Universidade estadual de campinas


O ‘R’ NA INTERPRETAÇÃO DE CANÇÕES ERUDITAS BRASILEIRAS



Descargar 4.56 Mb.
Página12/95
Fecha de conversión03.12.2017
Tamaño4.56 Mb.
Vistas2392
Descargas0
1   ...   8   9   10   11   12   13   14   15   ...   95

O ‘R’ NA INTERPRETAÇÃO DE CANÇÕES ERUDITAS BRASILEIRAS


Ana Carolina Buzato Marchi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Adriana Giarola Kayama (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
A fim de que haja uma padronização de regras de pronúncia para o canto erudito, o alfabeto fonético, IPA (International Phonetic Alphabet - Alfabeto Fonético Internacional) é utilizado como uma ferramenta para se representar os sons de determinado idioma. Desde 2005 a Associação Brasileira de Canto dedicou a totalidade das atividades para uma discussão, com a finalidade de se estabelecer diretrizes de pronúncia. A votação das opções de pronúncia do “r” (no início de palavras e em sua escrita dupla - “rr”) resultou em dois grandes grupos: os favoráveis ao “r” fricativo velar [ x ] e os favoráveis ao alveolar vibrante [ r ], “porém com suavidade”. Em continuidade à pesquisa realizada anteriormente pela mesma pesquisadora, o objetivo foi buscar subsídios para contribuir nas discussões sobre a melhor forma de pronúncia do “r” do idioma português brasileiro, no canto erudito. Analisou-se a duração de tempo e intensidade da emissão da consoante “r”, observando gravações fonográficas de cinco canções brasileiras compostas por compositores brasileiros em idioma português, interpretadas pela pesquisadora. Essa análise foi realizada através de software de edição de som “Sound Forge”.

Canto - Dicção - Interpretação

A0006

PORTA-BANDEIRA: PESQUISA DE CAMPO, VIVÊNCIAS E CONFLUÊNCIAS


Laísa Ângela Bertelli Forquim (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Ana Carolina Lopes Melchert (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
A partir da efetivação de pesquisas de campo, na Escola de Samba Vai-Vai da cidade de São Paulo, pude vivenciar o contexto das Porta-Bandeiras, foco do estudo, e por conseguinte reconhecer e transparecer no corpo minhas confluências com esta fonte. Para o desenvolvimento desta pesquisa, utilizo o eixo Co-habitar com a Fonte do Método Bailarino-Pesquisador-Intérprete (BPI). Este é um projeto de cunho-artístico, cujo principal foco é um aprofundamento em minha identidade corporal quanto movimentação, dada as impregnações do campo em mim, enfatizando as sensações, os sentimentos, as paisagens, as personagens, os movimentos e suas significações. Desta forma é produzido um desenvolvimento artístico-científico-criativo, capaz de sintetizar as sínteses da pesquisa em movimentação, dança.

Dança do Brasil - Método BPI - Porta-bandeira

A0007

O ESTILO INTERPRETATIVO DE LULA GALVÃO: NOVOS HORIZONTES DO VIOLÃO NA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA


Daniel Guttilla Zacharias (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antônio Rafael Carvalho dos Santos (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
O projeto de pesquisa tem como principal objetivo investigar e apontar alguns dos elementos que compõem e caracterizam a atitude musical do violonista, guitarrista e arranjador Luís Guilherme Farias Galvão, mais conhecido como Lula Galvão, instrumentista que desde a década de 90 vêm assumindo posição referencial com relação ao papel do violão na música popular. A metodologia escolhida para a realização da investigação proposta foi baseada na transcrição de 6 (seis) solos realizados por Lula Galvão ao violão, em épocas distintas. Após o levantamento desse material foi realizada uma pré-análise musical dos trechos transcritos assim como a digitalização e a gravação em áudio dos exemplos. Até o presente momento, foram constatados alguns elementos constantemente presentes na interpretação de Lula Galvão, como o uso recorrente da escala Dom-Dim e cromatismos de aproximação melódica oriundos do Jazz; motivos melódicos característicos do repertório de samba e choro brasileiros, além do posicionamento rítmico deslocado de suas linhas melódicas e harmônicas em relação ao pulso musical básico da peça interpretada.

Lula Galvão - Música popular - Violão

A0008

UM ESTUDO INTERPRETATIVO DOS 12 ESTUDOS, OP. 6, DE FERNANDO SOR, E DOS 18 ESTUDOS OP. 51, DE MAURO GIULIANI


Bruno Madeira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Carlos Fernando Fiorini (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
O presente trabalho pretende promover um estudo aprofundado da interpretação musical de duas séries de estudos para violão solo: 12 Estudos, Op. 6 de Fernando Sor e 18 Estudos Progressivos, Op. 51 de Mauro Giuliani. Tal aprofundamento terá sua base na relação dos compositores com o estilo clássico e em fornecer subsídios para resolver tanto questões vindas da prática interpretativa do período quanto dos objetivos e problemática contidos em cada estudo, expostos e discutidos em análises individuais.

Interpretação/análise musical - Classicismo - Violão erudito

A0009

UM ESTUDO DA PREPARAÇÃO DE ATORES E CRIAÇÃO DA PERSONAGEM PARA A CENA CINEMATOGRÁFICA


Danielly de Souza Oliveira (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Cassiano Sydow Quilici (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
No cinema brasileiro recente, que se serve frequentemente de não atores, tem surgido novas maneiras de “preparação” de atores. Neste trabalho, partirmos do estudo de dois filmes do período conhecido como CINEMA DA RETOMADA, “Central do Brasil” (Walter Salles, 1998) e “Cidade de Deus” (Fernando Meirelles, 2002), a fim de investigarmos a pesquisa desenvolvida em ambos pela preparadora de atores Fátima Toledo. Partindo do estudo do período no qual tais filmes estão introduzidos é possível traçar um panorama de semelhanças entre ambos, caracterizados pela tentativa de um redescobrimento do Brasil a partir de dramas individuais. Usando materiais diversos como referencias bibliográficas, estudo destes filmes e de outros do mesmo período, curtas e filmagens de oficinas práticas e principalmente através de entrevistas com profissionais relacionadas a tais obras, foi possível traçar um panorama do trabalho desenvolvido pelos atores. O método de Fátima Toledo mostra-se como um laboratório intenso e preparador para o inicio das filmagens; baseado principalmente no uso da improvisação e de exercícios para relaxamento e liberação de energia, ela recorre ao uso da vazão da emoção e da negação da idéia de personagem para criar um método que traz resultados, mas propenso a criticas.

Cinema - Preparação de atores - Personagem

A0010



Compartir con tus amigos:
1   ...   8   9   10   11   12   13   14   15   ...   95


La base de datos está protegida por derechos de autor ©psicolog.org 2019
enviar mensaje

enter | registro
    Página principal


subir archivos