar defeitos na expressão de DCX. Vários vírus apresentaram potenciais siRNAs contra o gene HUNTINTINA, que poderia explicar casos esporádicos da forma juvenil da doença de Huntington.

RNAi - Virus - Neurologia

B0233

AVALIAÇÃO DA CROMOGRANINA A COMO FATOR PROGNÓSTICO NO CÂNCER DE PRÓSTATA


Larissa Fernanda Medeiros Vieira (Bolsista SAE/UNICAMP), Leonardo Oliveira Reis (Co-orientador), Fernandes Denardi, Joice de Lima Ribeiro e Prof. Dr. Ubirajara Ferreira (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Descrição do estudo: A diferenciação das células neuroendócrinas da próstata é uma característica que marca a perda do controle hormonal do câncer de próstata, denotando um prognóstico pior à doença. Esta diferenciação pode ser avaliada medindo-se os níveis séricos de marcadores neuroendócrinos, sendo a Cromogranina A (CgA) o mais fidedigno deles.Objetivos e métodos: Avaliar a relação dos níveis séricos de CgA com a evolução clínica de 25 pacientes com câncer de próstata localmente avançado, metastático hormônio-responsivo e hormônio refratário. Duas amostras de sangue serão colhidas por paciente, cada uma em um intervalo de 6 meses, sendo dosados em cada amostra PSA total e livre, CgA, testoterona total e livre e correlacionados com a evolução clínica. Conclusões: Esperamos obter dados que indiquem que, no câncer de próstata metastático, os níveis séricos de CgA venham a ser bons marcadores prognóstico da doença e da sobrevivência após terapia.

Cromogranina A - Câncer de próstata - Prognóstico

B0234

ANÁLISE EPIDEMIOLÓGICA DAS FRATURAS EXPOSTAS NO HC-UNICAMP


Alberto de Carli (Bolsista SAE/UNICAMP), Pamella Nakvasas, Alberto Terrabuio, Giovanna Ignácio Medina e Prof. Dr. William Dias Belangero (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
As fraturas expostas são uma das principais causas de morbidade e mortalidade no trauma ortopédico. Sua freqüência varia de acordo com fatores geográficos, sócio-econômicos e populacionais. Neste trabalho foi realizado um estudo retrospectivo que analisou 377 fraturas expostas ocorridas em 5 anos no HC Unicamp, visando obter os dados epidemiológicos deste serviço. Obtivemos um total de 282 casos do sexo masculino, com idade de 17 a 85 anos (33,7 ± 14,0). O período de maior freqüência de chegada foi das 15:00 às 3:00 horas. O mecanismo de trauma mais freqüente foi produzido por motocicleta (46,5% dos casos). A maioria das fraturas se localizou no membro inferior (64%). O osso mais acometido foi a tíbia (46,4%). A média de internação dos pacientes foi de 14,8 ± 17,8 dias. Doze por cento necessitaram de terapia intensiva. De acordo com a classificação de Gustillo e Anderson, 55,0% eram do tipo I e II, 17,5% do tipo III-A, 16,7%III-B e 10,3% do tipo III-C. Inicialmente foi realizada osteossíntese com placa em 40,7% dos casos e fixador externo em 33,3%. Infecção e necessidade de amputação ocorreram respectivamente em 26,2% e 10,8% e 5,4% dos pacientes foram a óbito. Este estudo terá importância na elaboração de campanhas de orientação para a população e para o hospital, que a partir destes dados pode organizar sua estrutura e dinâmica do serviço.

Fraturas expostas - Epidemiologia - Trauma

B0235

INCIDÊNCIA DAS FRATURAS EXPOSTAS RELACIONADAS A ACIDENTES DE MOTO ATENDIDAS NO HC-UNICAMP


Pâmella Moreno Nakvasas (Bolsista SAE/UNICAMP), Alberto de Carli, Giovanna Ignácio Medina e Prof. Dr. William Dias Belangero (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
As fraturas expostas são uma das principais causas de morbidade e mortalidade no trauma ortopédico. Sua freqüência varia de acordo com fatores geográficos, sócio-econômicos e populacionais. Geralmente decorrem de traumas de alta energia, principalmente acidentes automobilísticos. Neste trabalho foi realizado um estudo retrospectivo que analisou 377 fraturas expostas ocorridas nos últimos 5 anos no HC Unicamp, visando determinar qual é a parcela e características dos acidentes causados por moto. De todas as causas a moto foi a mais freqüente (46,5%), seguida pelo atropelamento (15%), ferimento por arma de fogo (9%) e acidente com carro exclusivamente (6,6%). Dos 17 óbitos a principal causa também foi acidente com moto (7/17). Das 44 amputações, 21 foram da tíbia (local mais acometido), e dessas, 13/21, estavam relacionadas a acidentes de motocicletas. Este estudo terá importância na elaboração de campanhas de orientação para a população e para o hospital, que a partir destes dados poderá organizar sua estrutura e dinâmica do serviço.

Fraturas expostas - Moto - Acidentes

B0236

IMPACTO DOS GÊNEROS SOBRE OS DETERMINANTES DO DIÂMETRO DA RAIZ DA AORTA EM PACIENTES HIPERTENSOS


Felipe Augusto da Silva Souza (Bolsista PIBIC/CNPq), José A. A. Cipolli, Maria C.S. Ferreira-Sae, José R. Matos-Souza, Kleber G. Franchini e Prof. Dr. Wilson Nadruz Junior (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A dilatação da raiz da Aorta (RA) está associada com a hipertrofia do ventrículo esquerdo (VE) em indivíduos hipertensos. Embora a estrutura do VE tenha determinantes gênero-específicos, ainda se desconhece quais os preditores do diâmetro da RA em cada um dos sexos. Avaliamos 461 pacientes hipertensos com hipertrofia de VE (288 mulheres e 173 homens) através de exame clínico, antropometria, exames laboratoriais e ecocardiograma. Homens e mulheres com dilatação da RA eram mais velhos e tinham maior índice de massa do VE. Entre as mulheres, o diâmetro da RA associou-se com o índice de massa do VE, idade, débito cardíaco e circunferência abdominal em um modelo de análise multivariada. Por outro lado, entre os homens, o diâmetro da RA associou-se a espessura relativa da parede do VE, índice de massa do VE e idade. Esses resultados sugerem que a sobrecarga de volume e a obesidade central podem desempenhar um papel fundamental na fisiopatogênese da dilatação da RA nas mulheres, enquanto o aumento da RA nos homens estaria mais associado a mecanismos estimulatórios do crescimento das células miocárdicas.

Hipertensão arterial - Raiz da aorta - Gênero





Compartir con tus amigos:
1   ...   43   44   45   46   47   48   49   50   ...   95


La base de datos está protegida por derechos de autor ©psicolog.org 2019
enviar mensaje

enter | registro
    Página principal


subir archivos