Universidade estadual de campinas


QUEIXAS RESPIRATÓRIAS, CONDIÇÕES DE TRABALHO E PERFIL DE TRABALHADORES DE EMPRESA DE PLANTAÇÃO DE FLORES EM ANDRADAS - MG



Descargar 4.56 Mb.
Página41/95
Fecha de conversión03.12.2017
Tamaño4.56 Mb.
Vistas2273
Descargas0
1   ...   37   38   39   40   41   42   43   44   ...   95

QUEIXAS RESPIRATÓRIAS, CONDIÇÕES DE TRABALHO E PERFIL DE TRABALHADORES DE EMPRESA DE PLANTAÇÃO DE FLORES EM ANDRADAS - MG


Ricardo Dourado Rueda (Bolsista IC CNPq), Flávia Nemézio Mariotto e Profa. Dra. Maria Inês Monteiro (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A agricultura é um setor de grande importância mundial e apesar de sua modernização, emprega milhares de trabalhadores pelo mundo. Mesmo assim, há pouco interesse no estudo de aspectos da saúde e segurança desses trabalhadores já que há muitos estudos estão relacionados ao desenvolvimento de novas tecnologias para o aumento da produção na agrícola, desconsiderando os impactos à saúde e à segurança do trabalhador. Este estudo teve por objetivo identificar as condições de trabalho, queixas respiratórias e perfil dos trabalhadores de empresa de flores na cidade de Andradas – MG. Trata-se de um estudo transversal realizado com 100 trabalhadores rurais, utilizado um questionário com dados sociodemográficos, aspectos de saúde e questões relativas a doenças respiratórias, sendo aplicado a todos que estivessem de acordo com o termo de consentimento livre e esclarecido. Dos entrevistados, 9% afirmaram ter sinusite, 3% asma, 21% rinite, 6% relataram ter falta de ar, 41% afirmaram ter crise de espirro e coceira no nariz durante o dia de trabalho. 73% dos trabalhadores manifestaram pelo menos um episódio de gripe ou resfriado nos últimos seis meses. É necessário que haja uma organização maior da atenção básica à saúde do trabalhador rural no âmbito do SUS para que sejam realizadas ações de prevenção e promoção à saúde e não apenas medidas paliativas que visam a cura da doença já estabelecida.

Trabalhador rural - Saúde do trabalhador - Plantação flores

B0171

CONDIÇÕES DE TRABALHO E ESTILO DE VIDA ENTRE FEIRANTES DE CAMPINAS: A PERSPECTIVA DOS TRABALHADORES


Simone Patrícia Mondin (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Inês Monteiro (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Esta pesquisa teve por objetivo identificar o perfil sociodemográfico, condições de trabalho e aspectos de saúde de feirantes de Campinas, dando continuidade a projeto anterior. Foram distribuídos questionários ao longo de dois anos em 14 feiras-livres, totalizando 101 feirantes. A maioria era do sexo masculino (60,4%), casados (83,2%), e 1/3 completou o ensino fundamental. A faixa etária variou de 21 a 75 anos de idade com média de 47,79 anos e mediana 51 anos. A maioria (82%) referiu ter poder de decisão sobre o trabalho que executam, sendo relatado como fator de motivação para ingressar e permanecer neste segmento. A renda mensal predominante (56%) foi de 760 a 1519 reais, correspondendo a 50% ou mais da manutenção familiar em 77% dos casos. Observou-se que o trabalho em feiras livres tem importante envolvimento familiar nas atividades laborais. Além dessas informações, obtiveram-se dados sobre ocupação, atividade física, de lazer, aspectos de saúde, condições de trabalho e estilo de vida. Finalmente, relatos colhidos em conversas com os feirantes permitiram constatar inseguranças e paixões em relação ao trabalho que vivenciam.

Condições de trabalho - Feira livre - Saúde do trabalhador

B0172

CUIDADORES DE CRIANÇAS COM SURDEZ: CONTRIBUIÇÃO DO ATENDIMENTO EM GRUPO


Ligia Aparecida Furlan, Ligiane Antonieta Martins Vieira, Rita de Cássia Ietto Montilha e Profa. Dra. Maria Inês Rubo de Souza Nobre Gomes (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Este trabalho foi realizado com um grupo de cuidadores de crianças com surdez atendido no Centro de Estudos e Pesquisa em Reabilitação – Cepre; Faculdade de Ciências Médicas - Unicamp. Tendo como objetivos: identificar as reações dos cuidadores frente ao diagnóstico da deficiência, verificar se o cuidador reserva algum período para atividades de lazer e identificar possíveis contribuições de atividades terapêuticas. Foi utilizado um questionário aplicado por entrevista, desenvolvido após estudo exploratório. Compôs-se uma amostra não probabilística, constituída por sete cuidadores. Dentre os resultados obtidos, os sentimentos apontados pelos cuidadores, destacaram-se: a tristeza (71,0%) e o medo (57,0%). A maioria dos sujeitos (57,0%) relatou reservar períodos para dedicar-se ao lazer. Grande parte dos cuidadores (71,0%) acredita que as atividades do grupo contribuem para troca de experiências e para compreender a deficiência. Os sentimentos de tristeza e medo mostraram-se mais evidentes, grande parte dos cuidadores entende a necessidade de desenvolver atividades para o prazer e a maioria dos cuidadores encontra no grupo um maior entendimento da deficiência por meio da troca de experiências.

Terapia ocupacional - Atendimento em grupo - Cuidadores

B0173

QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA À SOBRECARGA DE TRABALHO EM CUIDADORES DE IDOSOS COM TRANSTORNOS MENTAIS


Déborah Cristina de Oliveira (Bolsista FAPESP), Gisele Fontanini Souza de Carvalho, Florindo Stella, Celina Matiko Hori Higa, Priscila Buzzo e Profa. Dra. Maria José D'Elboux (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Este trabalho avalia a qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) e a sobrecarga de trabalho de 70 cuidadores de idosos com demência e depressão atendidos no ambulatório de Psicogeriatria de um Hospital Universitário de Campinas; identifica ainda a associação entre a sobrecarga de trabalho e as variáveis sociodemográficas do cuidado; e a associação entre a sobrecarga e a QVRS dos cuidadores. Trata-se de um estudo exploratório descritivo de corte transversal, de abordagem quantitativa. Foram aplicados três questionários: o The Medical Outcomes Study Short-Form Health Survey (SF-36), a Escala Zarit Burden Interview (ZBI) e um formulário elaborado pelas autoras da pesquisa a ser preenchido com dados sociodemográficos e de saúde do cuidador e do idoso, bem como com dados sobre o cuidado. Foi realizada análise descritiva, de comparação e de correlação dos dados. As doenças mais relatadas pelos cuidadores foram afecções de coluna e hipertensão arterial. Todos os domínios do SF-36 estiveram significativamente corelacionados aos escores totais da Escala ZBI, com fracas à forte magnitudes, sendo que a saúde mental do cuidador mostrou ser mais atingida pela sobrecarga. O quesito “reside junto ao idoso” foi o aspecto mais significativamente relacionado ao aumento da sobrecarga de trabalho.

Idoso - Qualidade de vida - Sobrecarga de trabalho

B0174



Compartir con tus amigos:
1   ...   37   38   39   40   41   42   43   44   ...   95


La base de datos está protegida por derechos de autor ©psicolog.org 2019
enviar mensaje

enter | registro
    Página principal


subir archivos