Universidade estadual de campinas


PROJETOS DA ÁREA DE ARTES



Descargar 4.56 Mb.
Página11/95
Fecha de conversión03.12.2017
Tamaño4.56 Mb.
Vistas2203
Descargas0
1   ...   7   8   9   10   11   12   13   14   ...   95

PROJETOS DA ÁREA DE ARTES




Faculdade de Ciências Médicas

A0001

CONSTRUÇÃO DE NARRATIVA DE ALMIR MAVIGNIER SOBRE O ATELIÊ DE PINTURA DO HOSPITAL PSIQUIÁTRICO D. PEDRO II


Laura de Campos Francozo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Lucia Helena Reily (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
O objetivo geral deste projeto é recuperar a história da montagem inicial e dos primeiros anos do Ateliê de Pintura do Hospital Psiquiátrico do Engenho de Dentro na perspectiva de Almir Mavignier (1925 - ) – um jovem artista plástico que, junto com Nise da Silveira, criou o ateliê de pintura dentro do hospital e passou a levar colegas do meio artístico como Abraham Palatnik e Mário Pedrosa para conhecer a produção dos pacientes. Trata-se de uma pesquisa documental que visa à preservação e divulgação de conteúdos de entrevistas de Almir Mavignier a respeito do seu trabalho no Ateliê de Pintura. Os procedimentos envolvem o levantamento e obtenção de materiais filmados ou gravados, tanto do Almir Mavignier quanto de outros artistas plásticos como Abraham Palatnik e Lygia Pape. Nesta pesquisa foram identificadas incongruências nos discursos que permitem vislumbrar a diversidade de narrativas constituídas pelos vários participantes. Existe uma diferença relevante entre o trabalho de ateliê com pessoas com quadros psicológicos conforme o perfil do profissional que desenvolve o trabalho. O arte-educador procura valorizar aspectos da linguagem plástica com o material utilizado, ao passo que o profissional da saúde mental se interessa pelo conteúdo psíquico revelado na produção como instrumento de diagnóstico e terapia.

Artes plásticas - Psiquiatria - Almir Mavignier



Faculdade de Educação

A0002

QUANDO A ARTE ENTRA EM CENA - A PRESENÇA DO ARTISTA DA DANÇA COMO O DIFERENCIAL PARA O ENSINO DE ARTE NA ESCOLA


Bianca Bazzo Rodrigues (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Marcia Maria Strazzacappa Hernandez (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O projeto “Quando a arte entra em cena – a presença do artista da dança como diferencial para o ensino de arte na escola” teve por objetivo investigar a relação entre arte e escola, por meio da análise da receptividade de uma apresentação coreográfica no ambiente escolar realizada por uma artista-professora. Questionávamos a razão de os licenciados em dança ofuscarem sua função de artista ao assumirem o papel de professor e a tentativa de muitos de ministrarem atividades de artes plásticas quando são, de fato, graduados em dança. Verificamos que ao realizarmos intervenções artísticas nos espaços escolares, o profissional da dança aguça um outro olhar sobre a arte na escola. Mais do que o professor de arte, o aqui intitulado “artista-professor” é introduzido no ambiente escolar por meio de sua produção artística, contagiando o público com a magia da arte, e assumindo, nesse segundo momento, o papel de mediador entre arte e ensino. A aproximação e o contato direto entre artista-professor e aluno por meio do trabalho cênico e do diálogo que surge entre ambos, possibilitou a valorização e a relevância do conhecimento que se constrói ao se fazer dança e ao se ensinar dança no âmbito escolar, como afirmam os PCN da área (1997) e outros autores como Marques (2001, 2004) e Strazzacappa e Morandi (2006).

Ensino de dança - Coreografia - Licenciatura em dança

A0003

EDUCAÇÃO MUSICAL NÃO-FORMAL NAS BANDAS CIVIS DA CIDADE DE ITU NO SÉCULO XX


Felipe Zaccarias de Brito (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Olga Rodrigues de Moraes von Simson (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Na primeira metade do século XX, as bandas de música não atuaram apenas como forma de entretenimento, mas constituíram uma valiosa opção didático-pedagógica de grande penetração popular, potencializando, através da música instrumental, a inserção social de indivíduos de diferentes culturas na sociedade brasileira. O projeto teve como objetivo estudar o papel das bandas civis da cidade de Itu, na primeira metade do século XX, enfocando o processo de educação musical não-formal e analisando desde os métodos musicais utilizados pelos educadores dessas instituições, seus conteúdos e a forma como eram transmitidos. Também foram consideradas as trajetórias dos alunos que, através dessa educação, tiveram suporte para se tornarem músicos profissionais. Eles foram identificados e através da metodologia da História Oral deram depoimentos sobre a sua história nas bandas, os quais contribuíram, juntamente com documentos visuais e musicais pesquisados, para percebermos, até que ponto a banda de música foi e continua sendo um importante espaço educacional não-formal, voltado para o ensino da música e acessível aos membros das classes populares.

Educação não-formal - Bandas civis - Itu



Instituto de Artes

A0004

ANÁLISE DOS PONTEADOS NOS 50 PONTEIOS DE CAMARGO GUARNIERI


Luís Giovelli (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Aci Taveira Meyer (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
A influência da música caipira na obra de Camargo Guarnieri é muito comentada em diversos livros e pesquisas, ressaltando sempre a forte influência da viola caipira e seus ponteados (entendendo-se ponteados como os diferentes procedimentos que os violeiros usam quando tocam música instrumental ou mesmo quando acompanham um cantor). Entretanto, há falta de referências quanto a quais seriam esses ponteados e de que modo eles estão inseridos na música desse compositor. Nosso trabalho foi detectar os ponteados da música instrumental de viola caipira e depois apontá-los nos cinco cadernos dos 50 Ponteios para piano solo de Camargo Guarnieri. Os 50 Ponteios se revelaram o campo de pesquisa ideal para atingir os nossos objetivos, pois apresentam grande número de amostragem e abrangem uma importante fase da vida do compositor (os cinco cadernos foram escritos num intervalo de quase 30 anos). Depois de detectados os ponteados da viola caipira, iniciamos a análise dos Ponteios que mais usavam desses recursos e que seriam, por conseqüência, os mais influenciados pela música caipira. De fato, vários Ponteios apresentaram os ponteados de forma bastante explícita.

Análise musical - Camargo Guarnieri - Viola caipira

A0005



Compartir con tus amigos:
1   ...   7   8   9   10   11   12   13   14   ...   95


La base de datos está protegida por derechos de autor ©psicolog.org 2019
enviar mensaje

enter | registro
    Página principal


subir archivos