Universidade estadual de campinas


Instituto de Estudos da Linguagem



Descargar 4.56 Mb.
Página16/95
Fecha de conversión03.12.2017
Tamaño4.56 Mb.
1   ...   12   13   14   15   16   17   18   19   ...   95

Instituto de Estudos da Linguagem

A0070

BANCO DE DADOS: ACERVO DIGITAL


Vitor Vitti Costa (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Maria Irma Hadler Coudry (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP
Com o intuito de padronizar o acervo imagético gerado por seus projetos e eventos a Coordenadoria de Desenvolvimento Cultural (CDC) iniciou o projeto Banco de Dados: Acervo Digital, que será responsável pela catalogação de todos os arquivos de imagem e vídeo produzidos em seu âmbito e em ações sócio-culturais fora da UNICAMP. Esses arquivos multimídia estão disponíveis na página da CDC pela internet para os interessados, onde é possível conhecer mais sobre seus projetos realizados. O Projeto Banco de Dados: Acervo Digital tem o objetivo de criar um padrão de registro para as imagens e vídeos que compõem o arquivo de dados da CDC, de forma a seguir um padrão geral da UNICAMP para unificar a busca de pesquisas atuais e futuras. Fazem parte da ficha catalográfica, confeccionada sob a orientação do Centro de Memória de nossa universidade, os seguintes tópicos: localizador e dados históricos, participantes da imagem/vídeo, local e data, autoria e editor de imagem/vídeo.

Acervo - Digital - Projeto





PROJETOS DA ÁREA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS




Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética

B0071

ANÁLISE DE MICRODELEÇÕES EM 9P E MUTAÇÕES NOS GENES SRY E DMRT1 EM PACIENTES 46,XY COM DISGENESIA GONADAL


Débora de Paula Michelatto (Bolsista IC CNPq), Fernanda B. Coeli, Juliana G. Assumpção, Tammy M. Castro, Andréa T. Maciel-Guerra, Gil Guerra-Júnior e Profa. Dra. Maricilda Palandi de Mello (Orientadora), Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética - CBMEG, UNICAMP
Em pacientes com disgenesia gonadal (DG), somente 15-20% apresentam mutações no gene SRY. A deleção 9p pode causar a reversão do sexo em indivíduos 46,XY. No estudo atual, a haploinsuficiência 9p foi investigada. Foram incluídos 36 pacientes não-relacionados com SRY normal. A homo- ou a hemizigose para cinco e quatro loci foram observadas em um e dois pacientes, respectivamente. O gene DMRT1 localiza-se na região 9p24.3 e tem sido considerado o gene responsável por disgenesia gonadal nesta região cromosômica. O seqüenciamento deste gene revelou a variação g.133T>A em homozigose T/T em 24 indivíduos e em heterozigose T/A em 9 pacientes. Esta troca causa a mutação S45T, mas é considerada um SNP neutro (rs3739583). O alelo T é o mais freqüente em quatro de cinco populações depositadas na base de dados. Este estudo mostrou freqüências de 76% e de 23% para T e A, respectivamente, o que está de acordo com os dados para outras populações. Os SNPs raros g.52198T>C e g.52308C>T no exon 3 foram detectados em um paciente. Finalmente, uma nova alteração (g.126313insT) em heterozigose na região 3'UTR foi encontrada em um paciente. A participação desses SNPs na função ou na expressão de DMRT1 deve ser investigada para confirmá-los como responsáveis por DG.

