Universidade estadual de campinas


PERITONITE BACTERIANA ESPONTÂNEA EM PACIENTES CIRRÓTICOS: ANÁLISE MULTIVARIADA DE PARÂMETROS CLÍNICO-LABORATORIAIS RELACIONADOS À MORTALIDADE NESTA CONDIÇÃO CLÍNICA



Descargar 4.56 Mb.
Página25/95
Fecha de conversión03.12.2017
Tamaño4.56 Mb.
Vistas2277
Descargas0
1   ...   21   22   23   24   25   26   27   28   ...   95

PERITONITE BACTERIANA ESPONTÂNEA EM PACIENTES CIRRÓTICOS: ANÁLISE MULTIVARIADA DE PARÂMETROS CLÍNICO-LABORATORIAIS RELACIONADOS À MORTALIDADE NESTA CONDIÇÃO CLÍNICA


Rafael Dias Lópes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Elza Cotrim Soares (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A ocorrência de peritonite bacteriana espontânea (PBE) aumenta a morbi-mortalidade em indivíduos com cirrose hepática. Objetivos: Análise dos episódios de PBE em portadores de cirrose hepática atendidos no Hospital das Clínicas da Unicamp, estudo da sobrevida e dos fatores de risco para o óbito. Método: Das internações de pacientes com cirrose hepática, referentes ao período de 2003 a 2007, foram selecionados os pacientes que apresentaram critérios para o diagnóstico de PBE, investigando-se entre outras informações, os escores Child e MELD, a curva de sobrevida dos pacientes, evolução para o óbito e fatores de risco para este evento. Análise estatística realizada: testes Qui-Quadrado, exato de Fisher e Mann-Whitney. A análise de regressão logística, com modelos uni e multivariados, e análise de regressão de Cox foram aplicados. Resultados: De 1104 internações pesquisadas, foram encontradas 57 episódios de PBE (5,16%), com 14 delas evoluindo para o óbito (24,5%). Foi possível isolar os agentes etiológicos em 29 internações (50,8%) predominando entre estes E. coli e Klebsiela pneumoniae. Tiveram associação significante com o óbito: MELD entre 1-25 (p<0,049), creatinina > 1,2 (p<0,005). Conclusão: A PBE aumentou a mortalidade em pacientes cirróticos internados, sugerindo a necessidade de maior atenção a este grupo de indivíduos, e reavaliação contínua dos protocolos de tratamento.

Peritonite bacteriana espontânea - Cirrose hepática - Mortalidade

B0107

FLUXO DE ENCAMINHAMENTO, PERFIL CLÍNICO E EVOLUTIVO DE CANDIDATOS A DOADORES DE SANGUE COM SOROLOGIA REAGENTE PARA DOENÇA DE CHAGAS IDENTIFICADOS NO HEMOCENTRO/UNICAMP/CAMPINAS/SP


Juliana Faleiros Garcia (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Eros Antonio de Almeida (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A doença de Chagas é causada pelo protozoário Trypanossoma cruzi e tem como segunda principal forma de transmissão a transfusional, a qual já foi responsável por 8 a 18% dos casos. O Hemocentro da UNICAMP tem um importante papel na triagem de candidatos a doadores de sangue, através da realização do teste ELISA para Chagas. Os pacientes com sorologia positiva são encaminhados para o GEDoCh, ambulatório do Hospital de Clínicas que é referência no tratamento de chagásicos. O presente estudo analisa esse fluxo de pacientes no período de 01/01/2005 a 30/06/2007. A freqüência de sorologia reagente para Doença de Chagas encontrada no Hemocentro foi de aproximadamente 0,6% dos candidatos a doadores de sangue. Será verificado se os mesmos procuraram o serviço do GEDoCh para acompanhamento através de consulta em um sistema eletrônico. Dos que o tiverem feito, serão analisados os prontuários para coletar informações, como algumas variáveis (sexo, idade, cor, naturalidade e procedência) e os perfis clínico e evolutivo da doença nesses indivíduos, as quais serão utilizadas para análise estatística.

Doença de Chagas transfusional - Prontuários - Fluxo de encaminhamento

B0108

INTERCORRÊNCIAS CLÍNICAS EM MULHERES QUE SOBREVIVERAM AO CÂNCER DE MAMA


Elen Falcochio Coura (Bolsista PIBIC/CNPq), Luis Otávio Zanatta Saraian, Carlos Rivoredo, Ellen Elizabeth Hardy e Profa. Dra. Fátima Aparecida Böttcher Luiz (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Os recentes avanços da oncologia têm aumentado o número de sobreviventes de neoplasia. Sendo uma aquisição recente da medicina moderna, os dados da literatura sobre o assunto são ainda incipientes. A extensão da sobrevida dos acometidos de neoplasia, em especial de câncer mamário, gera um amplo campo de incertezas e discussões acerca das conseqüências do tratamento, sobre a qualidade de vida, a possibilidade de recidivas e a manifestação de um segundo tumor. Este trabalho objetiva determinar quais as intercorrências clínicas que acometem as sobreviventes do câncer de mama e suas relações com o tratamento recebido, idade, estadio clínico e características biológicas do tumor. Para tanto, estão sendo revisados os prontuários de mulheres com menos de sessenta anos, acometidas por carcinoma ductal invasivo de mama e que tenham sobrevida superior a cinco anos. Os dados obtidos são compilados em formulários escritos, repassados em formulário pré-testado, digitalizados no programa Epiinfo e, posteriormente, analisados estatisticamente para estabelecer a freqüência de eventos segundo as variáveis mencionadas. Pretendem-se estabelecer perfis de intercorrências clínicas em função das características do tumor e do tratamento preconizado, fornecendo subsídios para prevenção de sequelas, de recidivas a longo prazo e de manifestação de tumores primários subsequentes.

Câncer de mama - Sobrevida - Intecorrências

B0109

AVALIAÇÃO DA VIA DE PARTO E MÉTODOS DE PREPARO CERVICAL/ MÉTODOS DE INDUÇÃO NAS MULHERES SUBMETIDAS À INDUÇÃO DE PARTO NO CAISM/UNICAMP


José Armando Zampar Cortez (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Fernanda Garanhani de Castro Surita (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Com objetivo de conhecer a porcentagem de partos induzidos e qual tipo de preparo de colo/indução utilizados, e o desfecho desses casos (via de parto), será realizado um estudo do tipo caso-controle analisando-se prontuários e coletando dados em fichas pré-codificadas, criadas para este fim. Os casos serão selecionados através de busca ativa de mulheres admitidas e/ou internadas no CAISM – UNICAMP para indução de parto e os controles com trabalho de parto iniciado espontaneamente, selecionados a partir do caso índice. Também serão estudados resultados maternos e perinatais e características obstétricas desses grupos, comparando-se o grupo com parto induzido com o outro de trabalho de parto iniciado espontaneamente. Cada um desses terá tamanho amostral de 75 indivíduos. O período do estudo será aquele necessário para incluirmos 75 mulheres por grupo estimado em 5 a 6 meses. Estudo já aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa do DTG/CAISM e início da coleta de dados prevista para junho/2009. Para a análise dos resultados, inicialmente será realizada análise descritiva, com cálculos de médias e desvios-padrão para variáveis contínuas como idade materna, paridade e idade gestacional. Qui-quadrado e teste t Student para a comparação dos grupos.

Indução de parto - Preparo de colo - Métodos de indução

B0110



Compartir con tus amigos:
1   ...   21   22   23   24   25   26   27   28   ...   95


La base de datos está protegida por derechos de autor ©psicolog.org 2019
enviar mensaje

enter | registro
    Página principal


subir archivos