Sry - Disgenesia gonadal - Diferenciação do sexo

B0072

AVALIAÇÃO DOS GENES MYOC E CYP1B1 EM FAMÍLIAS PORTADORAS DE GLAUCOMA PRIMÁRIO DE ÂNGULO ABERTO


Carolina Ayumi Braghini (Bolsista PIBIC/CNPq), José Paulo Cabral de Vasconcellos, Anderson Tavares e Profa. Dra. Mônica Barbosa de Melo (Orientadora), Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética - CBMEG, UNICAMP
O glaucoma primário de ângulo aberto (GPAA) é o tipo mais frequente de glaucoma, representando uma das maiores causas mundiais de perda irreversível da visão. Alterações na sequência de bases do gene MYOC estão envolvidas no desenvolvimento do GPAA e do GPAA do tipo juvenil (GPAA-J). O objetivo deste estudo foi avaliar a presença de mutações no gene MYOC, assim como analisar a correlação genótipo/fenótipo dos indivíduos portadores de alterações Até o momento, foram estudadas duas famílias nas quais foi detectada a mutação Cys433Arg em alguns de seus membros, perfazendo um total de 70 indivíduos avaliados. Destes, 26 apresentaram a mutação Cys433Arg. De acordo com o estudo realizado, o gene MYOC parece contribuir para o desenvolvimento do GPAA em famílias brasileiras através de padrão de herança autossômico dominante. A análise da correlação genótipo/fenótipo nestas famílias indicou que a mutação Cys433Arg está associada com a pressão intraocular elevada, aumento da proporção escavação/disco e início precoce do glaucoma. Entre os membros normais portadores da mutação, há um indivíduo com 58 anos de idade e outro com 73 em uma das famílias e um indivíduo com 48 anos na outra. Esta penetrância incompleta após os 48 anos de idade em ambas as famílias sugere a possibilidade do envolvimento de outros genes modulando o fenótipo da doença.

Glaucoma - Myoc - CYP1B1

B0073

ANÁLISE DO PAPEL DE POLIMORFISMOS NOS GENES VEGF E PEDF NA RETINOPATIA FALCIFORME


Pedro Rodrigues Sousa da Cruz (Bolsista PIBIC/CNPq), Anderson Tavares e Profa. Dra. Mônica Barbosa de Melo (Orientadora), Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética - CBMEG, UNICAMP
As manifestações oculares nas doenças falciformes são representadas por alterações orbitárias, conjuntivais, uveais, papilares e retinianas. Estas últimas respondem pela maior parte dos casos de perda progressiva da visão em indivíduos afetados, especialmente na forma proliferativa, caracterizada pela neovascularização pré-retiniana, que pode ocasionar o descolamento da retina. Estudos recentes sugerem que este fenômeno é mediado pelo equiíbio entre fatores angiogênicos e anti-angiogênicos. O presente trabalho procura avaliar polimorfismos pontuais nos promotores dos genes VEGF (SNPs –634C/G e –116G/A) e PEDF (SNPs −790C/T e −358G/A), codificadores de um fator angiogênico e um anti-angiogênico, respectivamente. Até o momento foi avaliado apenas o SNP −358G/A do gene PEDF, por meio das técnicas de PCR-RFLP (Polymerase Chain Reaction - Restriction Fragment Length Polymorphism) em 45 indivíduos (dos quais 10 apresentaram diagnóstico para retinopatia falciforme) portadores de anemia falciforme e hemoglobinopatia SC. O polimorfismo não foi observado em nenhum dos pacientes. Os dados até o momento, embora não sendo estatisticamente relevantes, sugerem que este polimorfismo não seja comum na população brasileira.

Retinopatia - Falciforme - Polimorfismos





Compartir con tus amigos:
1   ...   12   13   14   15   16   17   18   19   ...   95


La base de datos está protegida por derechos de autor ©psicolog.org 2019
enviar mensaje

    Página principal
Universidad nacional
Curriculum vitae
derechos humanos
ciencias sociales
salud mental
buenos aires
datos personales
Datos personales
psicoan lisis
distrito federal
Psicoan lisis
plata facultad
Proyecto educativo
psicol gicos
Corte interamericana
violencia familiar
psicol gicas
letras departamento
caracter sticas
consejo directivo
vitae datos
recursos humanos
general universitario
Programa nacional
diagn stico
educativo institucional
Datos generales
Escuela superior
trabajo social
Diagn stico
poblaciones vulnerables
datos generales
Pontificia universidad
nacional contra
Corte suprema
Universidad autonoma
salvador facultad
culum vitae
Caracter sticas
Amparo directo
Instituto superior
curriculum vitae
Reglamento interno
polit cnica
ciencias humanas
guayaquil facultad
desarrollo humano
desarrollo integral
redes sociales
personales nombre
aires facultad